24 junho 2009

Nova Descoberta: As fantásticas propriedades do óleo de girassol.

O Girassol tem uma imponência e um porte majestoso. Seu nome científico é Helianthus annus, que significa ”flor do sol”. É uma planta originária da América do Norte. Suas flores brilham intensamente, são voltadas para o sol e seguem sua rotação.
Sabemos que a flores possuem um linguagem própria e sempre as procuramos quando queremos falar das emoções mais profundas de nossa alma. Muitas vezes, elas expressam aquilo que as palavras comuns não conseguem dizer. Através das flores falamos a linguagem da alma.
Cada flor tem uma virtude a nos oferecer. Qual é a virtude contida nessa belíssima flor?A mensagem que o Girassol nos traz é arquetípica, é a lição da volta ao Pai, da integração com os aspectos masculinos do Eu, com o nosso senso de individualidade equilibrado, a busca do nosso sol interior.O Sol é o símbolo maior da identidade pessoal, é a imagem que traduz o espírito masculino.
Todas as vezes que precisarmos alinhar nosso ego com nossa mente superior para fortalecê-lo , para que possamos enfrentar as dificuldades do nosso dia-a-dia, podemos entrar em ressonância com essa flor e acolher todas as suas virtudes para nos deixar ser preenchidos por sua luz, pois no centro do nosso ser também temos um “pequeno sol”, o nosso coração.
Vamos sintonizar com essa imagem e deixar que ela atue em nós, trazendo as qualidades do masculino para nosso ser.
Que possamos ser preenchidos por essa luz! E vivenciar uma personalidade solar, radiante!


Dr. F. Karach
Academia de Ciências da Rússia

Do relatório do Dr. F. Karach, um participante do Congresso de Cancerologia e Bacteriologia da Ucrânia, no qual foi explicado um método incomum e muito simples de cura para o corpo humano com a ajuda do óleo vegetal de girassol.

Os resultados desse processo de cura provocam admiração e dúvidas sobre o conteúdo de seu relatório. Mas, após um exame mais detalhado de sua terapia com o óleo, qualquer um pode se convencer dos argumentos dele e experimentar os efeitos em seu próprio corpo.

É mais do que impressionante que um método de cura tão simples possa produzir um sucesso tão grande para a saúde, tanto no tratamento quanto na cura de doenças “nas quais se pode até evitar cirurgias ou ingestão de medicamentos de vários tipos com seus efeitos colaterais tão prejudiciais”.
Dr. Karach continua expondo que, na verdade, o princípio da cura está principalmente na maneira como ela é feita, isto é, em saborear e bochechar o óleo na cavidade bucal. O resto da cura é feita pelo próprio organismo humano. Deste modo, é possível que, ao mesmo tempo, todas as células e tecidos do corpo se regenerem juntos. Com isso, impede-se o extermínio da flora bacteriana e, consequentemente, os estragos no organismo. Do contrário, o equilíbrio do organismo é enfraquecido e, como conseqüência final, fica diminuído e seu tempo de vida. O ser humano vive, praticamente, só a metade dos anos que poderia viver. Ele poderia muito bem atingir 140 ou 150 anos.
Com este método, dores de cabeça, bronquite, dores de dente, trombose, doenças sanguíneas crônicas, artrose, paralisia, eczemas, úlcera no estômago, doenças intestinais, dores no rins e no coração, encefalite e doenças femininas, foram totalmente curadas.
Como profilaxia, a formação de tumores letais é impedida e também curadas, assim como, por exemplo, doença sanguíneas crônicas, paralisia, doenças nervosas, estomacais, pulmonares e de fígado e, a doença do sono epidêmica. O método de cura aqui apresentado, cura o organismo por inteiro e funciona também como preventivo nos casos de tumores e enfartos. Com esse método consegui curar minha doença sanguínea crônica, com a qual convivi durante 15 anos e curei também minha artrose.

O Processo de Cura com o Óleo Vegetal de Girassol :

Coloca-se na boca uma colher de óleo (no máximo uma colher de sopa – no mínimo, uma colher de chá). Esse óleo vai ser trabalhado na boca, sem pressa e sem esforço.
Faz-se bochechos com o óleo, de boca fechada, durante 15 a 20 minutos. O óleo não deve ser engolido de jeito nenhum. A princípio o óleo deve estar pastoso, mas depois vai ficando mais fluido. Quando a boca estiver bem cheia de líquido, cospe-se tudo. O líquido que sai tem que estar branco como leite. Se ainda estiver amarelo é sinal que se bochechou por pouco tempo. Depois de cuspir, lave a boca várias vezes com água corrente e escove os dentes. O líquido branco que foi cuspido está cheio de veneno (no sentido figurado), de tal forma que a pia ou o lavatório onde se cuspiu o líquido, tem que ser bem lavados.
No líquido cuspido se encontra uma quantidade imensa de bactérias, vários tipos de micróbios patogênicos e outras substâncias patogênicas prejudiciais à saúde. Se nós formos examinar uma gota deste líquido num microscópio que aumenta 600 vezes, veremos uma série de fibras se movimentando. Estas fibras são exatamente os micróbios em estágio inicial de desenvolvimento, não permitindo que se atinja um estado de saúde permanente. Um dos efeitos mais acentuados é fortalecimento dos dentes bambos, acaba com sangramento das gengivas e os dentes se tornam mais brancos.
É melhor fazer este bochecho com o óleo de manhã cedo, ao se levantar e sem ter lavado o rosto e escovado os dentes, isto é, antes de tomar o café da manhã.
Se quiser apressar o processo de cura, pode-se repetir o processo por três (03) vezes ao dia, antes das refeições e com o estômago vazio. A única coisa que acontece é o aceleramento do processo de cura e não há prejuízo à saúde.

Este tratamento deve ser mantido até que:

a) o organismo volte a ter sua fortaleza original,
b) você volte a ter sono tranqüilo,
c) ao acordar não sinta fadiga nenhuma,
d) os olhos devem estar sem olheiras,
e) um apetite saudável, um bom sono e uma memória sem problemas voltem a existir.

Aqui é bom salientar que no princípio possa aparecer uma piora aparente, especialmente nos pacientes que sofrem de várias doenças ao mesmo tempo. Este sentimento aparece principalmente quando os focos de infecção começam a desaparecer ou quando um foco de infecção inflamado começa sobre outro foco, que no futuro iria se converter numa doença perigosa.

Não há, entretanto, por causa disto, nenhum fundamento para interromper o tratamento, mesmo que apareça febre. Uma piora significa apenas que a doença está desaparecendo e o organismo está se recuperando. A cura em si acontece durante o bochechar com o óleo e, quantas vezes por dia se quer aplicar o tratamento, fica por conta da decisão de cada pessoa.
Doenças súbitas demoram de dois a quatro dias para serem curadas. Doenças crônicas demoram até um ano para serem curadas.

NÃO INTERROMPA O TRATAMENTO ATÉ CONSEGUIR A CURA.

Tradução por Cleuza During,
baseada no texto publicado na revista

“Natur und Medizin” – Nº 1 – Jan/Fev – 1993 – Pág 08
Endereço: Am Nichaelshof 6.5300 – Bonn 2 – Alemanha 14 03 93

18 junho 2009

A Ciência confirma a Profecia Maia.

Tradução: Isaac Lutti

A Realização das detalhadas profecias que a antiga cultura Maia fez para o período correspondente entre os anos 1992 e 2012 do nosso calendário gera um grande mistério e uma pergunta inquietante: Encontramos-nos realmente vivendo o final de una era cósmica e veremos dentro de quatro anos o amanhecer bem diferente do que conhecemos?

Os cientistas não sabem o que está acontecendo com o Sol. No dia 20 de janeiro de 2005, uma surpreendente tempestade solar alcançou a Terra com sua máxima radiação 15 minutos após as explosões. Normalmente, demorariam 2 horas para chegar aqui. Segundo Richard Mewaldt, do Califórnia Institute of Technology, foi a mais violenta e mais misteriosa dos últimos 50 anos.

Os cientistas acreditavam que as tempestades se formavam na coroa solar pelas ondas de choque associadas a erupções do plasma. Entretanto, neste caso parece haver se originado estranhamente no interior do astro rei, segundo afirmou o professor Robert Lin, da Universidade da Califórnia.

Os astrônomos ficaram perplexos. O professor Lin – principal pesquisador do satélite Reuven Ramaty High Energy Solar Spectroscopic Imager (RHESSI)– expressou sua conclusão com uma frase muito simples: "Isso significa que realmente não sabemos como o Sol funciona".

Resumindo: O inusitado fenômeno de 20 de janeiro de 2005 acabou com os modelos de estudos da nossa ciência sobre o assunto.

E porque o Sol produziu uma atividade tão intensa e anômala neste momento? O pico máximo de atividade da nossa estrela - no seu ciclo principal de 11 anos - aconteceu no ano 2000.

Em 2004 os físicos solares observaram uma ausência total das manchas, onde isso sempre anuncia a proximidade de alguma atividade no Sol.

Essa atividade mínima deveria ocorrer entre 2005 e 2006, uns quatro anos antes da máxima, prevista para o ano 2010 ou 2011, precisamente nas vésperas da data para a qual os antigos Maias profetizaram o final da era correspondente ao "Quinto Sol" e o começo de outro ciclo cósmico, chamado "Sexto Sol".

Os Maias sabiam de algo que nossa ciência atual ignora? Os textos sagrados poderiam ajudar os cientistas a entender o comportamento do astro rei?

E sobre tudo, por que motivo eles prestavam tanta atenção na atividade solar dos nossos dias naquela época?

O Calendário Maia termina de repente no sábado 23 de dezembro de 2012, 5.125 anos depois de se iniciar a era do "Quinto Sol".

Segundo as profecias, a causa física desse término é que o Sol receberia um raio oriundo do centro da galáxia e emitiria una imensa "chama radioativa" que transmitiria a radiação a Terra e conseqüentemente a todo o sistema solar. Este evento acontece antes do começo de um novo ciclo cósmico.

Segundo os dados Maias, já houve cinco ciclos de 5.125 anos, completando uma série de 25.625 anos, período muito próximo ao da "precessão dos equinócios", conhecido como "Ano Platônico" ou "Grande ano Egípcio", correspondente a um ciclo completo formado por 12 eras astrológicas (25.920 anos).

Segundo os Maias, a cada ciclo de 5.125 anos finaliza o prazo de uma humanidade (raça) na terra – primeiro a destruição, seguida pela regeneração que traz o ciclo seguinte, o "Sol". No começo são feitas sincronizações da "respiração" de todas as estrelas, planetas e seres.

No dia 11 de agosto de 3.113 a.C. os Maias fixaram o nascimento do "Quinto Sol" – A era atual – cujo final será em 2012. A era da água acabou com o Dilúvio, a seguinte foi com o dilúvio de fogo e a nossa chamada de "Era do Movimento", chegará ao fim com violentos terremotos, erupções vulcânicas e furacões devastadores.

A mitologia de várias culturas antigas fala de inundações catastróficas que aconteceram há uns 12.000 anos e de misteriosas chuvas de fogo, há cerca de 5.000 anos, onde pesquisadores como Maurice Cotterell associam a um grande cometa que cruzou a atmosfera terrestre.

A profecia Maia também descreve os 20 anos anteriores ao primeiro dia do "Sexto Sol" com certo detalhe. Este ciclo menor, denominado Katum, já chegou a quase dois terços da sua duração total. Ele nos permite verificar até que ponto da atualidade foi cumprido suas profecias e conseqüentemente, decidir se seus acertos merecem suficiente credibilidade.

O último Katum – denominado por eles "o tempo do não tempo" teve início no ano de 1992 do nosso calendário, logo após a um eclipse do Sol que eles profetizaram para o dia 11 de julho de 1991 e que aconteceu realmente. No entendimento dos Maias, se trata de um período de transição, caracterizado por grandes mudanças cósmicas, telúricas e históricas.

Em setembro de 1994 foram detectadas fortes perturbações no campo magnético terrestre, com alterações importantes como a orientação migratória das aves e cetáceos e inclusive o funcionamento da aviação.

Em 1996, a sonda espacial Soho descobre que o Sol não apresenta vários, mas somente um campo magnético homogeneizado. Em 1997 aconteceram violentas tempestades magnéticas no Sol e em 1998 a NASA detectou a emissão de um potente fluxo de energia vindo do centro da galáxia onda ninguém soube explicar.

Outra data importante da profecia Maia foi o eclipse total do Sol em 11 de agosto de 1999 que aconteceu exatamente como eles falaram. Segundo o Chilam Balam (livro sagrado Maia) após sete anos do início do último Katum (1999) começa uma era de escuridão e os desastres na terra (terremotos, furações e erupções vulcânicas) aumentariam consideravelmente.

No dia 15 de agosto de 1999, 1 mês após o mencionado eclipse, aconteceu uma misteriosa explosão vindo do espaço e por causa disso algumas estrelas ficaram em eclipse durante horas.

As radiações das ondas de radio, raios gama e raios X multiplicaram sua intensidade em 120%.

Os astrônomos Richard Berendzen e Bob Hjellming, do Observatório Radio astronômico do Novo México (EE UU), qualificaram esse fenômeno como um enigma "digno de uma investigação minuciosa"

O raio e a chama radioativa

Diante desses acontecimentos podemos se perguntar: Poderia ser essa misteriosa e inexplicável radiação de 1999 o raio proveniente do centro da galáxia que segundo os Maias, alcançaria o Sol antes do ano 2012 resultando nos fenômenos sísmicos aqui na Terra? Podemos se perguntar também sobre a "chama radioativa" que segundo os Maias, o Sol emitiria após receber esse "raio". A Igualmente enigmática e anômala explosão solar de 20 de janeiro de 2005 que deixou perplexos e sem respostas os cientistas pode ser esse acontecimento?

O eclipse de 11 de agosto de 1999 que antecedeu a forte radiação vinda do espaço no dia 15 de setembro de 2005 inaugurou um período de cataclismos naturais.

No dia 7 desse mesmo mês houve um terremoto de 5.9° (escala Richer) na Grécia, com 218 mortos. Dia 8, inundações catastróficas na China com milhares de mortos. Dia 17, um terremoto de 7,4º na Turquia com 15.000 mortos. Dia 20, um terremoto de 7,6º em Taiwan com 2.000 mortos. Dia 22, uma cadeia de terremotos entre 2º e 5,2º em todo o planeta. Um terremoto em Oaxaca (México), seguido de grandes incêndios devidos a explosões de gás com mais de 100 mortos e dia 10 de outubro as chuvas produziram 300 mortos e 500.000 afetados também no México.

Não se trata de uma lista exaustiva de catástrofes, são somente alguns fenômenos que aconteceram nos dois meses posteriores ao eclipse de agosto.

Esses dados também falam sobre o grande aumento dos sismos, erupções vulcânicas e meteoros violentos. A comparação da intensidade e da quantidade que esses fenômenos aconteceram nos anos anteriores revela que houve um grande crescimento desses fatos no período que os Maias denominaram de "o tempo do não tempo".

Depois a potente e anômala radiação emitida pelo Sol no dia 20 de janeiro de 2004 cresceram o número de erupções vulcânicas. Durante esse ano foi registrado 31 erupções significativas.

Existem outras confirmações

A partir de 1999 se incrementariam as guerras e a destruição. O eclipse teve sua sombra sobre o oriente médio mais precisamente sobre o Irã, Iraque, Afeganistão, Paquistão e Índia, todas sendo áreas de conflitos sérios. Próximo de 2012 uma onda de calor aumentaria a temperatura do planeta produzindo mudanças climáticas, geológicas e sociais sem precedentes com uma rapidez assombrosa. E estamos dentro dessa dinâmica. O acelerado derretimento da camada glacial em todo o mundo e a aparição de zonas verdes na Antártida é um feito confirmado cientificamente. Os cientistas também anunciaram as mudanças que estão acontecendo no Sol.

As profecias Maias falam da aparição de um cometa com alta probabilidade de impacto com a terra. Curiosamente, também no Apocalipse de São João se profetiza a chegada desse cometa chamado "Ajenjo" como o sinal do "Final dos Tempos". Outra coincidência interessante é que o dia 11 de agosto de 1999, não só teve o eclipse total do milênio, mas teve também a formação de uma configuração astrológica muito rara: A grande luz cósmica formada pelos signos de Touro, Leão, Escorpião e Aquário, pelo Sol, pela Lua e três planetas (ANO/ZERO, 102)

Esta Cruz também é dita no Apocalipse porque evoca os "quatro moradores do Trono"

O primeiro é descrito como "semelhante a um leão (Leo). O segundo semelhante a um touro (Tauro), o terceiro "com semblante humano" (Aquário) e o quarto semelhante com uma águia (Escorpio).

Estamos diante de um simbolismo complexo que encaixa as profecias Maias do começo do "Sexto Sol", uma nova era que segundo sua predição acabará com o "tempo do medo" e uma humanidade renovada pelo cosmo construirá uma civilização superior que a atual.

Com toda essa expectativa é inevitável não lembrar a mestres como o Sri Aurobindo que junto com sua companheira Madre e seu discípulo Satprem promoveram uma transformação fisiológica convencidos de que um ser humano superior deve produzir "o despertar" do corpo das células até o átomo.

Uma evolução programada

Aurobindo ensinou que aconteceria um "pouso de luz superior nas partes mais baixas da natureza" onde favoreceria o acesso do ser humano a um nível de consciência mais elevado do que o atual.

Poderia essa mudança ser ativada ou favorecida por esse grande evento cósmico que foi anunciado pelas profecias Maias? Pode esse salto vibracional do universo, transmitido pelo universo ao Sol e do Sol para a Terra estar impulsionando a "grande transformação" que segundo os Maias chegará definitivamente ao nosso planeta no sábado 23 de dezembro de 2012?

Todas as profecias afirmam veementes a respeito de um salto qualitativo na evolução da consciência humana. A mudança cósmica criará as condições, mas a mudança interior só pode ser feita por uma decisão livre e com um trabalho individual de cada um dos humanos.

No final desse último Katum, o Céu nos coloca ante uma encruzilhada: autodestruição ou transformação.

Encontramos-nos numa espécie de "terra de ninguém". Estamos numa fase definitiva onde já não pertencemos a nenhuma era. E provavelmente daqui a quatro anos, quando "a porta cósmica" se abrir estaremos numa era renovada.

Em qualquer dos casos nos parece evidente que os acontecimentos estão de acordo com as profecias Maias o suficiente para que possamos estudá-las seriamente sem prejudicar tudo o que sabemos do mundo.

A evolução biológica e psicoespiritual respondem a uma programação cósmica inteligente?

Esta é sem dúvida o grande mistério da humanidade.

10 junho 2009

Quinze dicas para viver uma vida mais consciente, plena e equilibrada.



1.

Todos nós ao nascer ganhamos um espelho. Este espelho é, então, colado no nosso peito. E assim vivemos toda a nossa vida, refletindo o outro e vendo no (espelho do) outro o nosso reflexo. Hermann Hesse disse: “Se você odeia uma pessoa, odeia algo nela que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos incomoda.”
Viver considerando isto, vai desenvolvendo nossa compaixão, nossa tolerância, nossa empatia e nossa solidariedade para com as nossas fraquezas e dificuldades e as dos outros.

2.

Cem por cento do que somos e vivemos (inclusive o que supomos ser acidentes) é fruto de nossas escolhas e opções. Conscientes ou inconscientes. Desta ou de outras vidas.
Viver consciente disto desenvolve nosso discernimento e nossa responsabilidade para com a vida, com as pessoas e com nossas atitudes.

3.

Livre-se da culpa. A única função da culpa é manter sua auto-estima baixa (por isso algumas religiões fomentam a idéia da culpa para assim manter poder). Transmute a culpa por responsabilidade. Ninguém é culpado de absolutamente nada, mas todos são completamente responsáveis por tudo.
Viver assim te torna mais atento e cuidadoso para com toda a existência.

4.

Desenvolva a aceitação. Sempre que entramos em contato com alguma dificuldade ou fraqueza nossa, através de alguém ou de alguma circunstância, normalmente o primeiro impulso da mente/ego é: ou nos defendemos, negando e resistindo a entrar em contato (muitas vezes entrando na irritação e na revolta, geralmente imputando a culpa a alguém ou a alguma coisa), ou entramos na condição de vítimas, mergulhando na baixa auto-estima.
Aceite sua natureza humana como ela é e aceite também a sua sombra. Entenda que você está aqui na Terra para aprender e expandir sua existência. Um Mestre hindu falou: “Errar, ter defeitos, falhas, fraquezas, é seu direito. Trabalhar para transmutar isso tudo é seu dever”.

5.

Tudo no Universo tem duas polaridades: yin/yang, masculino/feminino, positivo/negativo, etc. As emoções e os sentimentos também têm duas polaridades: o outro lado da tristeza é a alegria, do medo é a coragem, da raiva é a energia de realização, do ódio é o amor e o perdão, da ansiedade e da angústia é a calma e o centramento, da baixa auto-estima é a confiança em si mesmo, enfim, nosso grande trabalho de transmutação é estar constantemente reequilibrando estas polaridades. Os hindus diriam que devemos estar sempre transmutando Tamas e Rajas em Sattwa, isto é, trazendo sempre os pensamentos, sentimentos e atos densos, limitadores e negativos, para as freqüências mais sutis.
Viver assim economiza um bocado de energia. Considerando que tudo na vida é passageiro, é mais inteligente procurar mudar a polaridade das coisas e dar a volta por cima do que ficar naufragando constantemente nos mesmos padrões psico-emocionais.

6.

Desenvolva a neutralidade e a observação. Os índios chamam isto de “visão da águia”: sair voando de dentro do burburinho dos eventos e, de cima, com uma perspectiva ampla, observar os acontecimentos sem identificação ou julgamentos. Ou, em outro exemplo: sair de dentro do rio caudaloso de nossa vida - onde estamos imersos até o pescoço - sentar na margem e observar. Quando dentro do rio, imersos até o pescoço, qualquer ondinha nos parece um vagalhão, mas quando nos sentamos à beira do rio, a ondinha novamente vira ondinha, e aí podemos ter uma perspectiva mais correta e um envolvimento menos sofrido com as coisas.
Isto desenvolve uma profunda consciência da relatividade dos pontos de vista e, por conseguinte, o redimensionamento da nossa identificação e envolvimento com a transitoriedade da vida.

7.

Evite as comparações. Lembra do “jardim do vizinho é sempre mais bonito” ? Ledo engano! Grande armadilha! Mal sabemos que o vizinho ao olhar nosso lado também pensa a mesma coisa sobre algum aspecto de nós...
Considerar este fato, te livra do peso dos julgamentos alheios e te torna mais centrado em teu próprio eixo.

8.

Os hindus dizem que todas as doenças que existem - sejam físicas, emocionais, psíquicas ou energéticas - derivam, de uma forma ou de outra, de uma única doença: a ignorância de nossa natureza real, a Unidade (eles chamam esta ignorância de avidya e a Unidade de Brahman).
Toda a criação é uma grande web onde tudo é interagente, interdependente e holográfico. Realmente não estamos irremediavelmente presos a tempo e espaço e às três dimensões (não só as antigas tradições, mas a física quântica atual afirma amplamente esta questão). Considerando nossa natureza una, saiba que não há nada fora de você que você precise obter que já não tenha. Está tudo dentro de você, todo o Universo. Você apenas precisa relembrar sua natureza original, que está pulsando em cada partícula do Universo, em cada pessoa, em cada ser de cada reino. Todo amor, paz e felicidade já estão dentro de você, sempre.
Você decididamente não é um pecador. Você não é uma pedra bruta que precisa ser lapidada. Você já é uma jóia pronta, maravilhosa, só que recoberta pela poeira desta ignorância primordial.
Passar a considerar estas verdades milenares em nossa vida cotidiana desenvolve nossa co-participaçã o consciente no Universo nos seus mais diversos níveis de existência.

9.

Todo o Universo é consciente! Cada pessoa, cada animal, cada planta, cada pedra, cada célula, cada átomo, cada galáxia... A consciência não é um privilégio do cérebro humano, que é apenas um dos veículos onde esta Consciência se expressa. Esta é a chamada onipresença e onisciência de Deus. Os índios têm formas sofisticadas de entrar em contato e interagir com a consciência subjacente à Natureza.
Viver considerando este fato torna tua vida muito mais respeitosa, consciente e responsável.

10.

Quando a vida nos apresenta algum evento desconfortável, algum obstáculo ou algum confronto, normalmente o que é acionado em nosso corpo/mente é o “automático” lutar ou fugir. A adrenalina está sempre pronta para desencadear ação. Mas a verdade é que na maior parte das vezes não seria necessário lutar nem fugir, bastaria relaxar e observar, e a partir daí agir com consciência, ou então deixar os acontecimentos se desenrolarem naturalmente. Vamos investir mais nas endorfinas! Faça Yoga ou TaiChiChuan!
Desta forma, em todos os níveis e setores da nossa vida, podemos integrar firmeza e simultaneamente relaxamento – só firmeza gera rigidez e só relaxamento gera moleza !

11.

Adote a pergunta: “O que é que eu tenho que aprender com isso?”. Todas (todas mesmo) as coisas que nos acontecem, vem para nos ensinar. A vida está sempre fazendo suas arrumações para que possamos aprender e evoluir. Por isso alguém já disse: “cuidado com o que você deseja pois pode acontecer!”. Nós costumamos achar que quando pedimos à Deus alguma virtude, Ele vai milagrosamente introduzir esta virtude em nossa mente e de repente ficamos pacientes, ou disciplinados, ou tolerantes. Provavelmente o que a vida fará é te proporcionar situações que vão te fazer desenvolver aquela virtude. Se você pediu paciência, provavelmente vai atrair pessoas que vão te fazer perdê-la, e aí é que estará o seu aprendizado.
Então, sempre que as pessoas ou as circunstâncias te trouxerem desconfortos ou incômodos, ao invés de se revoltar, se ofender ou se entristecer, ou ainda, achar que a culpa é do outro, pergunte à Vida o que esta situação está te obrigando a trabalhar, que virtudes e qualidades você está tendo que desenvolver para lidar com isso de forma harmônica e equilibrada.
Este procedimento com certeza vai aumentar enormemente a qualidade de nossa consciência e a conseqüente percepção dos movimentos da vida e do seu sentido.

12.

Gastamos grande tempo mental ficando angustiados por um passado que não podemos mais mudar e/ou ficando ansiosos por um futuro que ainda não chegou. Outra grande parte, ainda, gastamos sonhando acordados, delirando os nossos sonhos e desejos. E aí duas coisas ocorrem: uma: sobra pouco tempo para a consciência do aqui-e-agora, o presente, que é onde efetivamente a vida acontece; duas: quando precisamos da mente para as coisas que ela foi feita para funcionar – a nossa vida humana diária – esta mente tem dificuldade em se concentrar, em estar presente, inteira, poderosa, centrada.
Concentrando- nos no presente desfrutamos mais da vida. A meditação é um ótimo treinamento para aprender a viver no presente, nos livrando das pré-ocupações e desenvolvendo uma mente verdadeiramente eficiente.

13.

Infelizmente, ainda vivemos sob a ideologia do “ganha-perde”, ou seja, temos muito incutida em nossa cultura a idéia de que para se ganhar alguém precisa perder. É assim que se construiu, por exemplo, o sistema capitalista. Também é seguindo esta filosofia que está-se destruindo nosso planeta. E é desse ganha-perde que estão impregnadas as nossas relações (lembra da lei de Gérson?). Não só no sentido profissional e financeiro, mas também no emocional e no afetivo.
É urgente reimplantar- se o “ganha-ganha” nas relações interpessoais e nas relações do homem com a Natureza. Não existe nenhuma possibilidade de ganho real para nada nem ninguém, em nenhum setor da vida, se este ganho for obtido em detrimento da perda de alguém ou de alguma coisa. Na visão oriental, o Karma Yoga é a técnica que visa reeducar o homem e a sociedade para a verdadeira forma de ganhar.
Este procedimento simples pode transformar toda a perspectiva que temos em relação à vida, entendendo e vivendo na prática a grande lei universal de causa e efeito.

14.

Atente para a sincronicidade. Uma escritura hindu diz: “Nenhuma folha de grama se mexe sem uma razão”. Nada é casual, mas tudo é intrinsecamente causal. Um outro Mestre disse : “nós falamos com Deus através da oração, e Ele nos fala através da sincronicidade”. O Dr. Jung percebeu que era esta qualidade da Criação que fazia com que as artes divinatórias (I Ching, Tarot, Runas, Búzios) funcionassem. Todo o Universo é Um, portanto tudo é interrelacionado. E a Lei do Karma é quem disciplina este interrelacionamento . Atente para os sinais! O tempo todo o Universo está interagindo com você!
Estar atento à sincronicidade desenvolve a intuição e a expansão da percepção do movimento consciente e multidimensional do Universo.

15.

E finalmente – e sobretudo - “não faças aos outros o que não queres que te façam” ainda é a regra de ouro.
Viver integralmente assim te torna efetivamente consciente, pleno e equilibrado.

Ernani Fornari (Dharmendra)

04 junho 2009

Uma Abertura aos Milagres.


O Conselho dos 12

através de Selácia


Vocês acreditam em milagres? Caso afirmativo, vocês estão em boa companhia. A idéia dos milagres tem sido admitida há muito tempo pela grande maioria das pessoas em todo o mundo. Nos tempos atuais de crescente incerteza e crise planetária, há um ressurgimento do interesse nos milagres e nos operadores de milagres. É comum hoje ouvir as pessoas dizerem que é necessário um milagre para corrigir algum dilema pessoal ou planetário. Do mesmo modo, está se tornando mais comum os relatos de pessoas que documentam as realizações de milagres em suas próprias vidas.

Os livros de história da humanidade estão repletos de exemplos de milagres. Nas culturas de todos os continentes, os milagres estão associados a números incontáveis de profetas, sábios e yogues. Os milagres são também considerados em conexão com manifestações físicas. Exemplos incluem uma pessoa cega que subitamente é capaz de ver, desmaterialização de corpos, e arbustos queimando de um modo misterioso.

Se vocês acreditam que tais milagres têm ocorrido ou que sejam possíveis, vocês também acreditam que os milagres são possíveis para vocês pessoalmente? Enquanto vocês refletem nisto por um momento, considerem que muitas pessoas em gerações passadas mantiveram sistemas de crenças que colocaram os milagres em categorias tais como perigosas feitiçarias, pensamento mágico ou práticas religiosas disponíveis somente a poucos selecionados.

Crenças em Milagres

Uma crença é formada e registrada dentro do DNA quando uma pessoa sofre um impacto, pessoal ou indiretamente por algo observado ou ouvido. Um homem que viveu na época de Jesus, por exemplo, poderia ter testemunhado uma cura milagrosa de uma criança com os seus próprios olhos. Quando ele viu a criança incapacitada se levantar e andar, tomou uma decisão dentro dele mesmo sobre o que isto significava, e teve um sentimento sobre isto. Neste momento ele formou um sistema de crenças em seu DNA. Talvez ele decidisse que "os milagres podem acontecer" e "até uma pessoa comum pode receber um milagre", e estas idéias se tornaram uma parte de sua perspectiva de vida. Elas se tornaram uma parte de seu DNA.

Mais tarde, em outra existência, este mesmo homem encarnado na forma feminina, desta vez testemunhou a perseguição de curadores que reivindicavam ter poderes extraordinários. Pessoas doentes vistas por estes curadores declararam que um milagre ocorrera quando a sua doença desapareceu. Durante este tempo, isto foi visto como perigoso ao ser associado com curas milagrosas. As religiões oficiais afirmavam que somente determinadas pessoas poderiam produzir um milagre. Os curadores que eram públicos sobre habilidades extraordinárias foram algumas vezes queimados na fogueira. Eles eram retratados pelas igrejas como malfeitores. Era inseguro até se associar publicamente com estes curadores.

Crenças Conflitantes no DNA

A mulher, observando estas coisas de uma distância, foi profundamente afetada pela histeria e o medo em massa. Ela decidiu que "os milagres são o trabalho do lado escuro" e "é perigoso criar milagres". Estas crenças se tornaram uma parte do seu DNA, assim como se tornaram as anteriores ao testemunharem os milagres de Jesus. Desde que os sistemas de crenças são herdados no DNA e também trazidos de experiências de vidas passadas, uma pessoa que vive hoje pode estar carregando crenças muito limitantes sobre os milagres. Estas crenças residem na mente subconsciente, fora da percepção comum.

Vocês podem achar conscientemente que o seu sistema de crenças apóia a vida no meio de milagres, mas considerem que podem também manter sistemas de crenças conflitantes em seu DNA. Estas outras crenças podem se tornar um obstáculo a sua experiência de milagres.

O Que é um Milagre?

Para reconhecer um milagre quando ele aparece em sua vida, vocês devem primeiramente compreender o que são milagres, tanto quanto as falsas idéias historicamente associadas com milagres.

O que se segue trata de algumas noções falsas sobre os milagres:

1 - Um milagre não é algo extraordinário ou fora do alcance para a pessoa comum.

2 - Ele não é uma solução mágica dada a vocês por Deus ou uma autoridade fora de vocês mesmos.

3 - Ele não é a sua compensação pelo sofrimento.

4 - Ele não é algo que vocês forçam.

5 - Ele não é algo que vocês reivindicam.

6 - Quando ocorre um milagre, não é algo que vocês podem decidir intencionalmente em duplicar.

7 - Se vocês experienciam milagres, isto não significa que vocês são mais sagrados do que outras pessoas.

8 - Os milagres não são uma garantia do que virá em seguida.

9 - Uma pessoa que ora por um milagre e não o recebe não é uma má pessoa.

10- Do mesmo modo, uma pessoa não pode ser categorizada como boa, simplesmente por ter experienciado um milagre.

11- Um milagre não é algo com pouco suprimento, disponível somente em circunstâncias extraordinárias ou para uns poucos selecionados.

12- Um milagre não é algo que exija validação por uma fonte externa.

Um milagre é natural. Os milagres estão ocorrendo a cada dia, por todo o planeta. A maior parte deles é reconhecida ao prestarmos atenção às forças sutis da energia Divina. Uma pessoa atrai energeticamente estas forças benéficas através de sua consciência. Os elementos chave incluem uma habilidade em ser receptivo, observador, permissivo, e estar em prontidão. A habilidade em gerar o amor incondicional em direção ao eu e outros - incluindo pessoas "difíceis" - é um componente vital. Quanto mais uma pessoa puder honrar estas habilidades, mais elas criarão naturalmente um estado milagroso da mente. Este estado da consciência, criado no ser interior de uma pessoa, é a semente da qual os milagres podem se manifestar no mundo físico.

Manifestações de Milagres

As manifestações de milagres têm um número ilimitado de expressões. Freqüentemente se requer meios para reconhecer uma manifestação, e para compreender que realmente é um milagre. Cada pessoa responderá de seu próprio modo particular, refletindo os seus sistemas de crenças e condicionamento particulares. O que uma pessoa define como um milagre pode ser visto por alguém mais como comum ou até indesejável.

Em um sentido muito amplo, uma pessoa pode ver os milagres no corpo humano e a transformação de uma lagarta em uma borboleta. Outra pessoa pode ver a forma humana como deficiente e as lagartas como uma peste da agricultura.

Os grandes Mestres que viveram na Terra em tempos antigos poderiam reconhecer os milagres em situações comuns, na natureza, e nas ocorrências simples freqüentemente negligenciadas diariamente pelas pessoas. Eles conheciam a importância de se permanecer conectado com a sabedoria das pessoas, e de evitar o medo. Estar no medo fecha a porta para experienciar plenamente os milagres.

Os milagres não têm que ser dramáticos para que sejam considerados milagres. As histórias de hoje do passado da humanidade lembradas como milagres, tendem a ser dramáticas. Provavelmente elas pareciam dramáticas no momento em que elas ocorriam, mas isto não as torna mais importantes do que outros tipos de milagres. Tenham em mente, também, que os escribas que registraram as histórias, freqüentemente acrescentaram, sem propósito deliberado, sua própria interpretação e drama adicional. A cada vez que a história era contada, especialmente se traduzida em um idioma diferente, havia a possibilidade para até uma maior distorção. Os historiadores que ridicularizam os milagres, freqüentemente vêem somente as distorções. É um modo conveniente de alegar que os milagres são uma fantasia ou simplesmente impossíveis.

Registro para Acessar os Milagres

O que se segue são algumas diretrizes para se acessar mais os milagres. Ter estes em mente regularmente, os ajudará a experienciar mais milagres, e a reconhecer mais facilmente os milagres que de outro modo poderiam ter escapado a sua atenção. Enquanto vocês lêem esta lista, convidem a sua razão orientada intuitivamente a esclarecê-los agora quanto às áreas de relevância particular. Mais tarde, quando vocês retornarem à lista para uma verificação quanto ao seu progresso, peçam novamente o esclarecimento. Isto os ajudará a clarificar o seu foco e notar mudanças positivas em sua consciência.

1 - Coloquem a sua intenção para fazer o trabalho interior necessário para aumentar continuamente a sua expressão de amor. Quanto mais vocês puderem desenvolver o amor próprio e deste amor, expressar o amor no mundo, mais elevada será a sua vibração. Sua consciência amorosa será um ímã para milagres de todos os tipos!

2 - Tornem-se destemidos. À proporção que vocês sentem medo e expressam o medo, os milagres não serão plenamente experienciados. Estejam dispostos a entrar em contato com os seus medos, e a ir à raiz do que os mantêm no lugar certo. Quando vocês curarem os padrões baseados no medo, vocês se tornarão menos temerosos e mais livres. Reconheçam que todos, incluindo vocês, são condicionados pelo medo. Ele freqüentemente vem a sua consciência quando precisam mudar um padrão. Aprendam a trabalhar com ele inteligentemente. Descubram como transformá-lo em uma energia que os ajudem a progredir espiritualmente.

3 - Aprendam a operar mais do seu coração e do cérebro direito intuitivo. Os milagres não se originam de seu cérebro lógico esquerdo. Vocês os atraem quando residem na totalidade, utilizando todos os aspectos do seu ser. Substituam a sua abordagem analítica com uma que questione, seja curiosa, e esteja aberta aos mistérios do ser. Estejam dispostos a deixar ir a idéia de que vocês têm todas as respostas. Sejam receptivos, utilizando os seus companheiros humanos para os ensinamentos que eles fornecem, e permitindo que o Divino lhes mostre os milagres em cada momento.

4 - Ouçam mais. Se vocês não podem ficar tranqüilos e ouvir, vocês perderão muitos dos milagres da vida. Ouvir é uma habilidade desenvolvida com o tempo e com prática. Falta à maior parte das pessoas um treinamento formal em ouvir. A cultura ensina e os campeões produzem. Vocês não podem estar na produção e absorver, totalmente, ao mesmo tempo. Considerem os modos que vocês possam reduzir ou eliminar algumas das absorções que distraiam - tais como a TV e os telefones celulares - e os substituam por informações contemplativas. Este tipo de informação é ampla, sem expectativas, e não linear ou orientada pelo tempo.

5 - Liberem as expectativas. Quando vocês esperam um milagre, ou fazem exigências artificiais de quando se devem apresentar, vocês estão fazendo do seu próprio jeito. Algumas vezes em uma crise, por exemplo, vocês podem sentir que somente um milagre resolverá um dilema. Vocês podem, sem o saber, ligar esta idéia a expectativas de que tipo de milagre precisa ocorrer. Algumas vezes tudo o que é necessário é acordar para ver uma situação com uma nova abordagem. Uma vez que façam isto, isto é o seu milagre.

6 - Considerem o que vocês realmente acreditam, a um nível do DNA, sobre os milagres. Coloquem a sua energia para descobrir quais crenças limitantes relacionadas aos milagres residem em seu subconsciente. Erradiquem-nas em sua fonte, de modo que possam mudar a sua experiência com os milagres. Lembrem-se que vocês podem acreditar que os milagres são possíveis, mas acreditar também que eles somente acontecem por santos ou outros sagrados.

7 - Reconheçam os milagres que vocês vêem no mundo. Reservem um tempo ocasionalmente para refletir nos muitos milagres que ocorrem globalmente, para outras pessoas, e para vocês pessoalmente. Focalizem-se no bem que os ajudará a trazer mais energias positivas à manifestação. Lembrem-se de que vocês têm uma escolha a cada momento aonde vocês focalizam a sua atenção. Quando vocês vêem as notícias da noite, vocês provavelmente escutam sobre ocorrências de tristeza e escuridão. Carros-bomba, inundações e suicídios fazem as manchetes. Dependendo de onde vocês vivam, vocês podem notar também notícias tipo trivialidades sobre casos de amor ou infortúnios de celebridades. A maior parte dos milagres não faz as manchetes. Vocês precisarão estar despertos para elas. A um nível pessoal, vocês somente estarão conscientes da maior parte dos milagres que experienciam. Se vocês quiserem saber sobre mais dos seus próprios milagres, coloquem a sua intenção para notar mais deles quando eles ocorrerem. Quando vocês tiverem estes momentos de dúvida sobre a sua habilidade em experienciar milagres, verifiquem com o seu coração e peçam para serem lembrados ao menos de um milagre associado a sua experiência pessoal humana. Quando vocês fizerem isto, estejam abertos a qualquer resposta que recebam. Estejam dispostos, por exemplo, a receber um conhecimento de que vocês são um milagre!

8 - Sejam gratos. Quando se tornam mais e mais gratos, abrem a porta para energias positivas que podem se traduzir em milagres. Nada lhes custa ser grato. Algumas vezes, especialmente quando estão estressados ou são desafiados, incorporar a gratidão pode envolver alguma criatividade. É útil em momentos como estes estar atento em permanecer no momento presente e focalizar-se no giro positivo de sua situação. Quando vocês forem criativos e olharem profundamente, poderão sempre encontrar a luz. Focalizar-se na luz os levam a compreender algo pelo qual possam ser gratos neste momento.

9 - Lembrem-se de que vocês são um ser eterno Divino. Tenham em mente sempre, especialmente durante estes momentos quando circunstâncias externas desafiadoras os levarem a se sentir pequenos e desamparados. Quando vocês acessam os milagres, estão se conectando com a Força Criadora Divina que reside em todas as coisas vivas. Ela reside em vocês, também. Perdoem-se por moverem-se para o esquecimento sobre quem vocês realmente são. Procurem lembranças regulares para ajudá-los a se exercitarem em reconhecer a sua natureza Divina e a cena maior. Como parte disto, lembrem-se de ser humildes sobre os seus presentes e o que podem fazer. Os sábios deixam ir a necessidade de impressionar outros com os seus milagres. Eles simplesmente deixem as suas vidas e as suas ações servirem como um exemplo inspirador para outros. Este é um modo como se expande a consciência milagrosa.

Enquanto vocês continuam a jornada da redescoberta de sua natureza Divina, nós os envolvemos com o nosso amor e bênçãos.

Nós somos O Conselho dos 12.

Nota de Selácia: "Os momentos em que vivemos estão muito acelerados. As mudanças e o caos estão todos a nossa volta. Para navegar neste período de mudanças sem precedentes, é vital que cada um de nós cultive recursos internos e uma habilidade de estar em um espaço de permissão.

Como o Conselho dos 12 menciona na mensagem deste mês, quando pudermos estar em um estado de receptividade e prontidão, poderemos reconhecer e utilizar mais plenamente os milagres que ocorrem em nosso mundo. Eu pedi ao Conselho para tratar deste tópico devido a um conhecimento de que poderíamos usar um lembrete de como trazer mais luz a nossa experiência quando estivermos desencorajados ou desapontados.

Os milagres são naturais e estão disponíveis para qualquer um, ainda que possamos esquecer disto quando somos defrontados com uma seqüência de árduos desafios. A minha súplica para cada um de vocês que estejam lendo estas palavras é que sejam capazes de se conectar de modo crescente com os milagres nos dias vindouros.

Se vocês têm avaliado sobre como isto já está ocorrendo para vocês, ou sobre como a mensagem deste mês ajudou a tornar a idéia de milagres mais tangível para vocês pessoalmente, por favor, enviem um e-mail para selacia@selacia.com"


Tradução: Regina Drumond -

reginamadrumond@ yahoo.com. br

Fonte: http://www.novasenergias.net

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...