11 agosto 2008

Inteligências Multiplas



Em 1905, o psicólogo francês Alfredo Binet, por solicitação das autoridades francesas, criou um teste para avaliar o grau de inteligência dos estudantes franceses, principalmente nas áreas de linguagem e matemática, que ficou conhecido e respeitado no mundo todo como “Teste de QI (quociente intelectual)”, muito apesar de seu próprio criador, Binet, afirmar que a inteligência humana era muito complexa para ser avaliada por um teste.
A idéia vigente, inclusive é que a inteligência era hereditária, não dependia de estudos, até que no início da década de 80 o psicólogo americano Howard Gardner trouxe para o mundo a teoria das inteligências múltiplas. Nós temos muitos tipos de inteligência.
O neurocientista David Goleman, popularizou a “Inteligência Emocional”, afirmando que a nossa estrutura não é a razão e sim a emoção. Somos seres apaixonados onde a emoção vem antes da razão. Ter inteligência emocional é mobilizar a energia gerada pelas emoções de forma positiva para nós e para os outros.
Uma das causas de sermos diferentes uns dos outros implica nas diferentes combinações de inteligências que cada um possui. Esta certeza pode melhorar a forma que lidamos com nossos desafios do dia-a-dia, principalmente nos relacionamentos, trazendo ainda a possibilidade maior comprometimento para o bem estar comum.
Numa de suas entrevistas Gardner cita que Picasso foi um gênio da pintura, mas era péssimo aluno. Existem pessoas que se destacam pelo pensamento lógico mas não sabem organizar suas idéias com inicio, meio e fim. Há grandes filósofos que não sabem usar o corpo com esportes.
Howard Gardner teoriza que todos temos tendências individuais, competências e áreas que mais gostamos. Sua teoria diz que todos temos, potencialmente, várias inteligências que são ou não desenvolvidas de acordo com o ambiente, criação, cultura. Nossa sociedade ainda se concentra mais nas aptidões intelectuais do que emocionais, artísticas, espirituais, etc.
As diferentes profissões necessitam de habilidades específicas a elas. Ele classifica:


Inteligência Lógica
É a mais pesquisada de todas, avaliada pelos testes de QI, revela a habilidade em matemática que é fundamental para cientistas, engenheiros, economistas, físicos, etc.

Inteligência Verbal
É a competência para comunicação verbal (oratória) ou escrita, o trato com a palavra, a habilidade de convencer, persuadir, negociar, transmitir idéias e pensamentos. Fundamental para palestrantes, políticos, professores, advogados, homens de negócio, líderes, pregadores, etc.

Inteligência Corporal
É a capacidade de usar o corpo de várias maneiras, a coordenação motora, fundamental para atletas, dançarinos, cirurgiões, atores, oradores, atores, mecânicos.

Inteligência Musical
É a percepção de tons, habilidade com sons, aprender a tocar instrumentos musicais, cantar, fundamental para cantores, músicos, maestros.

Inteligência Espacial
É a noção de espaço, direção, orientação, visão 3D, design, equilíbrio de cores e formas. Fundamental para arquitetos, pilotos, designers, cirurgiões plásticos, desenhistas.

Inteligência Intrapessoal
Capacidade de relacionar consigo mesmo, buscar auto-conhecimento, auto-estima, de reconhecer pontos positivos e negativos na personalidade. Saber fazer fluir as emoções de forma positiva.

Inteligência Interpessoal
É a habilidade de relacionar-se com as pessoas. É saber conviver e compreender as pessoas, saber ouvir e aceitar a necessidade dos outros. Fundamental para negociadores, líderes, educadores, terapeutas.

Inteligência Pictográfica
A habilidade de transmitir mensagens através de desenhos, imagens, pinturas. Fundamental para designers, artistas plásticos, desenhistas.

Inteligência Naturalista
É a sensibilidade para com o meio-ambiente, saber harmionizar-se com a natureza. Fundamental para paisagistas, ecologistas, jardineiros, arquitetos.
Inteligência Existencial ou Espiritual
Capacidade de refletir sobre questões fundamentais da existência. Através da Inteligência Espiritual, obtemos um sentido de sagrado em tudo o que fazemos, praticamos as virtudes como forma de conduta encontrando nosso significado existencial e transcendental. Evoca a honestidade e a ética em nossas relações e a termos compaixão por todos os seres
Pesquisas no campo da neurologia, psicologia, física quântica e outras que começam a estudar campos elétricos e magnéticos no cérebro, trazem a teoria de que existem em todos nós uma outra inteligência, que nos liga aos valores e virtudes, que transcendem o próprio ser, nos liga à Deus, ao sagrado, é a Inteligência Espiritual.
Dana Zohar atribui qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes.:

1. Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo
2. São levadas por valores. São idealistas
3. Têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade
4. São holísticas
5. Celebram a diversidade
6. Têm independência
7. Perguntam sempre 'por quê?'
8. Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo
9. Têm espontaneidade
10. Têm compaixão

Uma nova sociedade só poderá ser sustentável com o reconhecimento de seu lugar no cosmos, com um novo homem/mulher, novas estruturas sociais, novo modelo educacional, com uma cultura de paz .
A espiritualidade nos torna mais universais e menos individualistas, nos leva ao interesse do bem estar de todos. Ela não pode ser confundida como religião e paranormalidades e sim como uma vivência direta e transcendente com base nos valores e virtudes universais. Ela nos leva á compreensão que só através do autoconhecimento podemos nos relacionar com o universo.
Se entendemos que a consciência humana é comum para toda a humanidade, cada vez que algum membro de uma espécie aprende algo novo e se transforma, ele afetará todos os demais membros da espécie. Isso significa que cada um de nós pode fazer a diferença para a humanidade.
A espiritualidade transcende o racional, porém não o reprime. O homem da Nova Era é racional também , mas ele vai além da razão, ele acessa a Inteligência espiritual. Ela nos torna pessoas melhores, poruqe temos que ir além do conhecimento, e o amor universal, incondicional é a chave para abrir a porta da dimensão espiritual.
Entra em cena o conhecimento holístico, é o que pode ser usado à favor do bem estar comum, do relacionamento correto, ganha-ganha, da compaixão. Aquele que podemos usar nos momentos mais desafiantes, onde encontramos respostas para a nossa existência. É a sabedoria que nos une a todos os seres, nos liberta da ilusão da separação, traz a compreensão que todos estamos unidos pela Grande Teia da Criação.
Expandir a inteligência espiritual nos impulsiona a viver com mais responsabilidade social, a sermos mais criativos, pacientes, acessíveis, respeitando mais as diferenças, sendo mais compreensivos e abertos.
É a inteligência que nos leva à plenitude, à felicidade, a usar o livre-arbítrio, de responder virtuosamente aos eventos da vida. È ter a capacidade de ser feliz nas mais diversas situações da vida. Ela é curativa, pode sanar feridas psicológicas, emocionais e existenciais. Inspira flexibilidade, adaptabilidade, capacidade de servir.
Dana Zohar em seu livro Inteligência Espiritual, argumenta que cientistas descobriram nos lobos temporais no cérebro o “Ponto de Deus” que corresponde aos valores e virtudes para viver a vida.
As crises ecológicas e os problemas as sociedade moderna (superpopulação, exclusão, pobreza, o mercado de trabalho e tudo o que compromete a sustentabilidade do planeta e o bem estar, estão forçando novos desafios no mundo corporativo.

O que movia o mundo dos negócios, criando gerencias de negócios centradas apenas nos lucros, trouxeram prejuízos ao meio-ambiente, na qualidade de vida (muito embora aumentou a longevidade), criaram desigualdades e geraram uma população estressada, mau alimentada.
Segundo Zohar está surgindo um novo tipo de empresa. É uma empresa responsável. No novo capitalismo sobreviverão as companhias que têm visão de longo prazo, que se preocupam com o planeta, em desenvolver as pessoas que nelas trabalham. Que se preocupam, sim, com o lucro, mas que querem ganhar dinheiro para desenvolver as comunidades em que atuam, proteger o meio ambiente, propagar educação e saúde
A espiritualidade no trabalho traz uma visão mais ampla, inspirando funcionários que percebem o sentido de seus objetivos e valores. Compreende sua importância no todo da empresa. É treinado e motivado para realizar sua missão no trabalho.
A liderança com inteligência espiritual tem o desejo de servir. O líder é motivado por valores e sua visão é inspiradora. Trabalha para desenvolver as pessoas, compromete-se com o seu desenvolvimento e dos outros e dos negócios.

Dana Zohar:

“ pessoas com inteligência espiritual elevada procuram fazer mais do que se espera delas. Algo para além da empresa. Quem trabalha unicamente por dinheiro não faz o melhor que pode. Nas empresas em que se busca desenvolver espiritualmente os funcionários, a produtividade aumenta porque eles ficam mais motivados, mais criativos e menos estressados. As pessoas dão tudo de si quando se procura um objetivo mais elevado. Se as organizações derem espaço para as pessoas fazerem algo mais, se souberem desenvolver em cada indivíduo sua inteligência espiritual, terão mais resultados e mais rapidamente “

Harmonia - Amor - Paz e Luz
Léo Artése
www.xamanismo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...