09 outubro 2016

Bhagavad Gita:
O Conhecimento do Absoluto.









Capítulo VII- O Conhecimento do Absoluto

1. A Suprema Personalidade de Deus disse: Agora presta atenção, ó filho de Pritha, enquanto te explico como é que, praticando yoga com plena consciência de Mim, com a mente apegada a Mim, podes ficar livre das dúvidas e conhecer-Me por completo. 

2. Agora te declararei na íntegra este conhecimento, tanto fenomenal quanto numenal. Conhecendo isto, nada mais te restará saber. 

3. Dentre muitos milhares de homens, talvez haja um que se esforce para obter perfeição, e dentre aqueles que alcançaram a perfeição, é difícil encontrar um que Me conheça de verdade. 

4. Terra, água, fogo, ar, éter, mente, inteligência e ego falso – juntos, todos estes oito elementos formam Minhas energias materiais separadas. 

5. Além dessas, ó Arjuna de braços poderosos, existe outra energia, Minha energia superior, que consiste nas entidades vivas que exploram os recursos dessa natureza material inferior. 

6. Todos os seres criados têm sua fonte nestas duas naturezas. Fica sabendo com toda a certeza que Eu sou a origem e a dissolução de tudo o que é material e de tudo o que é espiritual neste mundo. 


7. Ó conquistador de riquezas, não há verdade superior a Mim. Tudo repousa em Mim, como pérolas ensartadas num cordão. 

8. Ó filho de Kunti, Eu sou o sabor da água, a luz do Sol e da Lua, a sílaba om nos mantras védicos; Eu sou o som no éter e a habilidade no homem. 

9. Eu sou a fragrância original da terra e sou o calor no fogo. Eu sou a vida de tudo o que vive e sou as penitências de todos os ascetas. 

10. Ó filho de Pritha, fica sabendo que Eu sou a semente da qual se originam todas as existências, sou a inteligência dos inteligentes e o poder de todos os homens poderosos. 

11. Eu sou a força dos fortes, desprovida de paixão e desejo. Eu sou a vida sexual que não é contrária aos princípios religiosos, ó Arjuna. 

12. Fica sabendo que todos os estados de existência – sejam eles em bondade, paixão ou ignorância – manifestam-se por Minha energia. Em certo sentido, Eu sou tudo, mas Eu sou independente. Eu não estou sob a influência dos modos da natureza material, porque eles, ao contrário, estão dentro de Mim. 

13. Iludido pelos três modos, o mundo inteiro não conhece a Mim, que estou acima dos modos e sou inesgotável. 

14. Esta Minha energia divina, que consiste nos três modos da natureza material, é difícil de ser suplantada. Mas aqueles que se renderam a Mim podem facilmente transpô-la.


Comentários de A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada

Como estudamos no Capítulo Dois, o espírito é eterno e nunca é criado. Ele é o fator básico da criação e o mundo material manifesta-se devido a ele. Este conhecimento científico espiritual é bem elaborado nos primeiros seis capítulos do Bhagavad-gita, e aqueles que se interessam por este conhecimento devem estudá-los. Todavia, Krishna em Seu aspecto pessoal, como a Suprema Personalidade de Deus, só pode ser conhecido por aqueles que se situam em consciência de Krishna. Portanto, embora existam pessoas interessadas em conhecimento espiritual básico, poucas delas se interessam em se aprofundar o bastante até chegar à compreensão acerca da Pessoa Suprema, pois preferem concentrar suas atenções no aspecto impessoal de Deus.
Este Sétimo Capítulo, portanto, se destina especialmente ao estudante que deseja conhecer o Senhor Krishna como Ele é – na íntegra. Para isso, o próprio Senhor revela como Ele manifesta Suas diferentes opulências, ficando ainda mais claro que Krishna, a Suprema Personalidade de Deus, é o conhecimento último. O conhecimento completo inclui a compreensão da energia material, da energia espiritual e a fonte de ambos e, uma vez situado nessa compreensão, pode-se praticar a yoga mais elevada, como foi concluído no capítulo anterior. Na verdade, esta mais elevada prática de yoga começa seguindo as instruções do último verso do Capítulo Seis: deve-se concentrar a mente no Supremo, refugiando-se nEle através do serviço devocional e deve-se executar constante adoração a Ele. Os itens mais importantes do serviço devocional são sravanam-kirtanam, ouvir e cantar. Por isso, o Senhor enfatiza no início deste capítulo: “ouça-Me”. Adquirir diretamente do Senhor o conhecimento a respeito da Sua natureza absoluta é uma grande bênção recebida por Arjuna e transmitida posteriormente pela sucessão discipular. Portanto, encontra imensa fortuna qualquer estudante sincero que, ao estudar o Bhagavad-gita com o auxílio de um devoto puro, não cai vítima de motivações pessoais ou falsas interpretações. Receber o conhecimento diretamente do Senhor ou através da sucessão discipular constitui a maior oportunidade de se tornar perfeitamente consciente de Krishna. Por outro lado, de nada adiantará receber o Bhagavad-gita de um não-devoto arrogante, envaidecido por sua erudição acadêmica mundana.
Sendo uma manifestação temporária da energia do Senhor, este mundo material se caracteriza pela ilusão. Portanto, para ajudar seu íntimo amigo Arjuna, o Senhor aqui revela que tudo o que existe é um produto da combinação de matéria e espírito. Assim como a alma individual aceita um corpo que, devido à sua presença, pode se desenvolver, de modo semelhante, a manifestação cósmica material se desenvolve unicamente devido à presença do Senhor Vishnu como a Superalma. Esta Superalma é a grande causa deste Universo, nela tudo repousa e por ela tudo é mantido. A verdadeira finalidade de se praticar yoga é poder perceber a presença deste Senhor em cada milímetro desta criação para, finalmente, prestar serviço devocional a Ele. Na etapa preliminar, o Senhor Supremo pode ser percebido através da manifestação das Suas energias, assim como o Sol é percebido primeiramente através da manifestação de sua energia. Ou seja, a energia é simplesmente uma manifestação parcial do energético. Portanto, enquanto os yogis perfeitos percebem Deus como o energético e O adoram, os yogis imperfeitos só conseguem perceber Deus através de Suas energias impessoais. Por exemplo, através do sabor da água, os impersonalistas podem perceber a presença do Senhor. Os devotos, porém, glorificam a bondade do Senhor em nos suprir com água pura. Na verdade, não existe verdadeira contradição entre o devoto e o impersonalista. O que existe de fato são diferentes níveis de percepção. Este capítulo nos ajudará a entender que somente a grande alma que se rendeu por completo ao Senhor e adotou o serviço devocional puro pode superar a ilusão dos modos da natureza material e, pela graça do Senhor, pode conhecer Sua natureza absoluta.


O Mahabharata:
Filme épico de Peter Brook inclui trechos do Bhagavad Gita.

Um comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...