30 abril 2008

Carlos (Veronica) Paz Wells

Entrevista:
Verónica Paz Wells fala de seus contatos, transexualidade e da nova consciência planetária.

_______________________________________________
Entrevista concedida a Paulo Stekel

Carlos Roberto Paz Wells
, mais conhecido como Charlie, nasceu em Lima, Peru, em 10 de fevereiro de 1954. Seu pai, o renomado pesquisador Sr. Carlos Paz García, fundou em 1955 a primeira entidade dirigida à investigação do fenômeno OVNI na América Latina, o I.P.R.I. (Instituto Peruano de Relações Interplanetárias).
No final de 1974 e ainda encontrando-se no Perú na condição física de Charlie, funda a organização RAMA, a partir de um contato realizado com entidades de origem extraterrestre. Devido à grande repercussão internacional destas experiências, o jornal "La Gaceta del Norte" de Bilbao, na Espanha, envia a Lima seu correspondente J. J. Benitez, que é convidado para a mais incrível experiência da sua vida: o primeiro contato com uma nave extraterrestre a pouca altitude.
Isso aconteceu no dia 7 de Setembro de 1974, às 21h15, tendo sido o jornalista informado com uma semana de antecedência. Já na Espanha, Benitez relata durante semanas os acontecimentos deste período, e mais tarde escreve, a convite da editora Plaza & Janes de Barcelona, Espanha, o seu primeiro livro chamado "OVNIs: SOS À HUMANIDADE".
Mais adiante e depois de novas experiências no Perú, Benítez escreverá um segundo livro: "100.000 kms em busca dos OVNIs", e outros tantos mais, sob a inspiração de suas vivências no Perú.
Em 1976, Charlie obteve uma bolsa de estudos para o Brasil, onde passou pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Mais tarde concluiu o curso de Publicidade e Propaganda na Escola de Comunicações e Artes da USP, assim como Marketing e Administração de Empresas, dando início a sua carreira profissional em Marketing e Publicidade em empresas multinacionais no Brasil e nos Estados Unidos.
Durante sua vida profissional Charlie obteve grande reconhecimento e destaque, recebendo inúmeros prêmios internacionais como: 3 Leões de Cannes e 3 Cannes No Prize no Festival de Publicidade em Cannes, França. Igualmente 4 Clios no Festival de Publicidade nos Estados Unidos e 3 prêmios de ouro, 2 de prata e 3 de Bronze na FIAP – Festival Ibero-Americano de Publicidade na Espanha. Assím como muitos outros prêmios no Brasil durante os anos de sua carreira.
Charlie também representa a Revista Digital Enigmas Peru e o Instituto Peruano de Relações Interplanetárias de Lima-Peru, assím como a Sociedade Espanhola de Investigação Paranormal de Alicante, Espanha e o Projeto Sunesis a nivel mundial.
Enfrentando grandes dificuldades de identidade de gênero desde a sua infância, Charlie decidiu dar um grande paso na sua vida em 1997 quando assumiu publicamente sua transexualidade, iniciando um doloroso processo de mudança de sexo.
Infelizmente, dada a ignorância do mundo latino em relação a este tipo de situação, teve que pagar o grande preço da incomprensão e da discriminação. Razão pela qual procurou melhores oportunidades em países mais informados sobre esta realidade e com real respeito e proteção em relação aos direitos humanos.
Atualmente, depois de mais de 25 anos no Brasil, Charlie ou atualmente Verónica, mora e trabalha na cidade de Toronto em Canadá desde 2001, onde trabalha com os grupos locais, também do Brasil e dos demais países formados desde faz muitos anos.
Verónica (Charlie) é autora de vários livros publicados no Brasil sobre suas experiências e investigação. Sendo dois em relação ao contato extraterrestre, um sobre o início da vida no Universo e a influência extraterrestre nas antigas civilizações, e outro sobre a interpretação do sentido da vida inteligente sob a física quântica:

"Os Semeadores de Vida" - Editora Icone - São Paulo - Brasil (em tradução para o inglês e espanhol)

"Um Extraterrestre na Galiléia" - Editora Madras - São Paulo - Brasil (em tradução para o inglês)

"Eles estão entre nós" - Editora Madras - São Paulo - Brasil

"Ser, Viver e Existir no Universo" - Editora Madras - São Paulo - Brasil

Depois de décadas de contatos e trocas com extraterrestres a nível mundial, Verônica (Charlie) coordena as atividades do Projeto Sunesis mundialmente e grupos surgidos destas experiências, tendo recorrido vários países como Estados Unidos, Uruguai, Paraguai, Argentina, Colombia, Chile, Guatemala, Costa Rica, México, El Salvador, Espanha, Equador, Canadá, Brasil e o Perú; nos quais tem realizado incontáveis palestras, seminários, entrevistas, programas de rádio e televisão.
Verónica, quando ainda se chamava Carlos, sempre nos inspirou coragem e luta contra o preconceito. Por isso decidimos entrevistá-la, e não apenas por seus contatos com os ETs. A razão principal é o exemplo de vida, de coerência e de desejo de uma expansão da consciência humana.

Horizonte: Você foi uma das integrantes principais da “Missão Rama” desde o início, quando ainda era conhecida como “Carlos Paz Wells”. Os integrantes desta organização, seja no Peru, Brasil, EUA, etc., continuam tendo contatos programados com os ETs?
Verónica: Em relação a tua pergunta, posso dizer que eu fui a pessoa responsável pela fundação da organização Missão Rama, no ano de 1975. Depois da experiência de J.J. Benitez no deserto de Chilca, no Peru, ao lado de outras pessoas, a divulgação das nossas atividades tanto em Lima (no Peru), como na Espanha, após o retorno de J.J. Benitez, criou uma demanda enorme de pessoas curiosas e interessadas por saber mais do nosso trabalho, assim como dos seus objetivos. O grupo original do qual eu formava parte e que não foi solidário quando fomos desafiados a fornecer uma prova real e contundente das nossas experiências e contato, não se sentia seguro nem muito confiante de enfrentar esta multidão de curiosos que se aglomerava nas salas do Instituto (IPRI) do meu pai, clamando por respostas. O grupo teimava em permanecer hermético e contrário à possibilidade de se abrir ao público em geral e inseguro em relação a responder as expectativas dos mesmos. Neste sentido, eu fui contrária a esta posição e totalmente aberta à possibilidade de aproveitar o momento de mostrar a dimensão da nossa experiência, assim como a sua importância. Pela primera vez seres extraterrestres estabeleciam um contato inteligente e prévia-data com pessoas e, neste caso, se incluía pela primeira vez a imprensa. E de fato, no meu ponto de vista, tudo isto respondia aos objetivos extraterrestres e a razão pela qual as nossas experiências se haviam produzido, sendo nós apenas intermediários desta oportunidade. Desta forma, contrariando os desejos do grupo original, iniciei um ciclo de palestras em Lima promovendo o nosso trabalho e a experiência, vindo a convidar as pessoas a fazer parte. Esta foi a origem da Missão Rama e o começo da formação de grupos no Peru.
Até hoje, não posso falar pelo trabalho desenvolvido no momento pelo meu irmão e seus grupos em geral, mas de fato tem havido novas experiências de contato programado com a imprensa. Tal é o caso durante a noite do dia 25 de março de 1989, onde jornalistas de cinco países reunidos na região de Chilca, ao sul de Lima, no Peru, testemunharam a passagem de um objeto voador não-identificado convocado pelo meu irmão e seus grupos. O objeto foi filmado pelas equipes de televisão do canal 23, com participação do jornalista José Gray, e do canal 51, com participação da jornalista Letícia Callava - ambos de Miami, Estados Unidos -, além da participação do jornalista Rolando Vera do canal 2 de Buenos Aires, Argentina. A informação de material obtido do evento foi publicada no Jornal Expresso no dia seguinte, assim como mais tarde programas de televisão foram ao ar relatando os detalhes do evento. Pela nossa parte, o nosso trabalho permitiu realizar mais um encontro programado de contato extraterrestre com a imprensa. O mesmo ocorreu no dia 23 de janeiro de 1992, às 23:30 horas, nas proximidades da cidade de Santiago do Chile, sob orientação e coordenação do Sr. Rodrigo Fuenzalida e seu grupo, contando como convidados a produtora de filmes independentes Terranova, responsável pelo programa "Zona Franca", que participou dessa aventura representando o canal 9 Megavisión, daquela capital. Ali, ante a presença de toda a equipe técnica e do jornalista Alberto Daiber, mais uma vez uma nave extraterrestre fez sua aparição. Tudo isto foi registrado num programa de televisão que foi ao ar nesse país, no mês de julho de 1992, no qual, após entrevistas realizadas conosco, os jornalistas narraram todos os pormenores da incrível experiência de que foram partícipes.
Até o momento, no que se refere ao meu trabalho de contato, as nossas experiências de observações e encontros com estas entidades, continua ativo e em franco desenvolvimento, aguardando apenas o próximo momento de envolver desta vez a mídia norteamericana.

Horizonte: O método utilizado desde o começo foi a psicografia. Ainda é assim? Psicografia é um bom método para conseguir um contato programado? É um tipo de telepatia que se estabelece com os ETs?
Verónica: De fato, o metodo inicial foi a psicografia, um sistema de comunicação mental ou telepática também chamado de "escrita automática", onde, segundo dizem os entendidos, os impulsos mentais são decodificados pelo cérebro e transformados em estímulos musculares, manifestando-se numa forma rudimentar de escrita. Porém, o processo evoluiu ao longo do tempo e, em muitos casos, passou a manifestar-se de forma telepática direta, isto é, sem a necesidade de haver uma escrita. Mas temos sempre promovido o uso da psicografia como forma de manter o registro escrito da informação, o que permite sua fácil análise e acompanhamento. Na prática, existem diversas formas de contato que vão desde a forma de escrita até a presença de sonhos como forma de orientação ao contato.
No nosso caso, a presença de mensagens não confirma ou nega a existência de um contato, apenas refere a presença potencial do mesmo. Somente consideramos um contato quando a mensagem se confirma através de uma experiência de observação física, isto é, no campo.

Horizonte: Como são seus contatos pessoais com os ETs hoje? Qual a função destes contatos num mundo tão conturbado como o atual?
Verónica: Quando cheguei ao Canadá, em 2001, eu era simplesmente ninguém. Toda a literatura que fala sobre mim e minhas experiências está de fato disponível na Internet, mas a maioria em espanhol ou português; dificilmente poderia ser encontrada na época alguma coisa em inglês. E os americanos e canadenses não lêem nada que não seja em inglês. A América do Norte é uma ilha onde somente o que sai daqui é valorizado e reconhecido, e o que vem de fora dificilmente terá fácil acesso e aceitação, a não ser que você possa dar prova objetiva e contundente para vencer o preconceito xenofóbico e forçar as pessoas a reconsiderar. Desta forma, quando iniciei as minhas palestras e atividades no Canadá, meu principal objetivo foi reunir o maior número de testemunhas de minhas experiências de contato no mais curto prazo possível. E, não somente provar a habilidade de marcar encontros com os objetos de origem extraterrestre, mas também provar que a minha relação com estas entidades é bem mais íntima e contínua.
Após alguns anos de trabalho com diversos grupos e pessoas aqui na cidade de Toronto, já consegui algumas dezenas de pessoas que não apenas foram testemunhas de encontros programados com este objetos (tendo alguns deles sido filmados em vídeo), mas também de diversos fenômenos de observação que levaram a contatos físicos com os próprios extraterrestres.
Os extraterrestres não precisam de pessoas como eu para se fazer notar no nosso mundo nem muito menos para garantir a polêmica de sua existência e presença. De fato, o volume atual de observações, segundo s Nações Unidas, reporta que desde 1947 aproximadamente 150 milhões de pessoas testemunharam a presença de OVNIs nos céus do mundo. Sendo, pelo menos, 20.000 destes associados a aterrissagens documentadas. Por outro lado, somente aqui na América do Norte, 70% das pessoas afirma que seu governo esconde a verdade sobre o fenômeno extraterrestre.
Neste sentido, qual seria a função de ter pessoas que mantêm contato com eles? Apenas de criar uma religião ou de confundir? De fato, não. Devemos considerar que o volume de “contatados” e “canalizadores” é enorme atualmente no mundo. Porém, quantos deles têm oferecido a possibilidade de dar uma prova fisica destas relações? Ninguém, que eu saiba, até hoje, permanecendo apenas no âmbito da experiência espiritual, interior ou transcendental.
Vivemos num mundo conturbado e diverso que vai de um extremo a outro. Os contrastes culturais e políticos são impressionantes, assim como os jogos de interesse e dominação.
Os extraterrestres já provaram desde muito tempo serem detentores de uma tecnologia que vai além da nossa imaginação, assim como serem capazes dos mais incríveis fenômenos físicos. Porém, ainda os “cientistas” debatem as sua intenções e objetivos, apontando de forma quase geral serem os mesmos obscuros e um perigo para a humanidade.
Esta atitude espelha não apenas a nossa ignorância, mas fundamentalmente a nossa ingenuidade, além de demonstrar o nosso medo do desconhecido e a nossa vulnerabilidade para a manipulação.
A melhor prova das boas intenções extraterrestres é o fato de continuar vivos e da possibilidade de saber da sua existência. Seres capazes do que eles são, poderiam perfeitamente passar desapercebidos e até ignorados. E isto é mais que patente na habilidade que demonstram de eliminar a memória consciente e da possibilidade de abduzir pessoas e veículos de qualquer porte.
Por que fazer a sua presença evidente? Ou por que fazer a demonstração óbvia do seu poder e tecnologia? Por que deixar evidências e testemunhas? Apenas para fazer ostentação de poder?

Os extraterrestres estão testando o grau de maturidade, coerência e sentido comum da humanidade. Estão fazendo uma campanha de marketing disseminando informação e estimulando a população à procura de respostas e atitudes. Estão buscando medir o nosso grau de percepção e capacidade de associação racional e inteligente. Estão buscando medir em que momento a humanidade se definirá como um potencial aliado ou um radical e cruel inimigo.
Eles sabem que existem aqui muitos interesses em jogo, muitos deles a serviço de quem controla o poder, e que a sua formal presença representa uma afronta e uma simples destruição do controle exercido. Razão pela qual, não apenas evitam que a população tenha acesso a verdade, mas distorcem os fatos para semear a desinformação e perpetuar o controle sobre os ignorantes e amedrontados.
Os extraterrestres sabem que estão rendidos em relação a qualquer atitude aberta, pois a mesma endossará o medo e o preconceito existente em relação a eles, reforçando a idéia de invasores e entidades negativas que os controladores do poder buscam perpetuar e reforçar no inconsciente dos ignorantes. Sabem que ter e manter uma relação inteligente com a raça humana resulta uma tarefa difícil, senão quase impossível, pois as pessoas estão amarradas a preconceitos, cultura, educação, família, trabalho, responsabilidades e interesses que os manipulam e distanciam da verdade e de um recomeço. O preço de acessar uma realidade maior pode resultar duro e difícil, tanto que o custo da mudança e de ter que admitir quão errados estamos como civilização e cultura pode levar a um conjunto de decisões que muitos, e de fatos muitos, não têm a intenção de assumir.
“É mais fácil ruim conhecido que bom por conhecer” – esta frase traduz claramente a nossa mentalidade. O custo de tentar algo novo e diferente pode provocar o isolamento, a incompreensão, a violência pela ignorância e o desrespeito. Quantos estariam dispostos a enfrentar semelhante oportunidade sabendo que poderão perder seu “status quo” tão duramente construído e obtido? Poucos, bem poucos.
Os extraterrestres sabem que a humanidade pode se transformar num poderoso aliado, mas também num terrível inimigo no momento de desenvolver tecnologias que possam alterar as relações de espaco-tempo. Uma civilização movida por interesses econômicos, ideológicos e políticos onde as nossas crenças religiosas transformam o valor da vida humana em nada, e onde sacrificar milhões de pessoas apenas por um ideal ou uma crença, ou o desejo de poder e controle, amedronta estas entidades, pois nos transforma em predadores de nós mesmos.
Mas eles sabem que neste pequeno planeta azul existem pessoas cansadas de sofrer, indignadas de ver a miséria se espalhar pelo mundo, enojadas pela impunidade e pelo desrespeito à vida em todos os seus sentidos e extenções. Sabem que há seres à procura de dias melhores e que desejam o melhor para o nosso futuro. Mas seu problema tem sido chegar ao mundo como um todo, não apenas para alertar da nossa contínua insanidade e irresponsabilidade, mas para mostrar que o Universo lá fora quer abraçar a humanidade como iguais e permitir partilhar dos benefícios desta relação. Mas para isso, todo um processo de transição se faz necessário, se faz iminente. A nossa relação não pode destruir o mundo que conhecemos, mas transformá-lo para melhor e, para isso, toda uma adaptação se faz necessária. As nossas diferenças culturais e sociais são homéricas e têm que ser equalizadas à luz de uma realidade maior.
Por isso a minha experiência de contato aconteceu. Somos um experimento com o objetivo de introduzir os extraterrestres como potenciais aliados e como a oportunidade da maior revolução socio-cultural de todos os tempos. Somos os seus advogados e interlocutores, assim como seus anfitriões com a capacidade de apresentá-los oficialmente para uma humanidade receptiva a esta incrível mudança.

Horizonte: As mudanças que ocorreram desde a Missão Rama [1974] até o Projeto Sunesis fazem parte de um plano maior dos guias ETs ou foram apenas devidas à incompreensão humana mesmo? Se trata de uma experiência ET?
Verónica: Rama surgiu inicialmente como um experimento extraterrestre para medir os resultados que uma relação aberta com seres humanos poderia provocar. E, isto não apenas nos diretamente envolvidos mas também no ambiente e pessoas relacionadas como um todo.
Ao longo dos anos e através das mais incríveis experiências os extraterrestres acompanharam o impacto de cada momento e vivência, buscando estudar de que forma crenças, educação, valores de referência, família, trabalho e responsabilidades viriam a afetar decisões a assumir, assim como o correto entendimento da relação e suas derivações. Por outro lado, ajudariam os extraterrestres a saber identificar até que ponto eles poderiam delegar maiores responsabilidades e saber se efetivamente elas seriam realizadas e levadas a bom fim. E o mais importante, a medir o grau de confiabilidade do conteúdo transmitido, assim como a idoneidade e integridade dos participantes ao enfrentar conflitos de interesse e formação.
O grupo seria o piloto do que esperar da humanidade numa escala menor e sob perfeito controle.
Ao longo dos anos o processo passou por diferentes etapas e derivações, assim como desde o seu início. Guerras de ego, liderança, poder, controle, dominação, manipulação, fanatismo, messianismo e discórdias passaram a afetar o processo como um todo, vindo a se transformar em fatos de alienação para muitos, tábua de salvação para outros e manter a integridade do que foi desde o seu início passou a ser para os extraterrestres uma derivação dos objetivos iniciais.
Sunesis surgiu como uma alternativa em função da corrupção sofrida pelo processo como um todo. E, desta forma busca preservar os objetivos iniciais desta relação.

Horizonte: O que os guias lhe falam sobre a situação climática do planeta hoje? Realmente o quadro é tão sério como pintado pelo IPCC em seus relatórios?
Verónica: Em 1993, publiquei através da Editora Ícone meu primeiro livro, chamado “Os Semeadores de Vida”, no qual fazia ampla referência ao meu histórico sobre a experiência do contato extraterrestre e até o resultado de todos estes anos de intercâmbio com os nossos visitantes siderais.
Desde 1993 muita coisa mudou no mundo e muitas coisas ocorreram, mas o mais interessante foi que o relatado no livro, tanto em relação às descobertas da sonda Galileu em Júpiter, assim como os últimos acontecimentos ocorridos no dia 11 de Setembro de 2001 na cidade de Nova Iorque, aconteceram de forma similar a conforme estava escrito.
Em relação a Ganimedes, a maior lua de Júpiter, encontramos na pag. 149 as descrições sobre as características geológicas do satélite, assim como condições telúricas da existência de energia geotérmica sob a sua superfície, que foram confirmadas e enfatizadas pelos diversos sensores da sonda Galileu, assim como a presença de atividade geotermal semelhante no subsolo de outras de suas luas. E, o que dizer em relação a Marte depois das descobertas da sondas Spirit e Opportunity neste ano? Falta pouco para constatar oficialmente a existência de vida no seu passado, e pelo menos água já esta quase confirmado.
Por outro lado, na pag. 361 do mesmo livro, faço plena referência à ameaça que os países árabes representavam para a estrutura americana e para a economia deste país, mencionando inclusive até por volta de que ano isto deveria ocorrer, sendo que, como referido, no dia 11 de Setembro de 2001, os terroristas muçulmanos da Al-Qaeda perpetraram um terrível atentado no maior centro econômico dos EUA. Além do mais, todas as referências feitas nesse capítulo sobre a situação econômica da humanidade após o terceiro milênio estão em franca ocorrência.
Infelizmente, tudo isto prova que, mesmo anos passados, não mudamos o nosso provável futuro e muito menos alteramos as condições para termos uma vida mais tranqüila e promissora. Bem ao contrário, enfrentamos hoje um cenário futurista de profundas incertezas e terríveis possibilidades.
A situação mundial não é apenas séria mas terrivelmente grave e os seus resultados se farão sentir nos próximos anos de uma forma devastadora. O problema não são terremotos, furacões, tsunamis, vulcões, meio ambiente mudando não apenas a temperatura mundial e as correntes dos oceanos, mas tudo isto em conjunto vai afetar a cadeia produtiva e alimentar humana nos próximos anos. Alimento vai faltar e a produção vai se reduzir. As conseqüências socias de tudo isto trarão resultados devastadores e o descontrole da estabilidade mundial. Enfrentaremos momentos muito delicados se não pusermos a humanidade em contato direto com eles e se não fizermos um trabalho conjunto para mudar este cenário.
Através do meu trabalho tenho procurado transferir não apenas mais conclusões e reflexões obtidas ao longo de uma curta vida sobre todos esses assuntos já referidos, mas o resultado de conversas e trocas com civilizações de outros mundos sobre a vida e o propósito dela no Universo.

Horizonte: Por que o preconceito com um transexual contatado é tão grande? Isso deixa as pessoas inseguras? O que impediria um transexual de estar apto a um contato se o preparo depende de ética e não juízo de valor ou moral?
Verónica: Tenho recebido severas críticas em relação a ter assumido a minha transexualidade e muitos têm utilizado esta situação para denegrir a minha credibilidade. Acho que a melhor prova de honestidade que poderia ter oferecido ao mundo foi exatamente ser coerente comigo mesmo e com todos aqueles que confiaram em mim.
Assumir a mudança não é nenhuma brincadeira, pois representa uma decisão difícil e sofrida, e quando decidi enfrentá-la sabia perfeitamente o custo que representaria na minha vida pessoal e profissional. Poderia ter perfeitamente continuado vivendo uma mentira para agradar o meu público, evitar perder meu emprego, continuar com o meu sucesso e não dar trela aos leões famintos de mexericos para me atacar. Porém, preferi ser publicamente honesto e me revelar abertamente para demonstrar que minha sinceridade e honestidade não tem limites, mesmo que isto signifique sacrificar a minha vida e todo o sucesso pessoal e profissional que me tomou anos para conquistar, confiando em que a coerência e uma visão mais profunda e humana entre as pessoas que se dizem espiritualizadas e holísticas lhes permitirá entender a minha atitude. Mas, acaba sendo mais fácil para aqueles que desejam me criticar, apenas tomar a situação às avessas. Mas, para cada um cabe aqui uma reflexão profunda e sincera. E, com certeza, os extraterrestres sempre souberam de mim e de minha vida pessoal, o que, a seu critério, jamais impediu estar perto de mim e continuar a nossa relação. Com certeza estas civilizações estão muito além das típicas atitudes homofóbicas, preconceituosas, marginalizantes e discriminatórias.
Uma pessoa transexual não tem nada diferente de um ser humano comum, apenas seu cérebro possui o sexo neurológico distinto do sexo físico ou genético. Diversas explicações científicas e médicas justificam a transexualidade e pode ser considerada como apenas mais uma deficiência. Razão pela qual a correção física é permita por lei, já que o que se faz é adequar o gênero físico ao neurológico.
Por outro lado, o segmento dito científico da investigação extraterrestre não passa na sua maioria de um bando de aproveitadores que se utilizam do fenômeno para aproveitar-se de boa vontade das pessoas; as manipulam de forma a explorá-las economicamente e se alguém compete com o seu poder ou pode afetar a sua hegemonia buscam destruí-la, nem que para isso manipulem a informação a ponto de distorcê-la a seu favor e benefício. Buscam explorar o medo, o mistério e a paranóia das pessoas para poder conduzí-las do jeito que desejam. Não estão à procura da verdade dos fatos, mas de atuar como uma nova Inquisição que fiscaliza sem controle e faz prevalecer os seus interesses.
A minha situação, como mencionei, resultou em prato cheio para muitos deles que aproveitaram o preconceito me chamando de “travesti” e utilizando termos claramente pejorativos até em alguns dos e-mails que recebi deles e que ainda mantenho para o momento certo. Neste sentido, buscaram explorar a minha situação em seu favor para me tirar de circulação vindo, inclusive, a mentir publicamente em palestras sobre a nossa experiência e a situação do J.J. Benitez no contexto do fenômeno e como testemunha, esquecendo que ele não foi o único que participou do evento. Todo este material está sendo reunido para ser utilizado mais adiante, mostrando à opinião púbica a idoneidade de certas pessoas e a forma com que manipulam e controlam as suas opiniões.

Horizonte: Qual é a visão da sexualidade humana compartilhada pelos ETs com você em suas décadas de contatos? Eles sempre apoiaram sua sexualidade e identidade de gênero?
Verónica: Seria infantil imaginar que os extraterrestres nunca souberam sobre a minha sexualidade e que para eles foi uma surpresa. Um dos grandes erros da nossa humanidade é imaginar os extraterrestres sob a mira dos preconceitos e mediocridades humanas. As pessoas normalmente os vêem como uma extensão nossa sofrendo das mesmas limitações, das mesmas fraquezas e necessidades, e curtindo de certa forma das mesmas paranóias.
Mas estão não apenas terrivelmente enganados, como incrivelmente longe da sua realidade. São criaturas que alteram as condições do espaco-tempo para viajar pelo espaço, cuja tecnologia os pode levar para qualquer lugar e onde a sua civilização já superou a miséria e a pobreza, assim como a mediocridade do desejo de poder e controle. As megalomanias dos egos são história do passado e seu único objetivo é preservar, manter e desenvolver a sua sociedade cada vez mais. É o ponto a se preservar e onde nós entramos como possível ameaça. Nós podemos ameaçar a estabilidade destas civilizações e é por isso que estão aqui.
Moralidade, bom ou mau, certo ou errado, são apenas conceitos relativos a cada cultura e região. Um beijo na rua no Rio de Janeiro não chama mais a atenção de ninguém, pois mais do que isso é feito na rua. Já, num país islâmico só o fato de uma mulher andar na rua sozinha a levaria para a cadeia, o que dizer de um beijo.
Pois é, matar milhares de pessoas num prédio em Manhatann é levar este “mártir” direto para o paraíso de acordo com as suas crenças; assim como detonar um ônibus repleto de inocentes judeus, será para os olhos dos seus partidários um herói, mas para quem não comunga das mesmas crenças não passará de um cruel e sangüinário assassino. Este é o nosso mundo, onde quem julga o faz sob os olhos de sua cultura, formação e crenças. Nós, uma sociedade que agoniza lentamente como resposta a sua irresponsabilidade, onde a vida das pessoas, o respeito a cada ser humano não é nada e pode ser dispensado sem exitar se de alguma forma serve aos interesses de quem busca se aproveitar é o melhor exemplo da realidade que nos cerca.
O futuro está batendo na porta e não será nada paciente com a humanidade. Ou a gente muda de atitude ou o mundo nos fará desaparecer. A opção é nossa e quem não tem olhos para ver a evidência dos fatos apenas passando o tempo julgando as pessoas, com certeza é a primeira a pagar as conseqüências de sua atitude.
Pensar que a sexualidade extraterrestre tem que ser a mesma dos terrestres é, além de infantil, incrivelmente absurda. Somente aqui em nosso planeta temos seres que mudam a sua sexualidade de acordo as necessidades de sobrevivência e criaturas que são hermafroditas por natureza. Por que os extraterrestres teriam que seguir apenas o modelo humano? Por que é moralmente ou religiosamente correto? Isto apenas reforça quão longe estamos de uma relação aberta com as pluralidades do Universo e quão míopes estamos em relação ao que realmente representa ser humano.

Horizonte: O fato de você ter sido apresentada pela mídia internacional como o primeiro contatado transexual do mundo (que se sabe, claro) causou muitos transtornos em sua vida pessoal?
Verónica: Na verdade apenas tornou público e aberto algo que já estava transitando entre as pessoas. Apenas reafirmou algo que já estava no âmbito da fofoca e nos comentários nos círculos ufológicos e espiritualistas. Minha vida pessoal já estava enfrentado as conseqüências da minha decisão desde o momento em que havia assumido minha situação.

Horizonte: Quem tem lhe apoiado neste momento, principalmente depois de sua mudança de gênero? Que impactos isso teve na sua família, amigos, membros dos grupos de contato?
Verónica: Muitas pessoas de fato se afastaram em conseqüncia do preconceito reafirmando a sua ignorância em relação ao assunto e demonstrando não estar em sintonia com o que um processo como este representa.
Infelizmente, a influência religiosa na formação moral dos indivíduos é fundamentalmente católica e, neste sentido, conservadora. Fosse do tipo oriental a resposta seria muito diferente, pois dentro do seu conceito, uma pessoa como eu já se encontraria num outro nível de desenvolvimento e não seria um excluído ou um pária.
Por outro lado, uma vez baixada a poeira muitas pessoas retornaram e se aproximaram, vindo a superar o impacto. Minha família, por outro lado, não conseguiu assimilar bem o assunto, principalmente meu irmão, já que como fundadora do processo e co-responsável pelo que derivou, foi cobrado para dar a sua opinião sobre a minha situação. E, dentro do processo que ele gerou, os dogmas e preconceitos religiosos são e continuam presentes e fortes. Infelizmente, tem se visto numa situação difícil.
Mas como mencionei, muitas pessoas continuam trabalhando comigo e aqui no Canadá o preconceito é praticamente nulo. Existe de fato como em qualquer país do mundo, mas não representa um fato de grande influência.
O meu trânsito nas minhas palestras e atividades continua bem ativo, tendo dado palestras na Universidade de Toronto e feito entrevista no mais importante jornal de Toronto algum tempo atrás.
Mas, em nível mundial e em geral, de fato o preconceito com minha pessoa e o acesso à minha experiência estão claramente distantes e senão totalmente terminados.

Horizonte: Você hoje é um transexual que vive com uma mulher. Isso causa ainda mais estranheza nas pessoas, acostumadas apenas a situações ditas “normais” sobre as quais elas pensam ter algum controle?
Verónica: Como transexual de fato levo uma vida 100% feminina, e trabalho numa empresa já por 4 anos, tendo meus documentos sob a mesma situação. A minha aparência não confita com a minha situação e na verdade raramente cria algum tipo de conflito.
Apenas acredito que ainda a minha voz é um pequeno contraste, mas não realmente a ponto de comprometer a minha imagem social.

Horizonte: O que você acha da pesquisa de Kevin Randle, publicada na revista The Anomalist (EUA) – nº 09, 2001 – segundo a qual, de 316 contatados que foram abduzidos, um percentual alto de 23% se declarou bissexual e 29% se declarou homossexual? Se isso for verdade, haveria alguma relação entre sexualidade e predisposição a abduções?
Verónica: Acho realmente interessante, pois estas pessoas são muito mais abertas a novas idéias e menos propensas a preconceitos ou prejuízos, o que para os extraterrestres é a garantia de uma interação com maiores possibilidades de um bom resultado. De fato, as pessoas, por uma menor influência dos padrões sociais e culturais, estarão mais livres para assimilar facilmente novos padrões de comportamento e mais receptivas a situações fora dos esquemas convencionais.

Horizonte: O Projeto Sunesis está conectado, diretamente ou por laços de afinidade e amizade a outros grupos que buscam contatos programados com ETs?
Verónica: De fato, a gente mantém uma relação aberta e descomprometida com qualquer organização ou grupo de experiência extraterrestre. Sempre e quando a atitude seja recíproca. O nosso interesse é trocar experiências de fato, e estamos abertos a toda possibilidade.

Horizonte: Qual é o sentido mais profundo de se buscar contatos programados com os guias ETs? Eles são nossos mestres cósmicos modernos? Ou sempre foram?
Verónica: O contato fisico com eles existe no nosso trabalho como forma de confirmar que a relação é real, que o acordo de trabalho conjunto continua em pé e que a nossa mútua aproximação está em relação a como estamos amadurecendo e abrindo a nossa mente a novas possibildades de viver a vida e entender o seu sentido maior.
Os extraterrestres não estão aqui para tomar o nosso lugar e ser os nossos professores ou mestres. Estão aqui como uma civilização que chegou onde chegou trilhando um processo evolutivo similar e que pode servir de referência para nós e nos ajudar a não cometer os mesmo erros. Estão aqui para nos mostrar que é possível construir uma civilização coerente, digna, que respeite seu ambiente e os seus semelhantes e capaz de não apenas progredir, mas construir e preservar melhores dias para todos.

A nossa experiência física não é para ouvir deles o que a gente já sabe, mas para confirmar que o nosso entendimento do que é necessário para superar as nossas limitações e ampliar o nosso estado de consciência estão em contínuo progresso. A nossa experiência de contato é para saber abertamente se estamos conquistando a sua confianca e respeito e se através do nosso rabalho estamos atingindo o nível necessário para treinar outras pessoas para estabelecer uma nova relação.
Lembremos que o objetivo de tudo isto é introduzí-los à nossa humanidade de uma maneira formal. Neste sentido, convidar a imprensa é mostrar que estamos num processo de aproximação com uma civilização mais avançada e possibilidade de que o contato final ocorrer apenas depende de um acordo mundial para iniciar a nossa transição para uma real e profunda troca com alguém mais experiente, e que nos pode poupar muito tempo e muito sofrimento para chegar a uma melhor condição de existência.
O nosso objetivo maior como humanos nesta relação, portanto, é concretizar as bases de uma nova cultura baseada na sua experiencia, totalmente universalista no sentido total da palavra, orientada à melhor forma de compreender a vida, tanto individual como em comunidade, promovendo sua expansão de forma gradativa e visando resgatar o prazer por estarmos, enfim, vivos.
Para sobreviver e construir o amanhã devemos nos unir hoje. Uma união tão forte, tão humana quanto o desejo de sermos felizes. Uma união realizada independentemente de bandeiras, rótulos ou institucionalismos, onde o amor à vida e a um futuro melhor seja nosso único denominador. Para você, que teve a paciência de chegar até aqui, desejamos um amanhã promissor, pois existem pessoas, agora, semeando e lavrando uma esperança: que, algum dia, os que estiverem vivos para colher poderão ser, afinal, os novos semeadores de vida. Uma vida de amor, amizade, respeito e confiança construída hoje, com o seu e o nosso esforço, para todos nós e, principalmente, para aqueles que virão depois de nós.

Horizonte: Agradecemos muito a sua gentileza em conceder-nos esta entrevista, Veronica. Gostaríamos que deixasse algumas palavras sobre o processo de expansão da consciência, conforme ensinaram a você os guias ETs.
Verónica: Sempre procurei e sempre buscarei lutar pelo mundo que sei que somos capazes de construir. Pois existem seres humanos bons, honestos, idealistas e sonhadores. Criaturas cujo coração acredita no amor, na amizade, na verdade e na felicidade. Entidades maravilhosas cujo espírito pertence às estrelas e cuja mente está posta para aprender.
São eles meu alvo e serão sempre meu objetivo. Errando e fazendo o melhor possível buscarei ser para eles um ponto de convergência, uma luz para seus ideiais e um porto para abrigar seus sonhos. Estou para dar forma a suas idéias e dar força a suas vontades. Jamais para liderá-las, mas apenas para ser mais um na construção de nosso futuro.
Ao longo de minha vida, os extraterrestres me mostraram o que conseguiram realizar pelo seu esforço. Uma amostra do que nós poderemos algum dia conquistar para nós mesmos. E eu acredito nesse futuro e nessa possibilidade.
Não busco que acreditem em mim nem nas minhas experiências, nos meus contatos ou conversas com extraterrestres. Apenas que acreditem que amo o mundo, o ser humano e o universo do qual somos parte. Quero que acreditem nos meus sonhos de uma vida melhor e que existem pessoas capazes de construí-la, pois amam a vida como eu.
Busco desesperadamente encontrar sonhadores que, como eu, vêem através de seus corações o despertar de um universo que nos estende seus braços e que quer se aproximar. Procuro obsessivamente amantes da vida, que como eu, querem desfrutar desse amor cósmico e profundo. Aquele capaz de superar toda e qualquer dificuldade ou barreira. Aquele que une mais as pessoas a cada momento e as faz serem fortes, resistentes e seguras. Aquele que nos preenche e toma por completo pois torna a amizade algo maravilhoso e poderoso.

Nosso futuro precisa de nós. O mundo precisa de nós. O amor e a vida, precisam de nós. Não interessa quem somos, que somos, qual o nosso sexo ou qual a nossa história pessoal. O que importa é o que somos capazes de realizar e a vontade de realizar, pois a vida será sempre repleta de erros, dificuldades e incompreensão. Mas a nova vida, o mundo novo, será repleto de vida nova, de amor, de tolerância, respeito, compreensão e amparo. De igual forma, como o universo nos acolheu um dia e nos colocou neste pequeno planeta, devemos nós, cada um de nós, acolher os nossos semelhantes. Buscar nos amar, nos respeitar e construir nossa mente para lapidar o nosso coração e dar forma a nossas vidas.
Temos a missão de ser artífices da paz e da felicidade. Temos a obrigação de viver em paz e dignamente. Temos a responsabilidade de nos preparar para descobrir as técnicas, as formas, os passos, os conhecimentos que nos permitam realizar essa missão.
Dois milênios atrás veio uma criatura ao nosso mundo, perdoando, amando, ensinando, levando esperança e compreensão. Amou desmiolados, acudiu doentes, acolheu prostitutas e recriminados pelo preconceito, levou esperança aos pobres e conhecimento a quem o ouviu. Que seu exemplo nos guie no caminho da vida, que suas obras iluminem nossas ações e que a vinda desta entidades, nos encontre dignos de sermos enfim, amados e reconhecidos como verdadeiramente humanos.

O website do Projeto Sunesis, para os interessados em conhecer melhor o trabalho desenvolvido por Verónica Paz Wells é: www.sunesis.ca [com versão em Português]

http://revistahorizonte.blogspot.com/

29 abril 2008

Tachyons. Para seu bem estar.


O corpo é composto de energia elétrica, magnética e de Tachyon (energia sutil).

A Energia Tachyonica é também referida como Prana, Chí, Energia Universal, Aura e outros nomes. Nosso corpo não é apenas sensível, mas energeticamente balanceado por ela.
A palavra Tachyon (grega) é traduzida como ‘partícula rápida’. É mais rápida que a velocidade da Luz e deriva da palavra ‘tachytis’ > velocidade.
Nos séculos passados, cientistas ficaram muitos céticos com este fenômeno.
Conhecimentos sobre essa energia tem sido usados nos últimos 40 anos, mas só foi realmente provado a sua existência nos anos de 1960.
A Energia Tachyon foi definida pelo Dr. Gerald Feinberg do MIT em 1966 como partícula subatômica mais rápida que a velocidade da Luz. Mas muito antes cientistas do mundo todo têm feito experimentos com ela.
Muitas pessoas usam produtos tachyonicos em jóias, cintos e outros.Nikola Tesla fez vários experimentos usando como fonte de energia.Dr. Henry Moray também teve sucesso criando energia convertida, usada como energia livre.
Hoje muitos cientistas trabalham com energia livre focando a conversão da energia Tachyon em energia elétrica.
Nós usamos primeiro para harmonizar estruturas subatômicas e como ferramentas especificas para tratamentos terapêuticos.
A Energia Tachyonica fortalece o campo energético quando colocado diretamente no corpo. Ele ativa e intensifica a estrutura das células, restabelecendo a ordem.

Resultados :
· -Equilibra a saúde através do campo-eletro-magnético.
· -Melhora a micro-circulação, equilibra o fluxo do Chí no corpo.
· -Libera bloqueios
· -Fortalece o bem-estar.
· -Vitaliza as bebidas e os alimentos
· -Combate o stress e a fadiga
· -Favorece as terapias através da harmonização dos chacras
· -Promove a saúde natural
· -São utilizados por atletas.

Kryon sobre o Tachyon

Pergunta: Querido Kryon: O que você pensa sobre a Energia Tachyon? O Processo de Tachionização terá um papel na futura ciência, medicina e meditação?
Resposta: Sim, isso tudo e muito mais. A Energia Tachyon não pode ser colocada em uma caixa e separada de outras energias interdimensionais, embora ela seja específica. Chamam-na de "energia oculta e benigna do Universo”. Ela está sempre lá e pode ser focalizada (colocada em objetos), mas "sente-se" como um amigo que lhe ajudará quando for necessário.
Se você passa a utilizar algum produto tachyonizado, se torna um super-condutor desta energia. Assim restabelece-se a ordem onde havia o CAOS.
Quando você sente a energia de um cristal, ou talvez de algumas gemas (pedras), todas elas têm uma energia poderosa que é útil para propósitos específicos. Tachyon é uma das únicas energias nesta "sopa de energia" que soa (afina)-se para você para permitir-lhe equilibrar-se.
A função total do Tachyon é realçar (intensificar) a sua vida e permitir que outras energias façam o seu trabalho. Então é uma energia muito tranquila e se "guiará" para a sua energia e "saberá" como lhe ajudar, não importa o que esteja acontecendo.
Aqueles que encontraram meios de colocar Tachyon no vidro e em outros materiais, dão a você uma oportunidade de carregar isto ao redor com você, de uma maneira mais especializada. Isto eventualmente conduzirá à inclusão de coisas científicas e médicas, pois quando vocês compreendem o propósito do Tachyon que é "preparar o palco", vocês começarão a ver como ele é necessário em todas as coisas.
Lembrem-se, vocês estão todos em um estado quântico. Sua realidade não se vê desta forma, já que vocês sentem que são singulares. Mas ao invés disto, vocês estão "conectados". Isto permite que as energias como o Tachyon existam e saibam quem vocês são.
Tachyon e as formas
Vocês podem ter notado que em algumas das descrições de nosso produto, nós especialmente nos referimos ao significado de formas diferentes, com respeito aos seus efeitos. As diferenças entre esferas e pirâmides, por exemplo, são visivelmente obvias. Mas, formas diferentes também têm efeitos concretos diferentes. O campo energético de um produto é como o reflexo de sua forma material, realmente. Podemos também dizer que formas geométricas criam e definem o mundo.
Deixem-nos presumir que um produto Tachyon seja colocado em algum lugar do seu corpo. Os Tachyons então vão aonde eles são mais necessários. Isto significa que as células são confrontadas com sua tarefa, sua ordem específica. Este tipo de estimulação está ligado aos Tachyons e às diferentes formas e cores dos produtos e seus símbolos, também. Os Tachyons, quase automaticamente têm um efeito em todas as formas estruturadas que eles encontram. Portanto, a forma apropriada de um material tem um efeito no campo.
Além disto, alguns de nossos menores produtos têm um efeito mais intensivo que os maiores da mesma forma. Isto é verdadeiro especialmente para os Donuts e as pequenas Árvores da Vida.
No sentido figurativo, podemos também dizer que devido ao seu tamanho, uma pequena Árvore da Vida ou um pequeno Donut está um pequeno passo mais próximo do microcosmo. Nos microcosmos, há poderes, os quais suportam dentro formas posteriores e o crescimento, também. Uma pequena semente (ou glande, que é um fruto do carvalho), suporta dentro o poder e a forma de um grande carvalho. Isto significa que a semente (ou glande), já é a árvore, embora não visível ainda. Os produtos menores podem ser comparados com a bolota: eles suportam o potencial do todo na forma concentrada. Pelos Tachyons, este pode se tornar sensível e diretamente realizável.
Os objetivos gerais do Donut são:
1- Apoiar o corpo e reconhecê-lo como um templo pessoal.
2- Aumentar o poder e a perseverança na vida diária ( Donut médio)
3- Experienciar e viver o amor ( Donut pequeno )

Tachyon e as Cores

Vermelho: Poder, a cor da Terra, da ancoragem e do poder. Fisiologicamente, o vermelho se refere à pelvis e às pernas. Primeiro chacra ou básico.

Laranja: Criatividade, erótico. A cor da criatividade, sexualidade, alegria e poder. Fisiologicamente, o laranja se refere à área pélvia e aos órgãos sexuais. O Laranja ajuda também quando é necessária a ancoragem. Segundo chacra ou sacral.

Amarelo: Age de fora do seu estômago. A cor do centro do corpo, das emoções e órgãos internos. Terceiro chacra ou plexo solar.

Verde:
Stress (esforço). A cor do coração. Está também conectado com o crescimento porque o amor quer expandir-se e crescer. O verde é um bálsamo tranquilo para o corpo e mente fatigados. Quarto chacra ou cardíaco.

Azul Luminoso: Comunicação. A cor da comunicação e da percepção ampliada. Quinto chacra ou laríngeo( garganta).

Azul Safira: Paz interior. A cor da comunicação, percepção e da paz interior. Este tipo de azul apóia especialmente os processos de cura. Sexto chacra ou do terceiro olho (frontal).

Ametista-Violeta: Transformação. A cor da transição das dimensões materiais para as espirituais. A cor violeta deveria ser usada conscientemente, devido a outras dimensões, claridade acerca de nossa percepção é essencial. Sétimo chacra ou coronário (coroa).

Topázio-Dourado: Abundância e sorte. A cor do Sol e dos poderes bem equilibrados. Também poderia ser chamado amarelo "clarificado".

Pink (cor de rosa): Amor e coração. Pink é uma cor mista - um tipo de violeta ancorado. É a cor do amor e tem um efeito positivo nas emoções do coração.
Acqua: Comunicação cósmica. A cor da comunicação ampliada a todos os níveis e da Era de Aquário.
Opala: Auto-realização. Esta cor tem a ver com a percepção das estruturas que se movimentam do invisível para o visível.

Branco: Ação. A cor do início de uma ação, de encontrar idéias e de sua realização prática.

Cristal Claro: Auto-estima. A cor da claridade que segue a ação. Ela apóia especialmente o trabalho em todas as espécies de temas crônicos e problemas.
Lilás: Despertar. A cor do despertar e da primavera pessoal.

Vermelho-Ouro: Unidade (União). A cor da unidade (união) dos poderes espirituais e materiais (esta cor vem somente com os Anéis de Estrelas.)



Objetivos Gerais:

1- Para apoiar o corpo e reconhecê-lo como um templo pessoal
Cores: Vermelho e Pink

2- Para viver a vida com todos os sentidos
Cores:Laranja, lilás

3- Para controlar seus pensamentos e treinar seus pensamentos
Cores: Safira Azul, Cristal Claro

4- Para compreender e clarificar emoções
Cor Amarelo

5- Para viver em harmonia com todos a nossa volta
Cores: Azul Brilhante, Verde, Pink

6- Para aumentar o poder e perseverança na vida diária
Cores:Topázio dourado, Cristal claro, vermelho ouro

7- Para experienciar o amor da vida
Cores: Verde e Pink

8- Para compreender contextos mais rápidamente e colocá-los em ação mais facilmente:
Cores: Acqua, e Opala

9- Para integrar suas próprias experiências e realizações melhor na vida diária:
Cor: Branco

10- Para ficar em contato com a sua espiritualidade:
Cores: Ametista, Cristal Claro

Perguntas Freqüentes sobre os Produtos Materia Tachyon Incognita


Como os táquions são colocados nos produtos?
Os táquions não são armazenados ou mantidos dentro dos produtos. Os produtos são como antenas através das quais a energia taquiônica permeia constantemente. Os produtos mantêm esta função devido ao procedimento especial que muda a estrutura da matéria prima (vidro, seda, etc.) de uma forma que podem aglomerar os táquions.

A energia dos produtos se desgasta em algum momento?
Não, os táquions são agrupados e oferecidos ao usuário por tanto tempo quanto o produto existir. Mesmo uma ponta quebrada do produto não interfere em sua função.

Estará tudo bem se eu passar meus produtos taquiônicos para outra pessoa?
Sim, não há problema. Os produtos não absorvem nem armazenam qualquer tipo de energia por que eles agrupam e irradiam os táquions constantemente, e por isso se purificam simultaneamente. Portanto, um produto pode ser usado por várias pessoas em uma família ou em tratamentos terapêuticos, por exemplo.
Há alguma forma de provar a existência dos táquions?
Não há uma maneira de provar a existência dos táquions através de métodos científicos. Mas, testes indiretos que mostram mudanças imediatas na estrutura física das pessoas são recomendados. Portanto, ele pode ser testado pela cinesiologia ou métodos similares. Um exemplo seria perguntar qual produto é mais recomendável para determinada pessoa.

Eu preciso acreditar nos táquions para que eles tenham um efeito em mim?
Não, não há nenhuma necessidade disto. Senão os táquions não teriam nenhum efeito em crianças pequenas, animais, plantas, pedras, ou índices de acidentes em rodovias.
Nossos produtos são para serem usados em situações da vida diária e você será capaz de sentir seu efeito por si mesmo e ter suas próprias experiências com os táquions. Suas experiências pessoais são mais importantes do que estranhos dogmas.
Tão logo você segure um produto com sua mão ou utilize-o como um pingente, você já estará “convidando a energia” para exercer um efeito sobre você. Quanto mais conscientemente você usar um produto, mais intenso será o efeito.

Como posso encontrar o melhor produto para mim?
Oriente-se por nossas descrições detalhadas e/ou apenas oriente-se por sua intuição

Há algo mais do qual eu deveria estar consciente quando estiver usando os produtos taquiônicos?
Há apenas um ponto, mas muito importante: nunca use táquions simultaneamente com um irradiador de orgônio ou em uma caixa orgônica. Estas duas formas de energia são incompatíveis.

É possível combinar produtos taquiônicos com diferentes produtos ou com trabalhos energéticos como o Reiki?
Sim – com excessão do orgônio – nossos produtos podem ser combinados e causar uma melhora em todos os outros produtos e modalidades energéticas.


Respostas às perguntas mais frequentes sobre a Energia Taquiônica por Xantiluti
Seguem-se informações sobre a energia taquiônica dadas a nós pelo guia e conselheiro Xantiluti através de Martina Bochnik (canalizadora da técnica de taquionização).

O que há de tão especial nos táquions?
Para nós os táquions são um tipo de energia que torna o trabalho energético espiritual possível, assim como outras energias também. Em contraste com a energia orgônica, por exemplo, um aspecto muito especial dos táquions é o fato de eles não possuírem parte negativa. Eles não têm polaridade e, portanto não são uma parte “normal” do sistema de matéria específica do planeta Terra. E por causa disto muitas coisas são possíveis com sua ajuda.

O que são os produtos taquiônicos e como eles são manufaturados?
Os produtos taquiônicos atraem os táquions. Eles criam um campo constante ao seu redor e, por causa disso, são capazes de fornecer a energia de forma fácil e simples. A energia da estrutura molecular dos produtos Materia Tachyon Incognita é modificada em um equipamento especial. É importante saber que este equipamento é acionado por pessoas, mas funciona sem nenhuma ajuda de seres humanos. Ele trabalha sem programação mental. O vidro, a seda, e os óleos naturais são os mais fáceis de se tornarem produtos taquiônicos.
Os produtos Materia Tachyon Incognita não possuem um fluxo direcional de energia mas sim um campo de táquions que pode interagir com o usuário mais facilmente.

O que os produtos taquionizados fazem?
Os produtos taquionizados estimulam os corpos denso e sutil dos seres humanos, animais e plantas. Isto é possível devido à diversidade que trazem dentro de si.
Os táquions tem um efeito estabilizador, equilibrador e de suporte, pois o individuo entra em contato com seu próprio potencial de longo prazo. O tempo necessário varia sendo algo individual.
De forma geral, podemos dizer que ao se usar os táquions, o que é criado e acelerado está dentro da estrutura de tempo do usuário.

Para quais propósitos os produtos taquionizados podem ser usados? Eles são realmente uma panacéia como está descrito em algumas publicações?
Eles podem ser usados de maneiras diferentes: como pingentes; em apartamentos; para melhorar energeticamente a qualidade das freqüências dos veios d’água e das nuvens elétricas; para meditação; para a harmonização dos níveis físico e emocional e também para todos os outros níveis dos seres humanos.
Os táquions não são uma panacéia, uma cura para tudo, assim como outras formas de energia também não o são. Não existe um remédio para curar tudo, há apenas coisas que tem um efeito diferente. Quanto mais específico e intencional for o uso dos táquions, mais efetivos eles serão. Eles não são uma "escada rolante" para a iluminação.

Qual é a diferença entre a Energia Taquionica e a Energia do Ponto Zero?
A Energia do Ponto Zero é uma grandeza física. Ela descreve atividades elétricas à temperatura do zero absoluto, zero graus kelvin, ou -273,15° Celsius. Para nós esta energia elétrica não tem nada a ver com os táquions. A Energia do Ponto Zero é uma energia estacionária, enquanto os táquions envolvem e permeiam a matéria a todo instante.

Por que os seres espirituais elevados toleram o fato de tantos tipos diferentes de produtos taquionicos terem sido criados?
Bem – nós toleramos isto porque é uma decisão da humanidade. Os táquions são muito rápidos e frequentemente confrontam as pessoas rapidamente com questões que podem ser purificadas ou que deveriam ser purificadas.
Os produtores de produtos taquiônicos não estão excluídos deste efeito. E por que deveriam?
Assim como todos os seres espirituais elevados nós não interferimos. Interferir é abusar do poder.

http://www.tachyons.com.br/

Fonte: www.galaxy1.de Tradução: Gustavo Amorim

17 abril 2008

Não devore seus irmãozinhos!

"Deveríamos ser capazes de recusar-nos a viver se o preço da vida é a tortura de seres sensíveis."
(Mahatma Gandhi)



"Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as chances de sobrevivência da vida na terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem de vida vegetariana, por seus efeitos físicos, influenciará o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da humanidade."
Albert Einstein (1879 - 1955)

Implicações Ecológicas
Quase a metade da massa de terra do planeta é utilizada como pastagem para gado e outras criações. Aproximadamente 80% de todo o desmatamento e desaparecimento de florestas, no globo inteiro, deve-se à pecuária. No Brasil, as pastagens ocupam aproximadamente 250 milhões de hectares (cerca de 30% do país); deste total, cerca de 30% está na Amazônia - 75 milhões de hectares. Se não houver redução em pelo menos 20% do consumo de carne bovina no Brasil, até 2020 não existirá mais Mata Atlântica. Além da questão dos desmatamentos, os dejetos dos animais contaminam rios, lagos e represas, os bovinos compactam o solo, causando erosão, impedindo infiltração de água, além dos ruminantes enviarem metano para a atmosfera, gás que responde por 16% das emissões do efeito estufa e que é aproximadamente 23 vezes mais eficaz para aquecer o planeta que o gás carbônico. Entretanto, este quadro pode ser modificado com o apoio ao vegetarianismo.

Ética Planetária e Valores Espirituais
Vários motivos e às vezes mais de um desperta o ser para a alimentação sem carnes animais. Existem razões sentimentais, morais e éticas que prezam o respeito à vida dos animais para a existência de um mundo sem sofrimento e com amplificação do amor. Também é dito que o cérebro que contém proteína animal é incapaz de compreender certas informações e conteúdos espirituais. A cadeia alimentar ensinada nas escolas não faz sentido diante do argumento de que as normas não vêm de baixo para cima, ou seja, não vêm do animal para o ser humano - não é porque um animal come outro, que o humano deve ser assim - mas emanam daquilo que é superior aos instintos animais. Além disso, a questão de haver carnivorismo dentre os animais é apontada na literatura espiritual como sendo resultado de um desvirtuamento passado.

"Tempo virá em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente como hoje se julga o assassínio de um homem."
Leonardo da Vinci (1452 - 1519)

Razões filosófico-religiosas

A carne não é um alimento que favoreça a harmonia e a paz e contém o sofrimento do animal no momento do abate. Vários movimentos filosófico-religiosos recomendam ou já praticam o vegetarianismo, como budistas, hinduístas, jainistas, adventistas, espíritas, cristãos, movimento essênio biogênico, seicho-no-ie, vegans, rosa-cruzes, entre muitos outros. Na Bíblia cristã, no livro do Gênesis, capítulo 1, encontra-se escrito: "Eu dou a vocês todas as árvores frutíferas para alimento. E dou todo capim e toda erva aos animais e às aves para alimento deles." Continua no capítulo 9: " A carne porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis."

Questões sociais

A solução para o problema da fome apóia-se no vegetarianismo, já que é alarmante o fato de que 80 a 90 % de todo cereal nobre produzido no mundo, especialmente o milho e a soja, sejam usados para alimentação de gado de corte. Esclarecem alguns cientistas que, se a população mundial fosse vegetariana, seria possível evitar a reprodução forçada de milhões de animais, que são engordados com o alimento que pessoas famintas poderiam estar comendo. Também seria evitado o assassínio destes. Disse o senhor Buda: "Feliz seria a terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só ingerissem alimentos que não implicam derramamento de sangue. Os dourados grãos, os reluzentes frutos e as saborosas ervas que nascem para todos bastariam para alimentar e dar fartura ao mundo."

Saúde Plena

As implicações para a saúde são vastas, e não é por acaso que Hipócrates, o pai da medicina, era vegetariano. O consumo de carne associa-se com uma série de doenças, enquanto que as populações vegetarianas apresentam uma incidência muito menor de diversas delas. Durante a primeira guerra mundial, os dinamarqueses, impossibilitados de importar qualquer produto, suspenderam a comercialização de carne e utilizaram toda produção de grãos antes destinados ao gado, na alimentação humana. Foi uma experiência de vegetarianismo envolvendo mais de 3 milhões de pessoas que, além de comprovar que o problema da fome no mundo está relacionado com alimentação com carne, registrou a menor incidência de mortes por doença na história do país, 34% a menos que a média dos dezoito anos anteriores. A gordura animal presente na carne, leite e ovos tende a aumentar o índice de colesterol no sangue. As populações vegetarianas apresentam menores índices de doenças cardiovasculares e redução nos níveis de pressão arterial. O número de mortes por ataque cardíaco e trombose cerebral muitas vezes está relacionado com a ingestão de produtos de origem animal, principal fonte de colesterol, pela população. Durante a segunda guerra, a Noruega diminuiu para quase zero a disponibilidade de carne para consumo, ocorrendo uma queda de mortalidade por doenças circulatórias em índices nunca antes atingidos. Com a retomada do consumo de carne ao término da guerra, a incidência retomou aos níveis anteriores. Vários estudos apontam a carne, leite e ovos como facilitadores de doenças
como diabetes, obesidade, constipações intestinais, doenças da vesícula biliar, reumatismo, gota, câncer, cardiopatias, osteoporose, artrite, anemia, asma, salmonelose e hipertensão. Os estudos de revisão de literatura científica demonstram uma associação direta entre o surgimento de câncer de intestino grosso com o consumo de carne. Outras doenças também estão em investigação Outra idéia que se convencionou considerar verdadeira é de que o leite é importante para aquisição de cálcio pelo organismo e que quem ingerisse bastante cálcio não teria problemas de estrutura óssea. Apesar do leite poder ser considerado uma boa fonte de cálcio, cerca de 70% da população mundial apresenta algum grau de intolerância à lactose, o que dificulta seu uso como fonte de cálcio dietético. Os trabalhos que avaliaram a relação entre o consumo de cálcio e a prevalência de osteoporose em populações demonstraram que o leite não confere efeito protetor contra esta.

Energia e Vitalidade
Resta dizer que as carnes não são alimentos de força; este é um erro espalhado que urge ser desfeito. Alimentos energéticos são os carboidratos e as gorduras. O que acontece é que a carne é um alimento excitante muito forte, equiparável ao álcool, devido às substâncias tóxicas dela provenientes. A sensação de vigor é esgotante, o que faz reclamar mais excitantes (álcool, açúcar, mais carne, etc.). Há a aparência de vigor devido à excitação e cria-se um apetite enganador, repelindo alimentos suaves. Estes fatos explicam a depressão inicial naqueles que abandonam o uso de carne. De acordo com Steiner (2001), "a vantagem do modo de vida vegetariano é tornar-nos no fundo mais fortes, pois as forças que de outro modo permaneceriam incultas dentro do organismo, sendo na verdade as mesmas que provocam a gota, o reumatismo, a diabetes, etc., são retiradas dele". Dando um salto quântico, cabe ainda aqui o relato de um jovem que vive de luz/prana, que menciona que quando abandonou os alimentos começou a ter tanta energia de sobra, que o caminho que antes fazia caminhando do ponto de ônibus até sua casa, passou a ser percorrido correndo e ele entrou para a equipe de atletismo de sua escola (OBERON, 2004).

Citações

"Eu não sou vegetariano por mim, mas sim pelos animais."
(Peter Singer, Libertação Animal)
"Enquanto o homem continuar a ser o destruidor dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor."(Pitágoras)
"Os homens que comem carne e tomam beberagens fortes têm todos um sangue azedo e adusto, que os torna loucos de mil maneiras diferentes. Sua principal demência se manifesta na fúria de derramar o sangue de seus irmãos e devastar terras férteis, para reinarem sobre cemitérios."(Voltaire, A Princesa da Babilônia, Capítulo III)
" Você (...) sente fome pelas criaturas doces e gentis que não ferem ninguém, que o seguem, o servem, e que são devoradas por você como recompensa de seus serviços."(Jean-Jacques Rousseau, Emile)

"Quanto mais o homem simplifica a sua alimentação e se afasta do regime carnívoro, mais sábia é a sua mente". (George Bernard Shaw)
"Se quisermos nos libertar do sofrimento, não devemos viver do sofrimento e do assassínio infligidos aos animais". (Paul Carton)
"Se o homem aspira sinceramente a viver uma vida real, sua primeira decisão deve ser abster-se de comer carne e não matar nenhum animal para comer". (Leon Tolstoi)
"O comer carne é a sobrevivência da maior brutalidade; a mudança para o vegetarianismo é a primeira conseqüência natural da iluminação". (Leon Tolstoi)
"Em todo o mundo da Utopia não há carne. Antes havia. Mas agora não conseguimos suportar a idéia de matadouros. E numa população em que toda a gente é culta e com um nível de aperfeiçoamento físico semelhante, é praticamente impossível encontrar alguém que vá talhar um boi ou um porco morto. Nunca nos acostumamos com a questão higiênica do consumo de carne. Esse outro aspecto fez-nos decidir. Ainda me consigo lembrar, de quando era rapaz, do contentamento que o encerramento do último matadouro gerou." (H. G. Wells, Em Modern Utopia , Capítulo Nove, secção 5)
"Para o homem cuja mente é livre existe algo ainda mais intolerável nos sofrimentos dos animais do que no sofrimento humano. Pois no último é ao menos admitido que o sofrimento é mau e que quem o causa é um criminoso. No entanto milhares de animais são chacinados desnecessariamente sem o mínimo remorso. Se algum homem for se referir a isso, será considerado ridículo. - E esse é o crime imperdoável." (Romain Rolland, Em Jean-Christophe)
" Deus deu aos nossos primeiros antepassados a comida que ele destinou a nossa raça a comer. É contrário ao seu plano ter a vida de qualquer criatura tirada. Era para não haver morte no Paraíso. Os frutos nas árvores do jardim eram a comida que as necessidades do homem requeriam." (Ellen G. White)
"Pode demorar um bocado, mas provavelmente virá um dia em que vamos olhar para trás e dizer: Meu Deus, acreditas que no século XX e no principio do século XXI, as pessoas ainda comiam animais?" (Mary Tyler Moore)
"Como zeladores do planeta, é nossa responsabilidade lidar com todas as espécies com carinho, amor e compaixão. As crueldades que os animais sofrem pelas mãos dos homens estão além de nossa compreensão. Por favor, ajudem a parar com esta loucura." (Richard Gere)
"Oh, tirem minha cabeça, mas rogo que parem a matança!" (Sadhu Vaswani)
"Que luta pela existência ou que terrível loucura vos levou a sujar vossas mãos com sangue - vós, repito, que sois nutridos por todas as benesses e confortos da vida? Por que ultrajais a face da boa terra, como se ela não fosse capaz de vos nutrir e satisfazer?." (Plutarco)
"Os vapores das comidas com carne obscurecem o espírito. Dificilmente pode-se ter virtude se se desfruta de comidas e festas em que haja carne. No paraíso terreno não havia vinho, nem sacrifício de animais e tampouco se comia carne". (São Basílio)
"Os vegetais constituem alimentação suficiente para o estômago e, no entanto, recheamo-lo de vidas valiosas". (Sêneca)
"Não comer carne significa muito mais para mim que uma simples defesa do meu organismo; é um gesto simbólico da minha vontade de viver em harmonia com a natureza." (Pierre Weil)
"A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem." (Arthur Schopenhauer)
"Os animais dividem conosco o privilégio de ter uma alma". (Pitágoras)
"Todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem. Deus quer que ajudemos aos animais, se necessitam de ajuda. Toda criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida". (São Francisco de Assis)

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seus semelhantes". (Albert Schweitzer - Prêmio Nobel da Paz em 1952)
"A não-violência leva-nos aos mais altos conceitos de ética, o objetivo de toda evolução. Até pararmos de prejudicar todos os outros seres do planeta, nós continuaremos selvagens." (Thomas Edison)
"É certamente preferível produzir vegetais, e penso, por isso, que o vegetarianismo é um louvável abandono de um hábito bárbaro instituído. Que podemos subsistir com alimentos vegetais e fazer o nosso trabalho até com vantagens não é uma teoria, mas sim um fato bem demonstrado. Muitas raças vivem quase exclusivamente à base de vegetais e são superiores psicologicamente e em força. (...) Tendo em conta estes fatos, todos os esforços devem ser feitos para parar o abate cruel e desnecessário de animais, que deve ser destrutivo para os nossos princípios morais." (Nikola Tesla, Texto publicado na Century Illustrated Magazine, em Junho de 1900)
"Naquela ocasião a pesca de cada um daqueles peixes afigurou-se-me, como ao meu mestre Tryon, uma espécie de assassinato sem provocação, uma vez que nenhum daqueles animais tinha cometido ou poderia cometer qualquer ofensa contra nós, susceptível de justificar semelhante carnificina." (Benjamin Franklin, Em Autobiografia)
"Os animais do mundo existem para seus próprios propósitos. Não foram feitos para os seres humanos, do mesmo modo que os negros não foram feitos para os brancos, nem as mulheres para os homens". (Alice Walker)
"Mas há aqueles que matam: matam por desporto, por divertimento, matam para obter lucro - por exemplo, a indústria da carne. São os mesmos que destroem a Terra, espalham gases venenosos, poluem o ar, as águas, e poluem-se uns aos outros. É o que estamos a fazer à Terra e a nós próprios. Viver sem causar sofrimento ou morte a outros significa não matar um ser humano nem qualquer animal, por desporto ou para sustento." (Jiddu Krishnamurti)

"O destino dos animais é muito mais importante para mim do que o medo de parecer ridículo". (Émile Zola)

Bibliografia
BALBACH, A. O vegetarianismo. In: __________ . As frutas na medicina doméstica. 3.ed. São Paulo: M.V.P., 1973. cap. 2. p. 16-22.

BEASANT, Anie; LEADBEATER, C.W. Vegetarianismo e Ocultismo. 2. ed. Brasília: Teosófica, 1995. 113 p.

BONTEMPO, Márcio. Medicina alternativa & Política de saúde. In: 5° Encontro de Agroecologia de Pedralva e Região, Pedralva - MG, Set. 2007. BRASIL em síntese. IBGE: Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. [S.L.: s.n.], 2004. Disponível em: . Acesso em: 11 Dez 2006.

CAMPANILI, Maura. 15 dicas para cuidar do planeta. Revista Época, n. 439, p. 58-75, out. 2006.

CAMPOS, José Maria (Clemente). Vegetarianismo e vitamina B12. [S.l.]: Irdin, 2006. 1 CD.

COHEN, Robert. Leite - alimento ou veneno? São Paulo: Ground, 1997. 354 p.

MEIRELLES FILHO, João. Você já comeu a Amazônia hoje ? [S.L.: s.n.], 2006. Disponível em: . Acesso em: 08 Jun 2007.

OBERON. Viver de luz. In: Encontro nacional das comunidades alternativas, São Gotardo - MG, Jul. 2004. RITUAL da carne, O. Campinas: Humanus, a.1, p. 151-157, 2000.

RODRIGUES, C.S.T.P. Alimentação Vegetariana. In: Curso de Ciências Eco-Espirituais, Varginha - MG, Set. 2007.

SALVI, Luís Augusto Weber. Nutrição etérica. [S.L.: s.n., 2002?]. 81 p. Disponível em: . Acesso em: 11 Dez 2006. Slywitch, Eric. Vegetarianismo visto por um médico. [S.l.]: Irdin, 2006. 1 CD.

STEINER, Rudolf. Fundamentos da agricultura biodinâmica - vida nova para a terra. 3.ed. São Paulo: Antroposófica, 2001. 235 p.

TRIGUEIRINHO NETTO, José. O ressurgimento de Fátima (lis). 2.ed. São Paulo: Pensamento, 1992. 148 p.

WINCKLER, Marly. Vegetarianismo - elementos para uma conversa sobre. 2. ed. Rio Quinze, 1997. 31 p. http://pt.wikiquote.org/wiki/Vegetarianismo (30/09/2007).http://www.taps.org.br/Paginas/DefesaPub.html (30/09/2007).

Atenciosamente e com gratidão,
Tatiana Regina Sandy Reis
Cirurgiã-Dentista Especialista em Agricultura Orgânica/Biodinâmica Integrante do Colegiado da Agenda 21 Local Membro do Conselho Municipal de Conservação e Defesa Ambiental - Codema Presidente da Associação Ipê Associação Ipê Rua Carajás, 115, B. Rezende, Varginha - MG, Cep 37062.240, Tel: (35) 3222-3070associacaoipe@gmail.com

http://www.mapa.org.br/webforms/relatorio/organizacao/secao1.aspx?IDORG=600811

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...