.
Para ligar a música desça até o pé da coluna da direita e clique no botão: (>)

16 setembro 2014

Carlos (Veronica) Paz Wells.

Entrevista:
Verónica Paz Wells fala de seus contatos, transexualidade e da nova consciência planetária.

_______________________________________________
Entrevista concedida a Paulo Stekel
Carlos Roberto Paz Wells
, mais conhecido como Charlie, nasceu em Lima, Peru, em 10 de fevereiro de 1954. Seu pai, o renomado pesquisador Sr. Carlos Paz García, fundou em 1955 a primeira entidade dirigida à investigação do fenômeno OVNI na América Latina, o I.P.R.I. (Instituto Peruano de Relações Interplanetárias).
No final de 1974 e ainda encontrando-se no Perú na condição física de Charlie, funda a organização RAMA, a partir de um contato realizado com entidades de origem extraterrestre. Devido à grande repercussão internacional destas experiências, o jornal "La Gaceta del Norte" de Bilbao, na Espanha, envia a Lima seu correspondente J. J. Benitez, que é convidado para a mais incrível experiência da sua vida: o primeiro contato com uma nave extraterrestre a pouca altitude.
Isso aconteceu no dia 7 de Setembro de 1974, às 21h15, tendo sido o jornalista informado com uma semana de antecedência. Já na Espanha, Benitez relata durante semanas os acontecimentos deste período, e mais tarde escreve, a convite da editora Plaza & Janes de Barcelona, Espanha, o seu primeiro livro chamado "OVNIs: SOS À HUMANIDADE".
Mais adiante e depois de novas experiências no Perú, Benítez escreverá um segundo livro: "100.000 kms em busca dos OVNIs", e outros tantos mais, sob a inspiração de suas vivências no Perú.
Em 1976, Charlie obteve uma bolsa de estudos para o Brasil, onde passou pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Mais tarde concluiu o curso de Publicidade e Propaganda na Escola de Comunicações e Artes da USP, assim como Marketing e Administração de Empresas, dando início a sua carreira profissional em Marketing e Publicidade em empresas multinacionais no Brasil e nos Estados Unidos.
Durante sua vida profissional Charlie obteve grande reconhecimento e destaque, recebendo inúmeros prêmios internacionais como: 3 Leões de Cannes e 3 Cannes No Prize no Festival de Publicidade em Cannes, França. Igualmente 4 Clios no Festival de Publicidade nos Estados Unidos e 3 prêmios de ouro, 2 de prata e 3 de Bronze na FIAP – Festival Ibero-Americano de Publicidade na Espanha. Assím como muitos outros prêmios no Brasil durante os anos de sua carreira.
Charlie também representa a Revista Digital Enigmas Peru e o Instituto Peruano de Relações Interplanetárias de Lima-Peru, assím como a Sociedade Espanhola de Investigação Paranormal de Alicante, Espanha e o Projeto Sunesis a nivel mundial.
Enfrentando grandes dificuldades de identidade de gênero desde a sua infância, Charlie decidiu dar um grande paso na sua vida em 1997 quando assumiu publicamente sua transexualidade, iniciando um doloroso processo de mudança de sexo.
Infelizmente, dada a ignorância do mundo latino em relação a este tipo de situação, teve que pagar o grande preço da incomprensão e da discriminação. Razão pela qual procurou melhores oportunidades em países mais informados sobre esta realidade e com real respeito e proteção em relação aos direitos humanos.
Atualmente, depois de mais de 25 anos no Brasil, Charlie ou atualmente Verónica, mora e trabalha na cidade de Toronto em Canadá desde 2001, onde trabalha com os grupos locais, também do Brasil e dos demais países formados desde faz muitos anos.
Verónica (Charlie) é autora de vários livros publicados no Brasil sobre suas experiências e investigação. Sendo dois em relação ao contato extraterrestre, um sobre o início da vida no Universo e a influência extraterrestre nas antigas civilizações, e outro sobre a interpretação do sentido da vida inteligente sob a física quântica:

"Os Semeadores de Vida" - Editora Icone - São Paulo - Brasil (em tradução para o inglês e espanhol)

"Um Extraterrestre na Galiléia" - Editora Madras - São Paulo - Brasil (em tradução para o inglês)

"Eles estão entre nós" - Editora Madras - São Paulo - Brasil

"Ser, Viver e Existir no Universo" - Editora Madras - São Paulo - Brasil



Depois de décadas de contatos e trocas com extraterrestres a nível mundial, Verônica (Charlie) coordena as atividades do Projeto Sunesis mundialmente e grupos surgidos destas experiências, tendo recorrido vários países como Estados Unidos, Uruguai, Paraguai, Argentina, Colombia, Chile, Guatemala, Costa Rica, México, El Salvador, Espanha, Equador, Canadá, Brasil e o Perú; nos quais tem realizado incontáveis palestras, seminários, entrevistas, programas de rádio e televisão.
Verónica, quando ainda se chamava Carlos, sempre nos inspirou coragem e luta contra o preconceito. Por isso decidimos entrevistá-la, e não apenas por seus contatos com os ETs. A razão principal é o exemplo de vida, de coerência e de desejo de uma expansão da consciência humana.


Horizonte: Você foi uma das integrantes principais da “Missão Rama” desde o início, quando ainda era conhecida como “Carlos Paz Wells”. Os integrantes desta organização, seja no Peru, Brasil, EUA, etc., continuam tendo contatos programados com os ETs?
Verónica: Em relação a tua pergunta, posso dizer que eu fui a pessoa responsável pela fundação da organização Missão Rama, no ano de 1975. Depois da experiência de J.J. Benitez no deserto de Chilca, no Peru, ao lado de outras pessoas, a divulgação das nossas atividades tanto em Lima (no Peru), como na Espanha, após o retorno de J.J. Benitez, criou uma demanda enorme de pessoas curiosas e interessadas por saber mais do nosso trabalho, assim como dos seus objetivos. O grupo original do qual eu formava parte e que não foi solidário quando fomos desafiados a fornecer uma prova real e contundente das nossas experiências e contato, não se sentia seguro nem muito confiante de enfrentar esta multidão de curiosos que se aglomerava nas salas do Instituto (IPRI) do meu pai, clamando por respostas. O grupo teimava em permanecer hermético e contrário à possibilidade de se abrir ao público em geral e inseguro em relação a responder as expectativas dos mesmos. Neste sentido, eu fui contrária a esta posição e totalmente aberta à possibilidade de aproveitar o momento de mostrar a dimensão da nossa experiência, assim como a sua importância. Pela primera vez seres extraterrestres estabeleciam um contato inteligente e prévia-data com pessoas e, neste caso, se incluía pela primeira vez a imprensa. E de fato, no meu ponto de vista, tudo isto respondia aos objetivos extraterrestres e a razão pela qual as nossas experiências se haviam produzido, sendo nós apenas intermediários desta oportunidade. Desta forma, contrariando os desejos do grupo original, iniciei um ciclo de palestras em Lima promovendo o nosso trabalho e a experiência, vindo a convidar as pessoas a fazer parte. Esta foi a origem da Missão Rama e o começo da formação de grupos no Peru.
Até hoje, não posso falar pelo trabalho desenvolvido no momento pelo meu irmão e seus grupos em geral, mas de fato tem havido novas experiências de contato programado com a imprensa. Tal é o caso durante a noite do dia 25 de março de 1989, onde jornalistas de cinco países reunidos na região de Chilca, ao sul de Lima, no Peru, testemunharam a passagem de um objeto voador não-identificado convocado pelo meu irmão e seus grupos. O objeto foi filmado pelas equipes de televisão do canal 23, com participação do jornalista José Gray, e do canal 51, com participação da jornalista Letícia Callava - ambos de Miami, Estados Unidos -, além da participação do jornalista Rolando Vera do canal 2 de Buenos Aires, Argentina. A informação de material obtido do evento foi publicada no Jornal Expresso no dia seguinte, assim como mais tarde programas de televisão foram ao ar relatando os detalhes do evento. Pela nossa parte, o nosso trabalho permitiu realizar mais um encontro programado de contato extraterrestre com a imprensa. O mesmo ocorreu no dia 23 de janeiro de 1992, às 23:30 horas, nas proximidades da cidade de Santiago do Chile, sob orientação e coordenação do Sr. Rodrigo Fuenzalida e seu grupo, contando como convidados a produtora de filmes independentes Terranova, responsável pelo programa "Zona Franca", que participou dessa aventura representando o canal 9 Megavisión, daquela capital. Ali, ante a presença de toda a equipe técnica e do jornalista Alberto Daiber, mais uma vez uma nave extraterrestre fez sua aparição. Tudo isto foi registrado num programa de televisão que foi ao ar nesse país, no mês de julho de 1992, no qual, após entrevistas realizadas conosco, os jornalistas narraram todos os pormenores da incrível experiência de que foram partícipes.
Até o momento, no que se refere ao meu trabalho de contato, as nossas experiências de observações e encontros com estas entidades, continua ativo e em franco desenvolvimento, aguardando apenas o próximo momento de envolver desta vez a mídia norteamericana.


Horizonte: O método utilizado desde o começo foi a psicografia. Ainda é assim? Psicografia é um bom método para conseguir um contato programado? É um tipo de telepatia que se estabelece com os ETs?
Verónica: De fato, o metodo inicial foi a psicografia, um sistema de comunicação mental ou telepática também chamado de "escrita automática", onde, segundo dizem os entendidos, os impulsos mentais são decodificados pelo cérebro e transformados em estímulos musculares, manifestando-se numa forma rudimentar de escrita. Porém, o processo evoluiu ao longo do tempo e, em muitos casos, passou a manifestar-se de forma telepática direta, isto é, sem a necesidade de haver uma escrita. Mas temos sempre promovido o uso da psicografia como forma de manter o registro escrito da informação, o que permite sua fácil análise e acompanhamento. Na prática, existem diversas formas de contato que vão desde a forma de escrita até a presença de sonhos como forma de orientação ao contato.
No nosso caso, a presença de mensagens não confirma ou nega a existência de um contato, apenas refere a presença potencial do mesmo. Somente consideramos um contato quando a mensagem se confirma através de uma experiência de observação física, isto é, no campo.


Horizonte: Como são seus contatos pessoais com os ETs hoje? Qual a função destes contatos num mundo tão conturbado como o atual?
Verónica: Quando cheguei ao Canadá, em 2001, eu era simplesmente ninguém. Toda a literatura que fala sobre mim e minhas experiências está de fato disponível na Internet, mas a maioria em espanhol ou português; dificilmente poderia ser encontrada na época alguma coisa em inglês. E os americanos e canadenses não lêem nada que não seja em inglês. A América do Norte é uma ilha onde somente o que sai daqui é valorizado e reconhecido, e o que vem de fora dificilmente terá fácil acesso e aceitação, a não ser que você possa dar prova objetiva e contundente para vencer o preconceito xenofóbico e forçar as pessoas a reconsiderar. Desta forma, quando iniciei as minhas palestras e atividades no Canadá, meu principal objetivo foi reunir o maior número de testemunhas de minhas experiências de contato no mais curto prazo possível. E, não somente provar a habilidade de marcar encontros com os objetos de origem extraterrestre, mas também provar que a minha relação com estas entidades é bem mais íntima e contínua.
Após alguns anos de trabalho com diversos grupos e pessoas aqui na cidade de Toronto, já consegui algumas dezenas de pessoas que não apenas foram testemunhas de encontros programados com este objetos (tendo alguns deles sido filmados em vídeo), mas também de diversos fenômenos de observação que levaram a contatos físicos com os próprios extraterrestres.
Os extraterrestres não precisam de pessoas como eu para se fazer notar no nosso mundo nem muito menos para garantir a polêmica de sua existência e presença. De fato, o volume atual de observações, segundo s Nações Unidas, reporta que desde 1947 aproximadamente 150 milhões de pessoas testemunharam a presença de OVNIs nos céus do mundo. Sendo, pelo menos, 20.000 destes associados a aterrissagens documentadas. Por outro lado, somente aqui na América do Norte, 70% das pessoas afirma que seu governo esconde a verdade sobre o fenômeno extraterrestre.
Neste sentido, qual seria a função de ter pessoas que mantêm contato com eles? Apenas de criar uma religião ou de confundir? De fato, não. Devemos considerar que o volume de “contatados” e “canalizadores” é enorme atualmente no mundo. Porém, quantos deles têm oferecido a possibilidade de dar uma prova fisica destas relações? Ninguém, que eu saiba, até hoje, permanecendo apenas no âmbito da experiência espiritual, interior ou transcendental.
Vivemos num mundo conturbado e diverso que vai de um extremo a outro. Os contrastes culturais e políticos são impressionantes, assim como os jogos de interesse e dominação.
Os extraterrestres já provaram desde muito tempo serem detentores de uma tecnologia que vai além da nossa imaginação, assim como serem capazes dos mais incríveis fenômenos físicos. Porém, ainda os “cientistas” debatem as sua intenções e objetivos, apontando de forma quase geral serem os mesmos obscuros e um perigo para a humanidade.
Esta atitude espelha não apenas a nossa ignorância, mas fundamentalmente a nossa ingenuidade, além de demonstrar o nosso medo do desconhecido e a nossa vulnerabilidade para a manipulação.
A melhor prova das boas intenções extraterrestres é o fato de continuar vivos e da possibilidade de saber da sua existência. Seres capazes do que eles são, poderiam perfeitamente passar desapercebidos e até ignorados. E isto é mais que patente na habilidade que demonstram de eliminar a memória consciente e da possibilidade de abduzir pessoas e veículos de qualquer porte.
Por que fazer a sua presença evidente? Ou por que fazer a demonstração óbvia do seu poder e tecnologia? Por que deixar evidências e testemunhas? Apenas para fazer ostentação de poder?

Os extraterrestres estão testando o grau de maturidade, coerência e sentido comum da humanidade. Estão fazendo uma campanha de marketing disseminando informação e estimulando a população à procura de respostas e atitudes. Estão buscando medir o nosso grau de percepção e capacidade de associação racional e inteligente. Estão buscando medir em que momento a humanidade se definirá como um potencial aliado ou um radical e cruel inimigo.
Eles sabem que existem aqui muitos interesses em jogo, muitos deles a serviço de quem controla o poder, e que a sua formal presença representa uma afronta e uma simples destruição do controle exercido. Razão pela qual, não apenas evitam que a população tenha acesso a verdade, mas distorcem os fatos para semear a desinformação e perpetuar o controle sobre os ignorantes e amedrontados.
Os extraterrestres sabem que estão rendidos em relação a qualquer atitude aberta, pois a mesma endossará o medo e o preconceito existente em relação a eles, reforçando a idéia de invasores e entidades negativas que os controladores do poder buscam perpetuar e reforçar no inconsciente dos ignorantes. Sabem que ter e manter uma relação inteligente com a raça humana resulta uma tarefa difícil, senão quase impossível, pois as pessoas estão amarradas a preconceitos, cultura, educação, família, trabalho, responsabilidades e interesses que os manipulam e distanciam da verdade e de um recomeço. O preço de acessar uma realidade maior pode resultar duro e difícil, tanto que o custo da mudança e de ter que admitir quão errados estamos como civilização e cultura pode levar a um conjunto de decisões que muitos, e de fatos muitos, não têm a intenção de assumir.
“É mais fácil ruim conhecido que bom por conhecer” – esta frase traduz claramente a nossa mentalidade. O custo de tentar algo novo e diferente pode provocar o isolamento, a incompreensão, a violência pela ignorância e o desrespeito. Quantos estariam dispostos a enfrentar semelhante oportunidade sabendo que poderão perder seu “status quo” tão duramente construído e obtido? Poucos, bem poucos.
Os extraterrestres sabem que a humanidade pode se transformar num poderoso aliado, mas também num terrível inimigo no momento de desenvolver tecnologias que possam alterar as relações de espaco-tempo. Uma civilização movida por interesses econômicos, ideológicos e políticos onde as nossas crenças religiosas transformam o valor da vida humana em nada, e onde sacrificar milhões de pessoas apenas por um ideal ou uma crença, ou o desejo de poder e controle, amedronta estas entidades, pois nos transforma em predadores de nós mesmos.
Mas eles sabem que neste pequeno planeta azul existem pessoas cansadas de sofrer, indignadas de ver a miséria se espalhar pelo mundo, enojadas pela impunidade e pelo desrespeito à vida em todos os seus sentidos e extenções. Sabem que há seres à procura de dias melhores e que desejam o melhor para o nosso futuro. Mas seu problema tem sido chegar ao mundo como um todo, não apenas para alertar da nossa contínua insanidade e irresponsabilidade, mas para mostrar que o Universo lá fora quer abraçar a humanidade como iguais e permitir partilhar dos benefícios desta relação. Mas para isso, todo um processo de transição se faz necessário, se faz iminente. A nossa relação não pode destruir o mundo que conhecemos, mas transformá-lo para melhor e, para isso, toda uma adaptação se faz necessária. As nossas diferenças culturais e sociais são homéricas e têm que ser equalizadas à luz de uma realidade maior.
Por isso a minha experiência de contato aconteceu. Somos um experimento com o objetivo de introduzir os extraterrestres como potenciais aliados e como a oportunidade da maior revolução socio-cultural de todos os tempos. Somos os seus advogados e interlocutores, assim como seus anfitriões com a capacidade de apresentá-los oficialmente para uma humanidade receptiva a esta incrível mudança.


Horizonte: As mudanças que ocorreram desde a Missão Rama [1974] até o Projeto Sunesis fazem parte de um plano maior dos guias ETs ou foram apenas devidas à incompreensão humana mesmo? Se trata de uma experiência ET?
Verónica: Rama surgiu inicialmente como um experimento extraterrestre para medir os resultados que uma relação aberta com seres humanos poderia provocar. E, isto não apenas nos diretamente envolvidos mas também no ambiente e pessoas relacionadas como um todo.
Ao longo dos anos e através das mais incríveis experiências os extraterrestres acompanharam o impacto de cada momento e vivência, buscando estudar de que forma crenças, educação, valores de referência, família, trabalho e responsabilidades viriam a afetar decisões a assumir, assim como o correto entendimento da relação e suas derivações. Por outro lado, ajudariam os extraterrestres a saber identificar até que ponto eles poderiam delegar maiores responsabilidades e saber se efetivamente elas seriam realizadas e levadas a bom fim. E o mais importante, a medir o grau de confiabilidade do conteúdo transmitido, assim como a idoneidade e integridade dos participantes ao enfrentar conflitos de interesse e formação.
O grupo seria o piloto do que esperar da humanidade numa escala menor e sob perfeito controle.
Ao longo dos anos o processo passou por diferentes etapas e derivações, assim como desde o seu início. Guerras de ego, liderança, poder, controle, dominação, manipulação, fanatismo, messianismo e discórdias passaram a afetar o processo como um todo, vindo a se transformar em fatos de alienação para muitos, tábua de salvação para outros e manter a integridade do que foi desde o seu início passou a ser para os extraterrestres uma derivação dos objetivos iniciais.
Sunesis surgiu como uma alternativa em função da corrupção sofrida pelo processo como um todo. E, desta forma busca preservar os objetivos iniciais desta relação.


Horizonte: O que os guias lhe falam sobre a situação climática do planeta hoje? Realmente o quadro é tão sério como pintado pelo IPCC em seus relatórios?
Verónica: Em 1993, publiquei através da Editora Ícone meu primeiro livro, chamado “Os Semeadores de Vida”, no qual fazia ampla referência ao meu histórico sobre a experiência do contato extraterrestre e até o resultado de todos estes anos de intercâmbio com os nossos visitantes siderais.
Desde 1993 muita coisa mudou no mundo e muitas coisas ocorreram, mas o mais interessante foi que o relatado no livro, tanto em relação às descobertas da sonda Galileu em Júpiter, assim como os últimos acontecimentos ocorridos no dia 11 de Setembro de 2001 na cidade de Nova Iorque, aconteceram de forma similar a conforme estava escrito.
Em relação a Ganimedes, a maior lua de Júpiter, encontramos na pag. 149 as descrições sobre as características geológicas do satélite, assim como condições telúricas da existência de energia geotérmica sob a sua superfície, que foram confirmadas e enfatizadas pelos diversos sensores da sonda Galileu, assim como a presença de atividade geotermal semelhante no subsolo de outras de suas luas. E, o que dizer em relação a Marte depois das descobertas da sondas Spirit e Opportunity neste ano? Falta pouco para constatar oficialmente a existência de vida no seu passado, e pelo menos água já esta quase confirmado.
Por outro lado, na pag. 361 do mesmo livro, faço plena referência à ameaça que os países árabes representavam para a estrutura americana e para a economia deste país, mencionando inclusive até por volta de que ano isto deveria ocorrer, sendo que, como referido, no dia 11 de Setembro de 2001, os terroristas muçulmanos da Al-Qaeda perpetraram um terrível atentado no maior centro econômico dos EUA. Além do mais, todas as referências feitas nesse capítulo sobre a situação econômica da humanidade após o terceiro milênio estão em franca ocorrência.
Infelizmente, tudo isto prova que, mesmo anos passados, não mudamos o nosso provável futuro e muito menos alteramos as condições para termos uma vida mais tranqüila e promissora. Bem ao contrário, enfrentamos hoje um cenário futurista de profundas incertezas e terríveis possibilidades.
A situação mundial não é apenas séria mas terrivelmente grave e os seus resultados se farão sentir nos próximos anos de uma forma devastadora. O problema não são terremotos, furacões, tsunamis, vulcões, meio ambiente mudando não apenas a temperatura mundial e as correntes dos oceanos, mas tudo isto em conjunto vai afetar a cadeia produtiva e alimentar humana nos próximos anos. Alimento vai faltar e a produção vai se reduzir. As conseqüências socias de tudo isto trarão resultados devastadores e o descontrole da estabilidade mundial. Enfrentaremos momentos muito delicados se não pusermos a humanidade em contato direto com eles e se não fizermos um trabalho conjunto para mudar este cenário.
Através do meu trabalho tenho procurado transferir não apenas mais conclusões e reflexões obtidas ao longo de uma curta vida sobre todos esses assuntos já referidos, mas o resultado de conversas e trocas com civilizações de outros mundos sobre a vida e o propósito dela no Universo.


Horizonte: Por que o preconceito com um transexual contatado é tão grande? Isso deixa as pessoas inseguras? O que impediria um transexual de estar apto a um contato se o preparo depende de ética e não juízo de valor ou moral?
Verónica: Tenho recebido severas críticas em relação a ter assumido a minha transexualidade e muitos têm utilizado esta situação para denegrir a minha credibilidade. Acho que a melhor prova de honestidade que poderia ter oferecido ao mundo foi exatamente ser coerente comigo mesmo e com todos aqueles que confiaram em mim.
Assumir a mudança não é nenhuma brincadeira, pois representa uma decisão difícil e sofrida, e quando decidi enfrentá-la sabia perfeitamente o custo que representaria na minha vida pessoal e profissional. Poderia ter perfeitamente continuado vivendo uma mentira para agradar o meu público, evitar perder meu emprego, continuar com o meu sucesso e não dar trela aos leões famintos de mexericos para me atacar. Porém, preferi ser publicamente honesto e me revelar abertamente para demonstrar que minha sinceridade e honestidade não tem limites, mesmo que isto signifique sacrificar a minha vida e todo o sucesso pessoal e profissional que me tomou anos para conquistar, confiando em que a coerência e uma visão mais profunda e humana entre as pessoas que se dizem espiritualizadas e holísticas lhes permitirá entender a minha atitude. Mas, acaba sendo mais fácil para aqueles que desejam me criticar, apenas tomar a situação às avessas. Mas, para cada um cabe aqui uma reflexão profunda e sincera. E, com certeza, os extraterrestres sempre souberam de mim e de minha vida pessoal, o que, a seu critério, jamais impediu estar perto de mim e continuar a nossa relação. Com certeza estas civilizações estão muito além das típicas atitudes homofóbicas, preconceituosas, marginalizantes e discriminatórias.
Uma pessoa transexual não tem nada diferente de um ser humano comum, apenas seu cérebro possui o sexo neurológico distinto do sexo físico ou genético. Diversas explicações científicas e médicas justificam a transexualidade e pode ser considerada como apenas mais uma deficiência. Razão pela qual a correção física é permita por lei, já que o que se faz é adequar o gênero físico ao neurológico.
Por outro lado, o segmento dito científico da investigação extraterrestre não passa na sua maioria de um bando de aproveitadores que se utilizam do fenômeno para aproveitar-se de boa vontade das pessoas; as manipulam de forma a explorá-las economicamente e se alguém compete com o seu poder ou pode afetar a sua hegemonia buscam destruí-la, nem que para isso manipulem a informação a ponto de distorcê-la a seu favor e benefício. Buscam explorar o medo, o mistério e a paranóia das pessoas para poder conduzí-las do jeito que desejam. Não estão à procura da verdade dos fatos, mas de atuar como uma nova Inquisição que fiscaliza sem controle e faz prevalecer os seus interesses.
A minha situação, como mencionei, resultou em prato cheio para muitos deles que aproveitaram o preconceito me chamando de “travesti” e utilizando termos claramente pejorativos até em alguns dos e-mails que recebi deles e que ainda mantenho para o momento certo. Neste sentido, buscaram explorar a minha situação em seu favor para me tirar de circulação vindo, inclusive, a mentir publicamente em palestras sobre a nossa experiência e a situação do J.J. Benitez no contexto do fenômeno e como testemunha, esquecendo que ele não foi o único que participou do evento. Todo este material está sendo reunido para ser utilizado mais adiante, mostrando à opinião púbica a idoneidade de certas pessoas e a forma com que manipulam e controlam as suas opiniões.


Horizonte: Qual é a visão da sexualidade humana compartilhada pelos ETs com você em suas décadas de contatos? Eles sempre apoiaram sua sexualidade e identidade de gênero?
Verónica: Seria infantil imaginar que os extraterrestres nunca souberam sobre a minha sexualidade e que para eles foi uma surpresa. Um dos grandes erros da nossa humanidade é imaginar os extraterrestres sob a mira dos preconceitos e mediocridades humanas. As pessoas normalmente os vêem como uma extensão nossa sofrendo das mesmas limitações, das mesmas fraquezas e necessidades, e curtindo de certa forma das mesmas paranóias.
Mas estão não apenas terrivelmente enganados, como incrivelmente longe da sua realidade. São criaturas que alteram as condições do espaco-tempo para viajar pelo espaço, cuja tecnologia os pode levar para qualquer lugar e onde a sua civilização já superou a miséria e a pobreza, assim como a mediocridade do desejo de poder e controle. As megalomanias dos egos são história do passado e seu único objetivo é preservar, manter e desenvolver a sua sociedade cada vez mais. É o ponto a se preservar e onde nós entramos como possível ameaça. Nós podemos ameaçar a estabilidade destas civilizações e é por isso que estão aqui.
Moralidade, bom ou mau, certo ou errado, são apenas conceitos relativos a cada cultura e região. Um beijo na rua no Rio de Janeiro não chama mais a atenção de ninguém, pois mais do que isso é feito na rua. Já, num país islâmico só o fato de uma mulher andar na rua sozinha a levaria para a cadeia, o que dizer de um beijo.
Pois é, matar milhares de pessoas num prédio em Manhatann é levar este “mártir” direto para o paraíso de acordo com as suas crenças; assim como detonar um ônibus repleto de inocentes judeus, será para os olhos dos seus partidários um herói, mas para quem não comunga das mesmas crenças não passará de um cruel e sangüinário assassino. Este é o nosso mundo, onde quem julga o faz sob os olhos de sua cultura, formação e crenças. Nós, uma sociedade que agoniza lentamente como resposta a sua irresponsabilidade, onde a vida das pessoas, o respeito a cada ser humano não é nada e pode ser dispensado sem exitar se de alguma forma serve aos interesses de quem busca se aproveitar é o melhor exemplo da realidade que nos cerca.
O futuro está batendo na porta e não será nada paciente com a humanidade. Ou a gente muda de atitude ou o mundo nos fará desaparecer. A opção é nossa e quem não tem olhos para ver a evidência dos fatos apenas passando o tempo julgando as pessoas, com certeza é a primeira a pagar as conseqüências de sua atitude.
Pensar que a sexualidade extraterrestre tem que ser a mesma dos terrestres é, além de infantil, incrivelmente absurda. Somente aqui em nosso planeta temos seres que mudam a sua sexualidade de acordo as necessidades de sobrevivência e criaturas que são hermafroditas por natureza. Por que os extraterrestres teriam que seguir apenas o modelo humano? Por que é moralmente ou religiosamente correto? Isto apenas reforça quão longe estamos de uma relação aberta com as pluralidades do Universo e quão míopes estamos em relação ao que realmente representa ser humano.


Horizonte: O fato de você ter sido apresentada pela mídia internacional como o primeiro contatado transexual do mundo (que se sabe, claro) causou muitos transtornos em sua vida pessoal?
Verónica: Na verdade apenas tornou público e aberto algo que já estava transitando entre as pessoas. Apenas reafirmou algo que já estava no âmbito da fofoca e nos comentários nos círculos ufológicos e espiritualistas. Minha vida pessoal já estava enfrentado as conseqüências da minha decisão desde o momento em que havia assumido minha situação.


Horizonte: Quem tem lhe apoiado neste momento, principalmente depois de sua mudança de gênero? Que impactos isso teve na sua família, amigos, membros dos grupos de contato?
Verónica: Muitas pessoas de fato se afastaram em conseqüncia do preconceito reafirmando a sua ignorância em relação ao assunto e demonstrando não estar em sintonia com o que um processo como este representa.
Infelizmente, a influência religiosa na formação moral dos indivíduos é fundamentalmente católica e, neste sentido, conservadora. Fosse do tipo oriental a resposta seria muito diferente, pois dentro do seu conceito, uma pessoa como eu já se encontraria num outro nível de desenvolvimento e não seria um excluído ou um pária.
Por outro lado, uma vez baixada a poeira muitas pessoas retornaram e se aproximaram, vindo a superar o impacto. Minha família, por outro lado, não conseguiu assimilar bem o assunto, principalmente meu irmão, já que como fundadora do processo e co-responsável pelo que derivou, foi cobrado para dar a sua opinião sobre a minha situação. E, dentro do processo que ele gerou, os dogmas e preconceitos religiosos são e continuam presentes e fortes. Infelizmente, tem se visto numa situação difícil.
Mas como mencionei, muitas pessoas continuam trabalhando comigo e aqui no Canadá o preconceito é praticamente nulo. Existe de fato como em qualquer país do mundo, mas não representa um fato de grande influência.
O meu trânsito nas minhas palestras e atividades continua bem ativo, tendo dado palestras na Universidade de Toronto e feito entrevista no mais importante jornal de Toronto algum tempo atrás.
Mas, em nível mundial e em geral, de fato o preconceito com minha pessoa e o acesso à minha experiência estão claramente distantes e senão totalmente terminados.


Horizonte: Você hoje é um transexual que vive com uma mulher. Isso causa ainda mais estranheza nas pessoas, acostumadas apenas a situações ditas “normais” sobre as quais elas pensam ter algum controle?
Verónica: Como transexual de fato levo uma vida 100% feminina, e trabalho numa empresa já por 4 anos, tendo meus documentos sob a mesma situação. A minha aparência não confita com a minha situação e na verdade raramente cria algum tipo de conflito.
Apenas acredito que ainda a minha voz é um pequeno contraste, mas não realmente a ponto de comprometer a minha imagem social.


Horizonte: O que você acha da pesquisa de Kevin Randle, publicada na revista The Anomalist (EUA) – nº 09, 2001 – segundo a qual, de 316 contatados que foram abduzidos, um percentual alto de 23% se declarou bissexual e 29% se declarou homossexual? Se isso for verdade, haveria alguma relação entre sexualidade e predisposição a abduções?
Verónica: Acho realmente interessante, pois estas pessoas são muito mais abertas a novas idéias e menos propensas a preconceitos ou prejuízos, o que para os extraterrestres é a garantia de uma interação com maiores possibilidades de um bom resultado. De fato, as pessoas, por uma menor influência dos padrões sociais e culturais, estarão mais livres para assimilar facilmente novos padrões de comportamento e mais receptivas a situações fora dos esquemas convencionais.


Horizonte: O Projeto Sunesis está conectado, diretamente ou por laços de afinidade e amizade a outros grupos que buscam contatos programados com ETs?
Verónica: De fato, a gente mantém uma relação aberta e descomprometida com qualquer organização ou grupo de experiência extraterrestre. Sempre e quando a atitude seja recíproca. O nosso interesse é trocar experiências de fato, e estamos abertos a toda possibilidade.


Horizonte: Qual é o sentido mais profundo de se buscar contatos programados com os guias ETs? Eles são nossos mestres cósmicos modernos? Ou sempre foram?
Verónica: O contato fisico com eles existe no nosso trabalho como forma de confirmar que a relação é real, que o acordo de trabalho conjunto continua em pé e que a nossa mútua aproximação está em relação a como estamos amadurecendo e abrindo a nossa mente a novas possibildades de viver a vida e entender o seu sentido maior.
Os extraterrestres não estão aqui para tomar o nosso lugar e ser os nossos professores ou mestres. Estão aqui como uma civilização que chegou onde chegou trilhando um processo evolutivo similar e que pode servir de referência para nós e nos ajudar a não cometer os mesmo erros. Estão aqui para nos mostrar que é possível construir uma civilização coerente, digna, que respeite seu ambiente e os seus semelhantes e capaz de não apenas progredir, mas construir e preservar melhores dias para todos.
A nossa experiência física não é para ouvir deles o que a gente já sabe, mas para confirmar que o nosso entendimento do que é necessário para superar as nossas limitações e ampliar o nosso estado de consciência estão em contínuo progresso. A nossa experiência de contato é para saber abertamente se estamos conquistando a sua confianca e respeito e se através do nosso rabalho estamos atingindo o nível necessário para treinar outras pessoas para estabelecer uma nova relação.
Lembremos que o objetivo de tudo isto é introduzí-los à nossa humanidade de uma maneira formal. Neste sentido, convidar a imprensa é mostrar que estamos num processo de aproximação com uma civilização mais avançada e possibilidade de que o contato final ocorrer apenas depende de um acordo mundial para iniciar a nossa transição para uma real e profunda troca com alguém mais experiente, e que nos pode poupar muito tempo e muito sofrimento para chegar a uma melhor condição de existência.
O nosso objetivo maior como humanos nesta relação, portanto, é concretizar as bases de uma nova cultura baseada na sua experiencia, totalmente universalista no sentido total da palavra, orientada à melhor forma de compreender a vida, tanto individual como em comunidade, promovendo sua expansão de forma gradativa e visando resgatar o prazer por estarmos, enfim, vivos.
Para sobreviver e construir o amanhã devemos nos unir hoje. Uma união tão forte, tão humana quanto o desejo de sermos felizes. Uma união realizada independentemente de bandeiras, rótulos ou institucionalismos, onde o amor à vida e a um futuro melhor seja nosso único denominador. Para você, que teve a paciência de chegar até aqui, desejamos um amanhã promissor, pois existem pessoas, agora, semeando e lavrando uma esperança: que, algum dia, os que estiverem vivos para colher poderão ser, afinal, os novos semeadores de vida. Uma vida de amor, amizade, respeito e confiança construída hoje, com o seu e o nosso esforço, para todos nós e, principalmente, para aqueles que virão depois de nós.


Horizonte: Agradecemos muito a sua gentileza em conceder-nos esta entrevista, Veronica. Gostaríamos que deixasse algumas palavras sobre o processo de expansão da consciência, conforme ensinaram a você os guias ETs.
Verónica: Sempre procurei e sempre buscarei lutar pelo mundo que sei que somos capazes de construir. Pois existem seres humanos bons, honestos, idealistas e sonhadores. Criaturas cujo coração acredita no amor, na amizade, na verdade e na felicidade. Entidades maravilhosas cujo espírito pertence às estrelas e cuja mente está posta para aprender.
São eles meu alvo e serão sempre meu objetivo. Errando e fazendo o melhor possível buscarei ser para eles um ponto de convergência, uma luz para seus ideiais e um porto para abrigar seus sonhos. Estou para dar forma a suas idéias e dar força a suas vontades. Jamais para liderá-las, mas apenas para ser mais um na construção de nosso futuro.
Ao longo de minha vida, os extraterrestres me mostraram o que conseguiram realizar pelo seu esforço. Uma amostra do que nós poderemos algum dia conquistar para nós mesmos. E eu acredito nesse futuro e nessa possibilidade.
Não busco que acreditem em mim nem nas minhas experiências, nos meus contatos ou conversas com extraterrestres. Apenas que acreditem que amo o mundo, o ser humano e o universo do qual somos parte. Quero que acreditem nos meus sonhos de uma vida melhor e que existem pessoas capazes de construí-la, pois amam a vida como eu.
Busco desesperadamente encontrar sonhadores que, como eu, vêem através de seus corações o despertar de um universo que nos estende seus braços e que quer se aproximar. Procuro obsessivamente amantes da vida, que como eu, querem desfrutar desse amor cósmico e profundo. Aquele capaz de superar toda e qualquer dificuldade ou barreira. Aquele que une mais as pessoas a cada momento e as faz serem fortes, resistentes e seguras. Aquele que nos preenche e toma por completo pois torna a amizade algo maravilhoso e poderoso.
Nosso futuro precisa de nós. O mundo precisa de nós. O amor e a vida, precisam de nós. Não interessa quem somos, que somos, qual o nosso sexo ou qual a nossa história pessoal. O que importa é o que somos capazes de realizar e a vontade de realizar, pois a vida será sempre repleta de erros, dificuldades e incompreensão. Mas a nova vida, o mundo novo, será repleto de vida nova, de amor, de tolerância, respeito, compreensão e amparo. De igual forma, como o universo nos acolheu um dia e nos colocou neste pequeno planeta, devemos nós, cada um de nós, acolher os nossos semelhantes. Buscar nos amar, nos respeitar e construir nossa mente para lapidar o nosso coração e dar forma a nossas vidas.
Temos a missão de ser artífices da paz e da felicidade. Temos a obrigação de viver em paz e dignamente. Temos a responsabilidade de nos preparar para descobrir as técnicas, as formas, os passos, os conhecimentos que nos permitam realizar essa missão.
Dois milênios atrás veio uma criatura ao nosso mundo, perdoando, amando, ensinando, levando esperança e compreensão. Amou desmiolados, acudiu doentes, acolheu prostitutas e recriminados pelo preconceito, levou esperança aos pobres e conhecimento a quem o ouviu. Que seu exemplo nos guie no caminho da vida, que suas obras iluminem nossas ações e que a vinda desta entidades, nos encontre dignos de sermos enfim, amados e reconhecidos como verdadeiramente humanos.

O website do Projeto Sunesis, para os interessados em conhecer melhor o trabalho desenvolvido por Verónica Paz Wells é: www.sunesis.ca [com versão em Português]

http://revistahorizonte.blogspot.com/

07 setembro 2014

Vampiros psíquicos: Como reconhecer um e o que fazer sobre isso.

Todos que estão lendo este artigo provavelmente tiveram uma experiência com um vampiro de energia vivendo no tipo de sociedade que estamos hoje, todos nós enfrentamos isto em diferentes níveis. Quer se trate de um relacionamento onde você estava tão manipulado que começou a questionar sua própria sanidade, tendo mantido o controle em cada momento porque essa pessoa estava convencendo-o que o céu era realmente roxo ou simplesmente que um amigo ou colega de trabalho não era feliz nos momentos mais felizes de sua vida, é uma sensação de ter suas energias, sua alegria natural e força de vida drenadas por alguém próximo, você pode senti-los deliberadamente ou acidentalmente minando e mutando seus arredores com negatividade.
A nossa principal missão aqui neste planeta é nos amarmos uns aos outros, juntando as mãos e a cabeça construímos uma vibração mais elevada para agitarmos trazendo tudo o que está faltando, este sentimento de energia sendo drenada deve ter começado em algum lugar, talvez proveniente de uma expectativa geral de que a outra pessoa (o vampiro de energia) compartilhasse este sentimento desta missão de exaltação mútua, a atual estrutura social foi construída sobre a ideologia oposta ao dizer-nos inconscientemente, diariamente, desde o nascimento, que quando não obtemos a energia emocional que precisamos (que deve ser compartilhada) devemos então dominar ou competir com os outros, uma competição inconsciente pela energia subjacente a todos os conflitos de vampiros de energia, ao dominar ou manipular os outros recebem a energia extra que eles pensam que precisam, é bom para eles, mas ambas as partes são prejudicadas no conflito, a verdade é sempre inerentemente ameaçadora pois nunca devemos controlar, dominar ou manipular qualquer pessoa ou situação, cada pessoa tem uma linha direta com a fonte de energia, a fonte mais abundante e poderosa de energia que existe.

Os diferentes tipos de vampiros psíquicos e como você os vê.

Pobre de mim: estão nos fazendo sentir culpados e responsáveis ​​por eles
Esta é aquela pessoa que se você tiver uma gripe ela teve uma muito pior antes do que você ou até mesmo é aquela que está constantemente em um mau relacionamento, uma situação financeira ruim, ou alguma aflição pairando acima, não é coincidência que os que não foram despertados para a sua fonte também estão doentes, sem dinheiro, sem sorte, sem amor ? Ou será que é uma coincidência afinal ? São essas pessoas que eu vejo mais frequentemente, mas também são os menos nocivos pois a maioria está fazendo isso de um modo não malicioso e a na maioria das vezes de um ponto de vista inconsciente, embora eu já tenha tido experiência com alguns isto é a ponta do iceberg das camadas táticas de manipulação para mantê-lo como sua vítima constante e hospedeiro, quando você não apareceu na sua festa de piedade isso estará em pleno andamento com o seu arsenal de viagens de culpa para tentar sugar energia e atenção, tente manter sempre em mente que esta atitude: “pobre de mim” simplesmente acontece por não receber amor suficiente do seu próprio interior.
Sugando a energia de longe: mostrando indiferença
Esta é aquela pessoa que é muito legal na escola ou no trabalho, indiretamente sem dizer nada fazem você questionar se tudo o que você está fazendo deve ser comemorado, eles chafurdam na sua indiferença apenas o tempo suficiente para afetar psicologicamente os seus processos e de tabela atraírem sua atenção para eles em vez da sua fonte original de alegria, esse é o cara que está completamente em silêncio mas revoltado com a sua elevação ou porque só você teve a lição incrível que aprendeu na vida e quer compartilhar, há também um sentimento de um modo sifão em que você está servindo eles, porque a sua tática principal é parar o seu fluxo de energia como mecanismo de controle.
Interrogadores: drenam a energia julgando e questionando
Essas pessoas são aquelas que estão incessantemente e persistentemente com a necessidade de ter razão a todo custo, isso pode ser em algo que é de conhecimento geral ou somente para contrariar o que você está dizendo, basta uma redação diferente ou imprecisa, são aqueles que estão constantemente pisando em seus calcanhares para tentar obter um imaginário passo (inexistente) à sua frente, cortando-o e tentando provar que está “errado”, seu objetivo é o controlar ou impulsionar o ego uma vez que isto é proveniente de insegurança, sua tática é formar uma separação mental da verdade universal ou fazê-lo questionar a sua bússola interior para que eles possam ter o controle sobre você, sobre eles mesmos e sobre a situação ao redor.
Intimidadores: roubam a energia dos outros pela ameaça ou medo
Na minha opinião esta é a incorporação do vampiro mais profundo ou o mais sofisticado, esta pessoa precisa chegar perto o suficiente para conhecer seus medos pessoais para usá-los contra você, isto é muito primitivo, é uma tática de cérebro reptiliano que se você estiver com medo então eles seguram o volante, suas decisões e sua energia vital, essa tática não é usada de forma sutil, muitas vezes segue junto com um sistema de suborno, por exemplo: se você não fizer isso você vai comprometer sua segurança ou a de outro, mesmo que você não goste você faz, ele é muito mal-intencionado, muito deliberado, ele se mostra no espelho de maneira confortável ou qualquer outra situação em vez do medo, na minha opinião a distancia ou ignora-lo é a melhor atitude para este tipo.
Naturalmente a próxima pergunta seria:
Como posso me proteger dos vampiros de energia ?

Eu sempre uso este sistema fácil de três etapas:
1: Tente elevar o vampiro para uma vibração mais elevada.
Tudo vem do amor ou é um grito de amor, se uma pessoa está tentando sugar energia de você ela está à procura de amor que é o sentimento de conexão com a sua própria fonte, então lembre-os disso, seja através de um ato de bondade ou simplesmente oferecendo palavras bondosas para a sua situação, esta técnica funciona melhor para os tipos: “pobre de mim”.
2: Se eles são resistentes ao aumento de vibração, você sempre pode se proteger:
Se você tentar oferecer-lhes amor e eles resistirem a esse processo você sempre pode entrar em modo de proteção, a maioria das pessoas vê isso como a construção de uma parede, ou desviam sua atenção, ou visualizam uma bolha de luz branca ao seu redor, embora eu ache que a visualização é útil porque traz de volta a sua própria linha de conexão e lembrança de que você é uma poderosa extensão da Fonte, da minha perspectiva isto é apenas um band-aid sobre uma casca uma vez que é apenas uma correção temporária para a situação onde você pode ter sempre essa pessoa ao seu redor, a situação fica pegajosa porque temos expectativas e são expectativas compreensíveis e universais, essa expectativa é a de participar na construção e aceleração da consciência coletiva, fizemos um acordo e é muito bom compartilharmos as boas vibrações com outras pessoas ajudando a elevar a humanidade para a ascensão, quando um vampiro começa a minar sua energia abertamente em vez de juntar-se na elevação da frequência isto acontece apenas porque baixamos nossa vibração pela decepção por causa de nossa reação ou ação, nós podemos parar este acesso ao não sermos uma vítima de nossa expectativa quando simplesmente esperamos o oposto desta pessoa (para continuar com o mesmo comportamento padrão de drenagem de energia), reconhecendo que isto é independente da nossa experiência pessoal, em seguida você pode entender que para ser atingido tem que estar na mesma frequência de um vampiro de energia até mesmo para se tornar seu hospedeiro.
Outra “tática” seria um exercício de cura, eu gosto de fazer quando estou ofendida ou me sinto decepcionada com alguém que está afirmando que estou mantendo uma falsa crença, acabo permitindo sentir-me decepcionada com esta pessoa, para começar eu sigo os detalhes do meu artigo “Como se proteger como uma empata“.
3: Corte os laços de comunicação ou simplesmente ignore-os:
Por fim e digo isso porque eu realmente acredito que estamos aqui como espelhos um para o outro para ajudar a curar um ao outro através do compartilhamento, mas se essa pessoa for persistente o suficiente para estar causando-lhe angústia mental e até mesmo física, então é hora de se separar dela mentalmente ou fisicamente, comece a se concentrar no tipo de relação que você gostaria de se cercar no seu ambiente e construa-a com as frequências que você gostaria de estar vibrando, isso indiretamente é um repelente de vampiro por duas razões, a primeira delas é que os vampiros precisa de uma reação ou a sua atenção negativa para continuar vampirizando-o, a segunda é que eles precisam estar na mesma frequência da vítima, na minha opinião é inútil tentar justificar a união com outros “contra” essa pessoa em um cenário cara a cara, bom e mau, porque vamos ser honestos somos multidimensionais, todos não são de todo bom ou de todo ruim, estamos apenas em diferentes níveis de cura e percepção, se você começar a se concentrar mais no que você quer e menos no que eles estão fazendo você vai se surpreender com o alivio dessas pessoas desaparecendo do seu convívio, quando você ouvir a sua bússola interior do coração, a sua conexão com a Fonte, você vai se surpreender com o “poder” que você tem “sobre” eles, porque a verdade é que não há um poder maior do que o outro, não há controle, só UNIDADE, apenas continue seguindo sua alegria.
Para resumir tudo isto, a dinâmica para qualquer situação de vampirização é bastante simples, como você pode ver eles começam tentando tirar a sua energia, você começa a sentir o drama desta tática de controle que temporariamente leva-o para longe do seu ponto de conexão com a Fonte, então quanto mais você entrar na vibração deles mais você baixa a sua frequência e mais “poder” você lhes dá.
Ninguém quer admitir isso, mas a verdade é que todos temos sido vampiros de energia em um grau ou outro porque fomos programados para ganhar energia através de traumas de infância e programação social em vez da abundância total da UNIDADE, a escala e frequência com que realizamos o vampirismo é única para cada pessoa, mas o primeiro passo para a humanidade se curar é lembrar que nós e os outros não somos somente amados mas também um canal interligado a Universal Onisciente, Onipotente Fonte, devemos mergulhar profundamente e nos tornarmos conscientes das energias sutis que nos cercam tentando entender a falsa crença que está dentro do nosso subconsciente que nos leva a fazer isto, então uma vez reconhecida a substituímos pela verdade, quando fazemos isso não existe outra coisa em qualquer tempo ou espaço senão a vontade de absorver estas saborosas, quentes, alegres frequências, irradiando e compartilhando aceleramos as frequências de todo mundo ao redor deste momento universal.
Este artigo foi inspirado no livro “A profecia Celestina”.
Por: Jocelyn Daher https://www.facebook.com/jocelyn.daher

05 setembro 2014

Um enorme portal de oportunidades se abriu para todos.

Mensagem canalizada em 3 de setembro 2014
Conselho Superior das Plêiades




U
m enorme potencial está à frente da humanidade, um enorme potencial e portais de oportunidades estão abrindo suas portas para todos, oportunidades para aumentar o conhecimento de si mesmo, oportunidades de se elevar acima do mundano, oportunidades para ajudar na ascensão de alguns seres, mas o mais importante, oportunidades de reorganizar e reendereçar tudo o que foi enraizado na psique em eras passadas, um portal está se abrindo para os terráqueos mais uma vez no momento determinado do tempo e está trazendo com ele uma grande oportunidade para limpar conscientemente e reequilibrar todas as velhas energias, abrindo espaço para as energias de amor, luz e potencial infinito.

Falaremos abertamente com você do portal de oportunidades espalhando as suas portas a todos os que devem dar testemunho do início fecundo de novas energias elevando GAIA, como já falamos anteriormente.
Muito tem de fato ocorrido em seus planos de existência, muita coisa mudou em preparação para este magnífico portal de Luz, pedimos que você abra seus vasos no tempo e espaço e mais uma vez colha as energias que estão prestes a banhar-lhe a compreensão eterna do amor e da Luz, abra as camadas adormecidas da compreensão e renda-se completamente às energias, entenda que muito mudou em sua realidade presente nos últimos dias de suas encarnações terrenas, muitas mudanças trouxeram com elas uma nova compreensão do ser.


Chegou o momento de explicarmos o decreto de informações com que seus veículos têm sido bombardeados nos últimos anos através de encarnações sem fim na sua espécie, uma ligação com a fonte de seus próprios Eus foi perdida, escondida dentro da profundidade do tempo e do espaço, escondida dentro da roda cármica de sua compreensão da vida terrena, escondida na roda cármica da existência, a roda do carma que foi infundida na estrutura do DNA de seus corpos humanos.

Cada um de seus veículos consiste de DNA humano, têm ainda o fato de que muitos de vocês trabalhadores da Luz também foram infundidos com a estrutura do DNA de diferentes proporções que trouxeram com vocês de planetas distantes e outros planos de existência, o decreto informativo com que seus corpos da Terra foram infundidos por eras passadas estão causando vários graus de separação da Fonte, vários graus de separação e incompreensão de sua realidade atual, a realidade presente que todos vocês estão acostumados em toda a sua própria existência terrena e a existência daqueles que vieram antes de vocês.
O DNA que você adquiriu abrange centenas de gerações de eras passadas, cada uma contendo a marca de condições, regras e experiências de seus antepassados, condições que foram ambas voluntariamente adquiridas por seus ancestrais através de uma variedade de experiências e por aqueles que foram impressos sobre eles por parte das forças de seus líderes e anciãos.

Falamos de decretos informativos que englobam a compreensão da guerra e da paz, da religião, dos costumes, da teologia do passado, de padrões de comportamento e uma lista de moléstias que os veículos humanos de seus ancestrais têm sido atormentados, todas essas energias foram de fato impressas na estrutura do DNA daqueles que vieram antes de vocês, fazendo seu caminho para o subconsciente e as estruturas subatômicas do seu Ser, juntamente com o conhecimento que você adquiriu através de suas próprias experiências e entendimentos sociais.
Você pode entender a enorme quantidade de “lixo” que são afetados de eras passadas?

Com a abertura de cada um dos seus portais terrestres uma nova onda de energia é entregue aos seus corpos a fim de ajudá-lo a empurrar e limpar tudo o que não pertence ao novo mundo ao qual a humanidade deve passar a fim para ascender na compreensão de si mesmo.
Este portal deve aumentar radicalmente as energias que estão sendo enviadas diretamente aos seus corações, ou melhor, a amígdala do seu coração*, como as camadas adormecidas dentro de sua amígdala, estão sendo repostas reconfiguradas e reestruturadas, a maior parte das emoções, sentimentos e disposições adormecidas devem vir à superfície, muito do que você não tenha reconhecido a nível consciente, a amígdala é inacessível para a maioria de vocês através de sua consciência e só pode ser acessada através da manipulação subconsciente que em seu mundo é conhecido como hipnoterapia.

*nota dos Trabalhadores da Luz : A amígdala fica no cérebro, porem os neurocientistas recentemente descobriram que o coração tem um sistema nervoso independente. Na verdade, é chamado “o cérebro que existe no coração“. Existem mais do que 40 mil neurônios no coração e este “cérebro do coração” afeta a amígdala, tálamo e córtex do cérebro da cabeça. A amígdala são grupos de neurônios, e é um importante centro regulador do comportamento sexual ,dos sentimentos (tais como a paixão e o amor) e da agressividade. Este conjunto nuclear é também importante para os conteúdos emocionais das nossas memórias.
No entanto, a amígdala dos vossos corações está a sendo reposta e muitos de vocês devem sentir dores no coração e vários graus de desconforto porque o seu coração está sendo ativado e trabalhado continuamente, grande parte dos decretos informativos adormecidos estão sendo empurrados para fora de sua amígdala em sua consciência para que você possa liberar ainda mais esses padrões comportamentais ultrapassados​​.

Pedimos-lhe para manter a calma permitindo que seu corpo se recupere sozinho como lhe aprouver, pois na verdade é um veículo magnífico que está simplesmente sendo reconstruído a fim de ajustar-se à nova frequência permitindo seus corpos evoluírem de forma espiral ascendente.
Para que você entenda, muito das velhas energias devem ser limpas e liberadas, muitas emoções do passado devem vir para frente do seu ser a fim de serem purificada, pedimos que você simplesmente permita suas emoções serem liberadas, permita que elas passem e saiam do seu corpo.
Devemos lembrar a cada um de vocês mais uma vez que estão sendo atualizados, que os vossos corpos estão simplesmente recebendo os ajustes necessários para sustentar a quantidade de Luz e de amor que estão entrando em seu planeta, a compreensão do puro amor incondicional e da verdade que estão entrando em seu planeta precisam purificar e reajustar seus campos de energia a fim de incorporar as referidas energias e permitir que sua consciência compreenda total e completamente o poder destas frequências utilizando-as para construir uma nova realidade, purificando as grades das velhas energia, purificando e realinhando os velhos paradigmas e padrões de pensamento que estão em vigor.

Este portal que abre as suas portas a todos vocês a partir de 03 de setembro de sua realidade terrena trazendo não só a purificação, mas também a fertilidade e a abundância em tudo, alinhando você as oportunidades perfeitas para tudo o que deseja ajustar na sua frequência, para combinar com as frequências da abundância, da fertilidade e do amor.
Com a duração de sete(7) dias, este portal trará muitas oportunidades não só para o funcionamento interno do seu coração, mas também para o funcionamento interno da sua mente, alinhando assim você com várias oportunidades para acessar a abundância que todos vocês estão aguardando.


Preste atenção as nossas palavras com cuidado e permita os ajustes acontecerem, purificando você e preparando-o para os tempos de fertilidade, abundância, Luz, amor, paz, harmonia e diferentes graus de turbulência, porque de fato a turbulência deve continuar enquanto você faz seu caminho através da espiral ascendente ampliando sua consciência, empurrando para fora tudo o que não pertence a um mundo cheio de amor, luz, equilíbrio, paz e compreensão, criando espaço para um novo modelo do seu Ser e uma nova matriz de realidade a sua escolha.

Isso é tudo o que temos para você agora, nós te amamos, nós estamos sempre com vocês, adeus por enquanto.

Conselho Superior das Plêiades



Fonte: sacredascensionmerkaba


Mensagem canalizada por Anna Merkaba -Eu sou uma canalizadora intuitiva, meio , psíquica, curadora ( reiki e outros) , para portais para a raça humana . Eu acredito fortemente que todos aqui na Terra podem fazer o que eu faço. Eu vim das estrelas , e esta é a minha primeira vez que encarno como um humana na Terra. Eu nasci com todas as habilidades que tenho agora , quando eu era criança, eu era capaz de curar as pessoas , ver coisas que os outros não via , comunicar-se com o reino angélico e de outros lugares e muito mais. Eu tinha que esconder minhas habilidades perante ao mundo, colocar uma máscara e fingir ser alguém que eu não era . 

Saiba mais : Perfil de Anna Merkaba

04 setembro 2014

A Sagrada Flor de Lótus

A flor de Lótus é venerada na Índia e no Japão, e Oráculo disse que essa era a flor símbolo da espiritualidade; a mais admirada de todas, por suas qualidades. 

A semente de Lótus pode, por exemplo, ficar mais 5.000 anos sem água, somente esperando a condição ideal de umidade pra germinar. Ela nasce na lama e só se abre quando atinge a superfície, onde só então mostra suas luminosas e imaculadas pétalas, que são autolimpantes, isto é, têm a propriedade de repelir microrganismos e poeiras. É também a única planta que regula seu calor interno, mantendo-o por volta de 35º, a mesma temperatura do corpo humano. O botão da flor tem a forma de um coração, e suas pétalas não caem quando a flor morre, apenas secam. Assim, para os Chineses, o passado, o presente e o futuro estão simbolizados, respectivamente, pela flor seca, pela flor aberta e pela semente que irá germinar.
Nas gravuras indianas, deuses costumam aparecer em pé ou sentado sobre a flor. Isto ocorre com as representações do deus elefante (Ganesha), Lakshmi — a deusa da prosperidade — e Shiva, O destruidor. Krishna têm a seus pés algumas flores de Lótus, que são chamados pada-kamala (pés-de-Lótus). A tradição budista nos relata que quando Siddhartha (que mais tarde se tornaria o Buda) tocou o solo e fez seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. Representa, assim, que cada passo do Bodhisattva é um ato de expansão espiritual. Tanto que o conhecimento espiritual supremo é comparado ao florescimento do Lótus de mil pétalas no topo da cabeça, como é chamada a expansão do chakra coronário, e seria o equivalente à auréola dos santos da Igreja Católica.

Mais que uma planta, um símbolo sagrado
 

Lótus, planta aquática da família das ninfeáceas. É conhecida também por lótus-egípcio, lótus-sagrado ou lótus-da-índia e é nativa do sudeste da Ásia, mormente Japão, Filipinas e Índia. Possui flores brancas e em geral é cultivada com fins de ornamentação. A espécie foi empregada pelos antigos na fabricação de pão e uma espécie de bebida. Segundo estudiosos, servia como alimento ao povo da Líbia. De acordo com algumas lendas gregas seu suco teria a propriedade de gerar nos estrangeiros a vontade de permanecer na terra e não regressar. Na África setentrional existia um povo que se alimentava desta planta. É identificada em nossa cultura brasileira como vitória-régia (também da família das Ninfáceas) nativa das regiões amazonenses. Algumas espécies florescem na região do Mato Grosso e nas Guianas.
A planta cobre as planícies alagadas do oriente do Egito à China e é uma paixão asiática cultivada desde tempos remotos. É venerada em todo o mundo por milhões de pessoas que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual. Chegou ao ocidente no século IV antes de Cristo. Presenteados pelos egípcios, foram os gregos os primeiros a conhecê-la. A flor espalhou-se pelo restante da Europa, onde foi apreciada por sua beleza, particularmente pelos pintores. A história conta que certos povos da América Central já a conheciam. Sacerdotes do México, por exemplo, embriagavam-se com o efeito alucinógeno produzido por um extrato da planta pouco antes dos primeiros espanhóis pisarem na América. No Brasil, o lótus foi trazido pelos japoneses no século de XX.
Mas a fama da flor de lótus transcende o âmbito espiritual e seu fascínio atinge também os estudiosos da botânica. Há muito tempo que estes especialistas tentam desvendar alguns enigmas que a planta segreda. Pesquisadores da universidade de Adelaide na Austrália, por exemplo, estudam uma estranha característica da flor: assim como os seres humanos, ela é capaz de manter sua temperatura em torno de 35 graus. Esse sistema de auto-regulação de calor, compreensível em organismos complexos, como ocorre com os mamíferos, continua inexplicável para a ciência.
Ainda outros cientistas do instituto botânico da universidade de Bonn, na Alemanha, estudam outra curiosidade do lótus: suas folhas são auto-limpantes, isto é, têm a propriedade de repelir microrganismos e poeiras. Devido a isto consideram-na potencialmente útil para ser aplicada na limpeza doméstica e afins.
Entretanto, apesar de sua unânime beleza, sua utilidade polivalente - especialmente na esfera medicinal, das curiosidades que suscita, e das lendas que inspirou, indubitavelmente sua representatividade destaca-se no plano metafísico.

O Mantra do Lótus

É isso mesmo, o lótus possui um cântico sagrado!
Imagine a cena: a fumaça do incenso envolve como nuvem os monges budistas do templo Doi Suthep, construído no século XIV nos arredores da cidade de Ching Mai, no norte da Tailândia. Como é corriqueiro, ao amanhecer eles estão lavando as mãos nos botões rosados da flor de lótus espalhando um perfume suave no ar. Com a voz grave ritualmente os monges começam a murmurar o mani padami (OM MANI PADME HUM), um dos principais mantras do budismo - originário do antigo idioma sânscrito. A frase exaustivamente repetida significa: “Ó jóia preciosa do lótus”. Terminado o ritual eles depositam uma quantidade tão grande de lótus sobre os pés de Buda que quase soterram a imagem sagrada.
Esse cenário religioso permeia milhões de pessoas de vários países asiáticos que igualmente crêem que o mantra do lótus tem a capacidade de transformar as pessoas em seres puros e iluminados, como o próprio Buda. As palavras sagradas deste canto estão gravadas nas bandeiras, nos sinos que alertam para as cerimônias, em artigos como anéis e pulseiras, nos enormes moinhos de orações que são girados nos templos pelos toques das mãos dos fiéis etc. Destarte, o “aroma” do lótus impregna o Tibete, Tailândia, Índia, Butão, Indonèsia, China e é raro encontrar um país da Ásia onde o lótus não seja considerado sagrado.

O lótus no budismo 


Nas pinturas tibetanas linhagens de budas e homens santos aparecem flutuando sobre flores de lótus - uma representação dos tronos da suprema espiritualidade. Nas escrituras budistas, no Tibete, conta-se que milagrosamente o pequeno Buda já podia andar ao nascer e que a cada passo que a criança “iluminada” dava, brotavam-lhe flores de lótus de suas pegadas – uma das assinaturas de sua origem divina. Hoje muitos monges e fiéis dessa religião visualizam esta mesma cena enquanto caminham, imaginando que flores de lótus surgem debaixo de seus pés. Com esta prática acreditam estarem espalhando o amor e a compaixão de Buda simbolizados pela flor.
O Budismo afirma que Sidarta Gautama (nome histórico de Buda), possui olhos de lótus, pés de lótus e coxas de lótus. O Guru que introduziu o budismo no Tibete é denominado Padmasambhava, que significa aquele que nasceu do lótus.

O lótus no hinduísmo
 

Na Índia a planta está relacionada com a criação do mundo. De acordo com as escrituras indianas foi do umbigo de Deus Vishnu que teria nascido uma brilhante flor de lótus e desta teria surgido outra divindade, isto é, Brahma, o criador do cosmo.
Nas gravuras indianas deuses costumam aparecer em pé ou sentado sobre a flor. Isso ocorre com as representações do deus elefante, Ganexa de Lakshmi - a deusa da prosperidade e de Seiva - o destruidor. Também existe a crença de que o conhecimento espiritual supremo é comparado ao florescimento de uma flor de lótus na cabeça.
O lótus também é essencial para a prática da ioga. Assim como não se pode conceber hinduísmo sem ioga, não se pode conceber ioga sem o lótus. A ioga é prática basilar do compêndio doutrinário hindu e “representa o caminho seguido para se perceber o Deus interior”. Desenvolve-se por meio de práticas avançadas de meditação que requerem a observância de uma posição específica do corpo, mormente a posição sentada que é denominada “Padmasana” ou “Postura de Lótus” na qual os pés são colocados sobre as coxas do lado oposto. Acreditam que a posição do lótus “propicia” o aumento da consciência interna e induz a calma profunda se o praticante associar à postura a filosofia da ioga adequadamente.
Pegando uma “carona” nas crenças hindus, os esotéricos não deixam de dar a sua contribuição com uma parcela de significados “espiritualistas” à flor. Estes crêem que a flor vista de cima infere uma idéia de interiorização, introspecção e centralização, vista de perfil alude a postura de um iogue sentado com um raio de luz emanando dele.

O lótus na mitologia egípcia
 

No interior das pirâmides e nos antigos palácios do Egito o lótus também é representado como planta sagrada pertencente ao mundo dos deuses. A exemplo da crença indiana sua flor testemunha a criação do universo. Um dos mais interessantes relatos da mitologia egípcia sobre a origem de nosso planeta conta que num tempo muito distante, quando o universo ainda não existia, um cálice de lótus com as pétalas fechadas flutuava nas trevas, um relato que faz lembrar a declaração bíblica que diz: “E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (Gn 1.2, grifo do autor). Entediada com o vazio, a flor pediu ao deus-Sol Rá (uma divindade andrógina, simultaneamente masculina e feminina) que criasse o universo. Tendo criado, a flor agradecida pelo desejo realizado passou a abrigar o deus-Sol em suas pétalas durante a noite de onde ele sai ao amanhecer para iluminar a sua criação.

O lótus e o sexualismo chinês 


Já os chineses tinham uma outra interpretação um tanto quanto exótica. Associavam a flor ao órgão genital feminino.
Segundo informam os pesquisadores franceses Jean Chevalier e Alain Cherbrant no livro dicionário de símbolos, na China antiga não havia elogio melhor para uma cortesã do que ser chamada de “lótus de ouro”. Explica-se assim porque entre os chineses a planta é associada ao nascimento e a criação. Mesmo assim o lótus não deixa de contribuir religiosamente para a tradição religiosa daquele país. A deusa do amor e da compaixão Kuan Yin - a mais venerada entre as divindades chinesas femininas, é representada com flores de lótus ainda fechadas nas mãos e nos pés. Como o botão da flor tem o formato de coração, os fiéis acreditam que a planta teria o dom de aflorar os sentimentos amorosos. Os chineses acrescentam ainda outras qualidades preciosas à lótus. Segundo eles, a haste dura simboliza a firmeza, a opulência de sementes estaria relacionada a fertilidade e prosperidade, as folhas - como nascem juntas - indicariam felicidade conjugal. O passado, presente e o futuro também estão simbolizados respectivamente pela flor seca, pela aberta e pela semente que irá germinar.
Além de tudo, segundo a medicina chinesa, a planta é consumida principalmente como chá por possuir qualidades terapêuticas que vão desde a cura de doenças renais e pulmonares até o combate do estresse e insônia.

Curiosidades sobre a planta

Origem: Sudeste da Ásia

Família: Ninfeáceas

Porte: Sua haste pode alcançar mais de um metro acima do nível da água.

Período de floração: primavera e início do verão

Flores: Produz flores brancas, cor-de-rosa ou brancas com as bordas rosadas.

Multiplicação: por meio de sementes ou divisão de rizomas

Luminosidade: sol pleno

Esoterismo: Os povos orientais têm esta flor como símbolo da espiritualidade, pois acreditam que ela desabrocha aqui na Terra somente depois de ter nascido no mundo espiritual. O lótus também representaria a pureza, pois emerge limpa e imaculada do meio de águas turvas e lodosas.

Cultivo: Pode ser cultivada em vasos imersos, tanques de jardim, lagos ou lagoas. Seu cultivo em vaso necessita de 2 partes de terra argilosa, 1 parte de esterco bovino bem curtido ou composto orgânico. Por ser uma planta aquática dispensa regas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...