.
Para ligar a música desça até o pé da coluna da direita e clique no botão: (>)

04 agosto 2010

A grande Cruz no Céu: dia 7 de agosto de 2010.



Chama-se Grande Cruz quando, no mapa natal ou no no mapa do céu, encontramos quatro ou mais planetas alinhados em forma de cruz, como pode ser visto pelo exemplo acima. Fazem quadraturas e oposições. Entretanto, para atingir o máximo potencial, a Grande Cruz ou qualquer aspecto desafiador, precisa estabelecer uma ligação com um trígono ou um sextil, pois sem um canal de vazão, a Grande Cruz, com o seu nível de pressão constante, pode exaurir-se. O exemplo acima mostra-nos uma Grande Cruz em signos cardinais: Carneiro / Áries, Caranguejo / Câncer, Balança / Libra e Capricórnio. Chama-se a isto uma Grande Cruz cardinal. A grande cruz cardinal alterna a sua enorme acção e produção com bastante inactividade em certos períodos. A Grande Cruz cardinal num mapa natal provavelmente é a mais fácil de ser controlada, pois a qualidade cardinal significa movimento, descoberta e solução de problemas. Pessoas com essa configuração nos seus mapas são empreendedoras, eficazes e resolutas. Isso não evita que também passem por situações de perdas muito acentuadas. Também existem as Grandes Cruzes 'fixas' e 'mutáveis'. Ainda há, alguns casos em que o alinhamento não é perfeito e pode haver grandes cruzes mistas.

Vamos ao que me interessa com este texto: fazer alguma pedagogia astrológica a propósito de uma Grande Cruz que se vai configurar no céu, no próximo dia 7 de Agosto de 2010.

Será uma Grande Cruz exacta no céu. É nessa data que a Lua (por ser o planeta mais rápido) faz aspectos exactos a alguns dos outros planetas e aspectos muito curtos com outros planetas. A ilustração acima foi feita intencionalmente para mostrar aos leitores o mapa com a Grande Cruz ou Cruz Quadrada, para esse dia. Também retirei do mapa os planetas que não estarão envolvidos na Grande Cruz, para poder mostrar melhor a cruz formada no céu. A hora escolhida foi a Lisboa, por representar o standard GMT ou TMG - Tempo Meridiano de Greenwich. Este é o meridiano que passa sobre a localidade de Greenwich (no Observatório Real, nos arredores de Londres, Reino Unido) (e também em Lisboa) e que, por convenção, divide o globo terrestre em ocidente e oriente, permitindo medir a longitude. Estamos, portanto, na longitude zero.

Olhando para o mapa a cores vemos dois braços cruzados, colocados em signos cardinais, mas, e, muito mais que isso, vemos que estão colocados em Pontos Cardinais. De um lado temos Saturno e Vénus, em Balança / Libra e no lado oposto temos Úrano e Júpiter, em Carneiro / Áries. No outro braço encontramos a Lua em Câncer e Plutão em Capricórnio. Escolhi uma orbe de 3 graus para não expandir demasiado a cruz. Se mesmo com uma orbe mais enxuta, lê-se todo o género de coisas, desde as mais catastrofistas, às mais animadoras, o que não será com orbes de 10º e mais, como tenho visto! Já vi orbes de 16 graus! Cabe tudo e mais alguma coisa.

Ao fazer pesquisas na internet sobre este tema da Grande Cruz de 7 de Agosto, fiquei com uma estranha sensação: que há 3 ou 4 textos com alguma qualidade e existem inúmeras cópias dos mesmos. A maioria desses textos são do género canalizações, que falam todos no mesmo assunto: a grande necessidade de todos procedermos a mudanças internas. A partir daqui, as variantes são as que a mente humana quiser aceitar ou entender, desde variações galácticas, fotões, neutrões, multidimensões, seres de outros sistemas. Todos apelam ao coração. Isso é muito bom, mas não me parece ser necessária uma Grande Cruz para concluirmos isso. A mim soou-me como que sendo explicações tão exacerbadas que tornam as questões demasiado mentais. Deixo aqui estas leituras como sendo as melhores, apesar de muito exacerbadas e, porque não, desconhecedores do que é astrologia, apesar de se atreverem a usá-la para falarem na Grande Cruz e nos recentes eclipses lunar e solar: aqui - aqui - aqui - aqui - aqui. Pesquisem por vossa conta. Nem tudo o que li ressoou em mim. Tudo muito mental. Para isto, já basta a prática astrológica que é demasiado mental. E eu faço parte desse grupo. Se faço! Sou tremendamente mental!

Quero registar aqui a minha surpresa por algumas destas canalizações falarem em 'eclipse solar na grande cruz' (ou frases similares). Não consigo entender como se fazem afirmações destas quando o Sol, no dia do eclipse solar total estava no grau 19 de Câncer, portanto afastado 16 graus do planeta mais próximo da Grande Cruz. Das duas, uma: ou não sabem astrologia e alguém lhes falou sobre a Grande Cruz e vai daí, levaram tudo a eito e misturaram alhos com bugalhos, ou então, estamos perante algo muito estranho, que nem me atrevo sequer a pensar. O eclipse solar não se deu dentro da Grande Cruz.

Fiquei bastante surpreendido e algo confuso com as leituras que fiz e muito intrigado, pois não li projecções astrológicas. Excepto num dos casos lincados acima. É certo que estas Grandes Cruzes não surgem todos os dias. São raras. Todos os bebés que nascerem nessa semana de Agosto terão essa Grande Cruz no seu mapa natal. Que crianças são essas? Que condimento especial estas crianças virão oferecer à humanidade? Eu não sei, nem quero especular. Alguém já se encarregará de lhes dar um nome, uma tipificação.

Deixem-me falar-vos um pouco de Úrano, de novo em Carneiro / Áries, no 1º grau do zodíaco. Completou um ciclo. Isto, por si só, é um acontecimento de grande significado astrológico. Se aceitarmos que Úrano é um dos planetas que mais mudanças promove e que geralmente, se associa a rupturas de modelos em uso, bem percebemos o que se está a passar à nossa volta. Estamos perante um momento importante de renovação. Conjunto a Úrano, vemos Júpiter, o grande benéfico do zodíaco, que representa as Leis do Homem e as Leis Divinas, e tem o significado profundo de estar associado a questões ideológicas. Portanto, estamos claramente perante fenómenos político-ideológicos. Ou melhor, perante um paradigma: a mudança político-ideológica que o planeta e a humanidade estão a viver. Sim, é sempre um movimento espiritual. Tal como no passado, também foram movimentos espirituais. É a humanidade a evoluir. A grande diferença é que agora somos biliões de pessoas. E as questões espirituais estão mais entranhadas. Nem podia ser de outra maneira, pois apenas significa que a humanidade evoluiu e chegou a este ponto.

Se fizerem o mapa para o tão falado 2012, ficarão desiludidos, pois não apresenta nenhum aspecto astrológico tão radical como este, de 2010. Deixem-me ironizar um pouco: se fosse para chegarmos ao fim do mundo, como tanto se fala, o ano de 2010 seria muito mais conveniente que o de 2012, e isto, apenas olhando para os fenómenos astrológicos que estão a ocorrer.

A última vez que estes dois planetas (Úrano e Júpiter) se encontraram em conjunção em Carneiro / Áries, foi em 1927. Deu-se uma revolta no exército chinês, que mais tarde se transformaria no "exército vermelho", que transformou completamente aquele pais, assim como muitos países que se envolveram ideologicamente com o sistema comunista. No campo oposto, à direita, Benito Mussolini abre as portas ao fascismo italiano, a que mais tarde se juntaria os fascismos espanhol e português. Então, foram dias negros para uma parte considerável da humanidade. E durou décadas. Para terminar as histórias desse ano, Stalin expulsa Trotsky e torna-se o senhor absoluto de todas as Rússias (antiga URSS). Um velho mundo a acabar (o dos grandes senhores das terras, uma era a fenecer) e novos moldes a despertarem. Por um lado o fascismo e por outro, o comunismo. Obviamente, tocaram-se nos extremos. E o mundo viveu com isso várias décadas.

Outras datas desta conjunção em Áries: 1762 (a desgraçada batalha naval entre os reinos de Espanha e Inglaterra, que passou a ser a maior potência naval da época) e 1845 (a Inglaterra aboliu a escravatura). Foram grandes as mudanças verificadas e com enorme repercussão para o resto do mundo. Pesquisem na internet essas datas e conhecerão outros acontecimentos.

Acredito que estamos perante mudanças significativas que se estão a aproximar, em forma de recessão global económica. Qual será o novo modelo emergente? Ainda é cedo para o definirmos. Mas claramente, estamos perante novos modelos ideológicos.

Os quatro signos cardinais desta Grande Cruz são sinais de ritmo e movimento impulsivo que nos dão uma chave sobre novos começos. Transmitem-nos a ideia de acção, de irmos com destino, de sabermos até onde vamos.

Carneiro / Áries é o 'Eu Sou'. Balança / Libra é o 'Estamos perante você'. Estes dois signos, em oposição, dizem-nos que é o tempo para cada um se reconhecer no outro. Do lado Fogo, temos Júpiter (as leis, o ser superior), e Úrano (a mudança, o inesperado, o criativo). Forças superiores, que fazem oposição aos planetas em Libra: Saturno (a ordem, as regras) e Vénus (os afectos, a beleza). Este encontro tem estado a acontecer já há vários meses. Muito se falou em mudança e em como o plano tridimensional terrestre está a enfrentar dificuldades de adaptação. O já paradigmático caso do crude derramado no Golfo do México, (há imensos dias) que, aparentemente está a ser difícil de suster. É o planeta a impor-se a certos desmandos de um capitalismo selvagem.

No outro braço da cruz temos os signos Câncer e Capricórnio. São signos poderosos. Em Câncer somos o 'Eu intuo e eu sinto'. Em Capricórnio somos o 'Eu uso e lidero'. Com a Lua em Câncer, cheia de dignidade e com curtíssima passagem pela Grande Cruz, que se vai desfazer dentro de dias, sabemos que as emoções estarão à flor da pele, tanto mais que faz uma oposição a Plutão (a regeneração) e quadraturas aos outros planetas da Grande Cruz. Após a passagem da Lua, esta Grande Cruz retorna ao que tem sido nos últimos tempos: uma quadratura T. Continuando fortíssima, ma non tropo.

Reduzindo estas interpretações a uma certa essência, e porque o texto já vai longo, é uma Grande Cruz tremendamente purificadora para o planeta e esta humanidade. Por ser cardinal, as pessoas sentir-se-ão motivadas para agirem. Vai depender, obviamente, daquilo que cada um acredita. Uma coisa é certa, se as pessoas tiverem planetas em pontos cardinais serão profundamente 'remexidas' por esta Grande Cruz.

Eu, me confesso: pessoalmente, sou um crente em contactos entre humanos e extra-terrestres. Entre humanos e anjos. Entre humanos e seres multidimensionais. Espero mesmo que esta Grande Cruz ajude a humanidade a desbloquear situações mais difíceis, mais tensas. Mas, também que saibamos interiorizar a capacidade de acção característica deste posicionamento. Acredito que a humanidade vai a caminho de grandes transformações. Aliás, tem acontecido isso, nos últimos 2 anos. Nada é igual ao que era. Excepto para os que vivem das aparências, daquilo que parece ser sempre igual.

Saibamos aproveitar esta Grande Cruz para agirmos, fundamentalmente, na cura das nossas feridas internas, no acrescento de uma maior consciência universal, para darmos passos em frente, para ajudarmos o planeta a ser mais sustentável.

Do lado político, todos assistimos à enorme pressão e tensão para os líderes mundiais tomarem decisões. Eles estão perplexos perante o que se passa, pois o que na verdade desejam é que tudo fique como estava antes de 2008, pois é a única 'realidade' que conhecem. Não é possível. Essa era, acabou. Com Plutão a fazer uma quadratura a Úrano dentro da Grande Cruz, é óbvio que não é nada harmonioso e que as mudanças serão à bruta. Todos os dias assistimos a políticos de todo o mundo fazerem afirmações que nos soam desconexas. Como se não tivessem sido eles e as grandes máquinas financeiras a emperrarem todo o sistema.

Estamos, claramente, em vésperas da mudança de sistema. 


4 comentários:

  1. Um belo texto, sem dúvida. Há que, no entanto, publicar também a sua origem. Foi escrito por António Rosa, no seu blogue Cova do Urso!!!

    ResponderExcluir
  2. Prezado Mick Bernard,

    Fiquei muito surpreendido que um blog que já existe desde 2007, com tanto conteúdo, não tenha dado atenção a pormenores de autoria do texto. Limitou-se a copiar um artigo meu e não fez referência ao seu autor, nome do blogue e ter feito o respectivo link ao texto em questão.

    Assim, este texto é de minha autoria: António Rosa.
    Nome do blogue onde foi publicado: «Cova do Urso» no dia 14 de Julho.
    Endereço do artigo: http://cova-do-urso.blogspot.com/2010/07/grande-cruz-7-agosto-2010.html

    Agradeço que acrescente estes créditos ao seu artigo.

    Não faço ideia quem seja o «Arq. Marco Aurélio Souza».

    Você tem este aviso no seu blogue, pelo que é estranho não pôr em prática com os textos dos outros.

    «Alguns direitos reservados.
    Todas as matérias podem ser copiadas e publicadas em outros sites, desde que citada a fonte, sem nenhuma modificação, e apenas para usos não comerciais.»

    Cumprimentos,

    António Rosa

    ResponderExcluir
  3. Caro António,
    As retificações já foram feitas.
    Veja minha resposta no post de cima.

    Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Mick Bernard,


    Muito agradecido pelo link. Tudo solucionado.
    Vou colocá-lo na minha lista de blogues.

    Abraço.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...